Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro
Página inicial > Combate ao Aedes > Mutirão combate o mosquito Aedes aegypti em Belém
Início do conteúdo da página
Combate ao Aedes
  • publicado
  • Publicado: Sexta, 26 de Fevereiro de 2016, 10h25
  • Última atualização: 26/02/16 10h43

Mutirão combate o mosquito Aedes aegypti em Belém

34b63b06-1d41-47bc-b0d0-a3e328d053bcA força-tarefa foi convocada pelo grupo de trabalho criado pela instituição para desenvolver ações de conscientização e combate ao Aedes aegyptiUm mutirão de combate ao mosquito Aedes aegypti percorreu as ruas de Belém na última terça-feira (23). A força-tarefa envolveu diretores e servidores da Superintendência do Desenvolvimento da Amazônia (Sudam), que realizaram ações de conscientização e de combate ao mosquito, vetor de transmissão da dengue, chikungunya e zika.

A programação incluiu panfletagem nas ruas e visitas a residências, escolas e empresas nas proximidades da Sudam. Dividido em quatro frentes de trabalho, o grupo levou cartazes e orientou moradores sobre as formas de prevenção e combate. Focos do mosquito foram identificados em vários pontos da região, alguns em estágio avançado de reprodução, em uma borracharia, em um lava-jato e em bueiros.

Os agentes de endemias da Secretaria Municipal de Saúde que acompanharam a ação eliminaram aplicaram larvicidas nos locais e explicaram os procedimentos a serem adotados para evitar o surgimento de novos criadouros.

A ação foi bem recebida pela população, que ouviu atentamente às equipes de trabalho e reconheceu a importância de intensificar o combate. "É preciso o envolvimento de todos. As pessoas precisam se ainda conscientizar mais", opinou o comerciante Dayan Amorim.

O superintendente Paulo Roberto Correia, que participou do mutirão, destacou a importância da atividade. "É um dia simbólico, mas muito importante para cada um de nós, pois representa uma oportunidade de ajudar a evitar a contaminação dos nossos vizinhos, amigos e familiares", comentou.

A força-tarefa contou com o apoio de instituições como a Secretaria Estadual de Saúde, Corpo de Bombeiros, Defesa Civil e Instituto Evandro Chagas. Um estande de informações foi montado na entrada do órgão para receber as pessoas interessadas em saber mais sobre o Aedes aegypti e as doenças transmitidas pelo mosquito.

Fonte: Ministério da Integração

Fim do conteúdo da página