Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro
Página inicial > Combate ao Aedes > Moradores de Maceió podem denunciar focos do Aedes pelo telefone
Início do conteúdo da página
Combate ao Aedes
  • publicado
  • Publicado: Quarta, 20 de Janeiro de 2016, 08h08
  • Última atualização: 22/01/16 17h05

Moradores de Maceió podem denunciar focos do Aedes pelo telefone

Agente Comunitários de Endemia visitam as casas de Maceió (AL) Foto: Pei Fon/ Secom MaceióAgente Comunitário de Endemia visita casa em Maceió (AL) Foto: Pei Fon/ Secom MaceióPara ampliar o cuidado na proliferação de focos do mosquito Aedes aegypti transmissor de dengue, zika e chikungunya, os moradores de Maceió (AL) contam com um número de telefone para denúncias. O Disque Dengue recebe informações sobre situações de risco – como piscinas sem uso com água acumulada ou casas abandonadas – para que as equipes de Agente de Combate a Endemias (ACE) tomem providências. As denúncias também podem ser feitas por mensagem de texto. O serviço funciona de segunda a sexta-feira das 7h30 às 17h30 nos telefones (82) 3315-5360 e (82) 3221-2523.

A coordenadora de Controle de Vetores e Doenças Transmitidas por Animais Peçonhentos, Carmem Samico, ressalta que todas as informações repassadas pelos moradores das localidades afetadas por possíveis focos do mosquito são registradas e protocoladas. Isso possibilita ao usuário acompanhar o andamento das ações realizadas em relação à denúncia. “O serviço já tem mais de dois anos, mas com o apoio na divulgação, neste ano, o número de denúncias aumentou bastante. Desde 4 de janeiro já recebemos 174 relatos. E destes, 85 já foram apurados. Qualquer situação em que haja foco do mosquito pode ser denunciada, seja na rua ou em alguma propriedade particular”, esclarece.

O Disque Dengue ajuda muito na localização dos focos, principalmente em locais de difícil acesso. “Em Maceió
Maceió - Disque Denguetemos um grande problema com as casas de veraneio. Em muitos destes imóveis, os donos vem para a cidade uma ou duas vezes no ano. Por isso, as casas geralmente estão fechadas. A denúncia ajuda a identificar os focos nestes locais com mais rapidez”, explica Carmem. Para entrar nestas residências fechadas é necessário autorização judicial.

Paralelamente ao serviço de denúncia, a Secretaria Municipal de Saúde tem seguido com as ações rotineiras de campo e realizado mutirões com a participação de diversas equipes. Nesses mutirões, 80 agentes de endemias contam com o apoio de 30 soldados do Exército para inspecionar residências, espaços públicos e pontos comerciais, orientar os moradores e realizar o tratamento focal com larvicidas.

Fonte: Gabriela Rocha/ Blog da Saúde

Fim do conteúdo da página