Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro
Página inicial > Combate ao Aedes > Diretora - geral da OMS elogia ações brasileiras no combate ao aedes
Início do conteúdo da página
Combate ao Aedes
  • publicado
  • Publicado: Quarta, 24 de Fevereiro de 2016, 18h44
  • Última atualização: 24/02/16 18h45

Diretora - geral da OMS elogia ações brasileiras no combate ao aedes

IMG 0347“O mosquito é teimoso, mas ele não vai vencer o Brasil”, foi com esta mensagem de incentivo que a diretora-geral da Organização Mundial da Saúde (OMS), Margaret Chan, encerrou a conversa com jornalistas antes de participar de uma reunião com autoridades brasileiras nesta terça-feira (23).

Chan veio ao Brasil acompanhar o trabalho do Governo Federal no combate ao mosquito Aedes aegypti. Além dos encontros em Brasília (DF), a diretora foi ao Rio de Janeiro visitar as instalações do Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) e ao Recife conhecer o Instituto Materno Infantil de Pernambuco (IMIP). Voltado para o atendimento da população carente, o Complexo Hospitalar do IMIP é reconhecido como uma das estruturas hospitalares mais importantes do País, sendo centro de referência assistencial em diversas especialidades médicas, inclusive no atendimento infantil.

 Ainda durante a coletiva de imprensa, Chan elogiou o trabalho de enfrentamento ao vetor que o Brasil tem desempenhado. “Nunca tinha visto um envolvimento, liderança tão forte de um presidente para com um problema como esse, tanto em relação à velocidade das suas ações quanto à seriedade e nível de envolvimento”, destacou.

O ministro da Saúde, Marcelo Castro, reiterou a disposição do Brasil na divulgação e troca de informações para o desenvolvimento de novas tecnologias relacionadas às doenças transmitidas pelo Aedes. “Estamos abrindo todas as nossas informações para a Organização Mundial da Saúde. Desde o primeiro momento, o Brasil tem sido o mais transparente possível e trabalhado para estabelecer parcerias, que, aliás, contamos com o apoio da OMS”.

Rio 2016 – As Olimpíadas também foram tópico da conversa de Margaret Chan com os jornalistas. “Estamos em fevereiro e temos até agosto, para que o governo brasileiro realize todas as ações previstas para que o Brasil fique seguro não só para os atletas, mas também para todos que vierem ao país para assistir aos jogos olímpicos”.

Vale ressaltar que o período em que serão realizadas as Olimpíadas é considerado não endêmico para transmissão de doenças causadas pelo Aedes aegypti, como Zika, dengue e chikungunya. Em 2015, agosto foi o mês com menor incidência de casos de dengue no país. O Governo brasileiro está integralmente empenhado em garantir que os Jogos Rio 2016 transcorram com segurança e tranquilidade.

Fonte: Blog da Saúde

Foto: Thamyres Ferreira/MS

Fim do conteúdo da página