Alto contraste: A A Aumentar fonte: A | A | A
Assine o nosso feed de notícias: RSS

Mais Médicos | Município de Goiás recebe primeiros médicos inscritos no edital 2015

Avaliação do Usuário

Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa

Com o edital de 2015 do Programa Mais Médicos, o município de Morrinhos, em Goiás, já recebeu três profissionais de saúde que já começaram a atuar em Unidades de Saúde da Família. A cidade conta com aproximadamente 44 mil habitantes e ainda aguarda o preenchimento de duas vagas.

O edital do programa, este ano, abriu uma nova oportunidade para 1.500 municípios e garantiu a incorporação de 100% das vagas do Programa de Valorização do Profissional da Atenção Básica (Provab), o que assegura às prefeituras a permanência de médicos na Atenção Básica de suas cidades, uma vez que a iniciativa só durava um ano. Carlos Alexandre Teodoro da Silva, 33 anos, formou-se inicialmente em odontologia e, posteriormente, decidiu cursar medicina. O médico já atuava profissionalmente pelo Programa Saúde da Família em Joviânia, também em Goiás, e agora optou por participar do Programa Mais Médicos. “O programa dá uma estabilidade melhor. Hoje meu plano é permanecer no programa por pelo menos dois anos e depois tentar fazer a prova de residência, além de fazer especialização em saúde da família”, explica Carlos Alexandre.

Para o secretário Municipal de Saúde de Morrinhos, André Mattos, o Programa Mais Médicos atrai médicos para as cidades mais afastadas dos centros e evita a falta de profissionais nas unidades de saúde. “O Programa Mais Médicos foi uma boa ideia do Governo Federal para poder ajudar os pequenos e médios municípios do Brasil, visto que nós temos uma certa dificuldade em trazer médicos das grandes cidades para o interior. O Ministério da Saúde tem ajudado muito os nossos municípios com o Mais Médicos”, ressalta o secretário André Mattos.

Leia mais...

Escrever um comentário (0 Comentário)

Into recomenda prevenção diária da LER

Avaliação do Usuário

Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa

Crédito: Piotr AdamowiczCrédito: Piotr AdamowiczNo Dia Internacional de Prevenção às Lesões por Esforço Repetitivo (LER) e aos Distúrbios Osteomusculares Relacionados ao Trabalho, lembrado neste sábado, 28 de fevereiro, o Instituto Nacional de Traumatologia e Ortopedia Jamil Haddad (Into) chama a atenção para os cuidados no dia a dia para evitar danos aos tendões e aos músculos causados pela sobrecarga e pelo estresse no trabalho.

O operador de telemarketing, o bancário, a secretária e o auxiliar de escritório são algumas das profissões que mais apresentam o problema. As lesões mais comuns são as tendinites de punho e ombro e a epicondilite de cotovelo, que estão diretamente relacionadas ao uso de computadores. Há ainda casos de pessoas que apresentam bursite na região dos quadris. No lazer, as inflamações costumam ocorrer pela prática esportiva, como o tênis.

O ortopedista e médico do trabalho, Eduardo Branco, explica que na maioria dos casos a pessoa tem uma postura inadequada e não faz a pausa necessária para descansar e se recuperar da lesão ainda no início. “O profissional deve descansar, pelo menos, por dez minutos a cada 50 de atividade laborativa. Com o repouso adequado, o músculo e o tendão descansam e a pessoa se sente melhor, evitando o agravamento do problema”.

Leia mais...

Escrever um comentário (0 Comentário)

Ministério da Saúde apresenta ação para combater desnutrição em creches

Avaliação do Usuário

Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa

O ministro da Saúde, Arthur Chioro, e a ministra de Desenvolvimento Social e Combate à Fome, Tereza Campello, participam nesta segunda-feira (2/3), em Niterói, do lançamento nacional do NutriSUS, estratégia de fortificação que beneficiará crianças matriculadas em creches integrantes do Programa Saúde na Escola (PSE). A iniciativa tem como objetivo prevenir a anemia e controlar as carências nutricionais na infância. Durante a visita ao município carioca, o ministro também participará da inauguração da Unidade de Saúde da Família (USF) José Antonio Echeverria Biachi.

Lançamento Nacional da Estratégia Nutrisus

Data: 2 de março (segunda-feira)
Horário: 10h
Local: Creche Professora Odete Rosa da Mota – Estrada Francisco da Cruz Nunes, s/nº - Itaipu – Niterói (RJ)

Inauguração da Unidade de Saúde da Família - USF José Antonio Echeverria Biachi

Data: 02 de março (segunda-feira)
Horário: 14h30
Local: Rua Lions Clun 37- Bairro de Santa Rosa – Niterói (RJ)

Fonte: Agência Saúde

Escrever um comentário (0 Comentário)

Ministério da Saúde recepciona profissionais do Programa Mais Médicos em Santa Catarina

Avaliação do Usuário

Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa

SELO 2SELO 2O secretário de Gestão do Trabalho e da Educação na Saúde do Ministério da Saúde, Hêider Pinto, participa nesta segunda-feira (2/3), em Florianópolis (SC), do acolhimento aos médicos com registro no Brasil que começarão a atuar no Programa Mais Médicos. Na ocasião, serão apresentadas aos profissionais informações sobre o funcionamento do programa. O secretário também divulgará o balanço das primeiras etapas de seleção.

Acolhimento dos profissionais com CRM Brasil do Programa Mais Médicos

Data: 2 de março (segunda-feira)
Horário: 14h
Local: Auditório do Tribunal de Contas do Estado – Rua Bulcão Viana, nº 90 – Centro – Florianópolis/SC

Fonte: Agência Saúde

Escrever um comentário (0 Comentário)

Ministério da Saúde e Anvisa anunciam novo cálculo para ajuste de preço de medicamentos

Avaliação do Usuário

Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa

O cálculo feito para reajustar os preços de medicamento em todo o país passará por mudanças. O Ministério da Saúde e a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) anunciam nesta sexta-feira (27) a definição de novos critérios para melhor adequar o índice à realidade do mercado farmacêutico, favorecendo a concorrência. A expectativa é que o percentual médio de reajuste fique abaixo da inflação, que o índice seja menor em relação ao que seria calculado com a regra anterior e que mais medicamentos tenham o menor reajuste de preço. Além disso, cada um dos fatores terá uma data fixa para ser divulgado, dando maior transparência ao processo, segurança e previsibilidade ao setor.

Para o ministro da Saúde, Arthur Chioro, a nova metodologia, ao reduzir o percentual de ajuste do preço, trará um impacto expressivo nos gastos com medicamentos no país. “A expectativa é ter uma redução na ordem de R$ 100 milhões, em um ano, para o mercado geral de medicamentos do país, para as famílias, governos e prestadores de serviços que compram medicamento”, afirma. Entre os avanços da medida está o maior acompanhamento deste setor. “Como é um mercado muito dinâmico, a nova regulação permite fazer um monitoramento melhor. A partir de agora, a atualização de dados por parte da indústria será semestral, o que vai facilitar o monitoramento de mudanças e tendências no mercado”, destacou o secretário de Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos do Ministério da Saúde, Jarbas Barbosa.

O percentual de reajuste será divulgado pela Câmara de Regulação do Mercado de Medicamentos no dia 31 de março, após a publicação oficial do Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), como prevê a regra.
As mudanças incluíram sugestões da consulta pública realizada pela Câmara de Regulação do Mercado de Medicamentos (CMED) em 2014, com a participação de entidades que representam mais de 150 indústrias farmacêuticas, e cuja resolução será publicada no Diário Oficial da União de segunda-feira (2). São considerados para o cálculo de ajuste anual, a inflação do período (de março de 2014 até fevereiro de 2015), produtividade da indústria, variação de custos dos insumos e concorrência dentro do próprio setor.

MENOR IMPACTO NO CONSUMIDOR – Um dos principais impactos da mudança é a redução do rol de medicamentos sujeitos ao maior reajuste de preço, diminuindo o peso no bolso do consumidor. Do total, 21,57% dos medicamentos regulados terão o maior reajuste. Esse grupo, composto por medicamentos de maior concorrência e que, por isso, tendem a manutenção de preços mais baixos, representa 21,57% dos medicamentos regulados e também os de menor preço e custo tecnológico.

Leia mais...

Escrever um comentário (0 Comentário)