Alto contraste: A A Aumentar fonte: A | A | A
Assine o nosso feed de notícias: RSS

Ministro da Saúde participa de inauguração da UPA de Governador Valadares (MG)

Avaliação do Usuário

Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa

O ministro da Saúde, Arthur Chioro, participa da inauguração nesta segunda-feira (1º/6), às 10 horas, da primeira Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Governador Valadares (MG). O estabelecimento, de porte III, tem capacidade para beneficiar até 300 mil habitantes e funcionará 24 horas.

Inauguração da primeira UPA de Governador Valadares (MG)
Data: Segunda-feira, 1º/6
Horário: 10 horas
Local: Rua Ranulfo Alvares, 1681 – Bairro Vila Isa – Governador Valadares (MG)

 Fonte: Agência Saúde

Escrever um comentário (0 Comentário)

Manicoré (AM) ganha primeira Unidade Básica de Saúde Fluvial

Avaliação do Usuário

Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa

Foto: Rodrigo Numes/ MSFoto: Rodrigo Numes/ MSA população de 230 comunidades ribeirinhas próximas ao município de Manicoré (AM) será beneficiada com a primeira Unidade Básica de Saúde Fluvial (UBSF) da região. Para a instalação da unidade, que levará assistência para mais de 28 mil moradores, o Ministério da Saúde investiu R$ 1,7 milhão. O ministro da Saúde, Arthur Chioro, participou nesta sexta-feira (29), em Manicoré (AM), da inauguração da embarcação que disponibilizará atendimento médico, odontológico e de enfermagem, vacinação e realização de exames laboratoriais.

“São 230 comunidades que antes tinham que se deslocar para atendimento médico e que a partir de agora é a Unidade Básica de Saúde que irá até local onde essa população mora. A unidade fluvial reforçará o atendimento na Atenção Básica, capaz de resolver até 80% dos problemas de saúde dos moradores da região”, destacou o ministro Chioro.

A embarcação contará com equipes de Saúde da Família Fluviais formadas por médico, enfermeiro, técnico de enfermagem, técnico bucal, bioquímico e técnico de laboratório, além de ser equipada com os materiais necessários para atender à população da Amazônia Legal e Pantanal Sul Mato-Grossense. Essa unidade beneficiará às comunidades ribeirinhas dos rios Madeira, Manicoré, Atininga, Marmelos e Matura.

Leia mais...

Escrever um comentário (0 Comentário)

Ministério da Saúde vai uniformizar uso de medicamentos pós-exposição ao HIV

Avaliação do Usuário

Estrela ativaEstrela ativaEstrela ativaEstrela ativaEstrela ativa

A terapia com medicamentos pós-exposição ao HIV terá novas recomendações para atendimento. Ocolocou em consulta pública o Protocolo de Profilaxia Antirretroviral Pós-Exposição de Risco para Infecção pelo HIV. O documento ficará à disposição dos profissionais de saúde e público em geral para sugestões por um mês. A proposta foi apresentada à Comissão Nacional de Incorporação de Tecnologia no SUS (Conitec), que aprovou o texto e o disponibilizou para a contribuição da sociedade.

Disponível desde a década de 90 no Sistema Único de Saúde (SUS), a Profilaxia Pós-Exposição (PEP) foi implantada, inicialmente, para os profissionais de saúde, como prevenção. O procedimento é usado em casos de acidentes de trabalho, em que os profissionais são expostos a materiais contaminados ou que têm a luva perfurada por objetos cortantes no trato com paciente soropositivo. Em 2011, a PEP foi estendida para vítimas de violência sexual e, em 2012, a profilaxia foi ampliada a qualquer acidente sexual, como o não uso ou rompimento do preservativo.

Como novidades, o novo documento apresenta a recomendação de esquema único de antirretrovirais para todos os tipos de PEP e a redução do tempo de acompanhamento dos pacientes, de seis para três meses. Outra proposta apresentada pelo documento é a extinção das diferentes categorias de profilaxia (acidente ocupacional, violência sexual e PEP sexual) para um só tipo de PEP e o estabelecimento de critérios objetivos para indicação de PEP. Estas medidas simplificarão a prescrição da profilaxia.

Leia mais...

Escrever um comentário (0 Comentário)

Proqualis lança página sobre segurança do paciente no parto

Avaliação do Usuário

Estrela ativaEstrela ativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa

Proqualis materiaProqualis materiaO dia 28 de maiofoi o Dia Internacional de Luta pela Saúde da Mulher. Esta data integra a agenda nacional do Dia de Redução da Mortalidade Materna e foi criada para dar visibilidade ao 5º Objetivo de Desenvolvimento do Milênio (ODM), da Organização das Nações Unidas (ONU), que trata da melhoria da saúde materna. O prazo para o alcance da meta de redução da morte materna em 75% encerra-se neste ano, mas vários países, inclusive o Brasil, estão longe de atingi-la.

Apesar do muito que já se avançou no Brasil em relação à atenção ao parto, há ainda um longo caminho a ser percorrido. Nesse sentido, o Proqualis, vinculado ao Instituto de Comunicação e Informação Científica e Tecnológica em Saúde (Icict/Fiocruz), lança em seu portal a página Parto e Nascimento, com o objetivo de contribuir com a disseminação de conteúdos relevantes para a melhoria da qualidade do cuidado e para a promoção de práticas seguras nesta área.

No novo espaço, o profissional de saúde vai encontrar uma oferta de conteúdos que podem contribuir em diversos níveis de atenção à gestante. Todo material foi selecionado criteriosamente para proporcionar oportunidade de atualização na atenção obstétrica e perinatal. Um amplo conjunto de materiais está disponível, desde artigos recentemente publicados até protocolos, normas, vídeos, aulas, iniciativas e experiências nacionais e internacionais exitosas. “Esperamos que o conteúdo da página venha inspirar profissionais e gestores para o desenvolvimento de iniciativas efetivas voltadas para a melhoria da saúde materna”, diz a pesquisadora Lenice da Costa Reis, que colaborou para a construção da página.

Leia mais...

Escrever um comentário (0 Comentário)

Lei proíbe fumo em locais parcialmente fechados

Avaliação do Usuário

Estrela ativaEstrela ativaEstrela ativaEstrela ativaEstrela ativa

Em vigor desde dezembro de 2014, a nova Lei Nacional Antifumo além de proibir fumar em locais totalmente fechados, também impede o fumo nos ambientes parcialmente fechados em qualquer um de seus lados por uma parede, divisória, teto ou toldo. A nova regulamentação extingue os fumódromos. O tabagismo passivo é responsável por pelo menos sete mortes diárias no Brasil e custa aos cofres públicos cerca de R$ 37,4 milhões anuais - R$ 19,1 milhões com tratamentos e internações no Sistema Único de Saúde e R$ 18,3 milhões com o pagamento de benefícios e pensões às famílias das vítimas.

Responsável por cerca de 6 milhões de mortes por ano em todo o mundo, o tabagismo pode chegar a matar 8 milhões de pessoas em 2030, caso não sejam implantadas medidas para conter o avanço do fumo no planeta. No Brasil, no entanto, o número de fumantes permanece em queda. Segundo dados do Vigitel 2014, atualmente, 10,8% dos brasileiros ainda mantém o hábito de fumar – o índice é maior entre os homens (12,8%) do que entre as mulheres (9%). Os números representam uma queda de 30,7% no percentual de fumantes nos últimos nove anos. Em 2006, 15,6% dos brasileiros declaravam consumir o produto. A redução no consumo é resultado de uma série de ações desenvolvidas pelo Governo Federal para combater o uso do tabaco.

Desde a publicação da Lei, os estabelecimentos possuíam 180 dias para se adequar as novas regras. O prazo vence em junho e a partir daí serão fiscalizados e poderão receber advertência, multas (que podem chegar a R$ 1,5 milhão quando descumprirem as normas sanitárias), interdição e cancelamento da autorização de funcionamento. A Lei vale também para áreas comuns de condomínios e clubes.

Leia mais...

Escrever um comentário (0 Comentário)