Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro
Início do conteúdo da página
Geral
  • publicado
  • Publicado: Quarta, 21 de Janeiro de 2015, 17h29
  • Última atualização: 21/01/15 17h35

Cerca de 1600 partos normais já foram realizados na Mansão do Caminho em Salvador

Centro de Parto Normal da Mansão do CaminhoPara realizar o parto normal, as unidades de saúde da rede pública precisam ter ambiente, espaço físico e equipamentos adequados e profissionais de saúde qualificados. Um exemplo de local que reúne tudo isso é o Centro de Parto Normal da Mansão do Caminho da cidade de Salvador, que há três anos atende gestantes da capital da baiana. O Centro de Parto é o primeiro centro de parto normal da Rede Cegonha de Salvador, programa do Ministério da Saúde que dá assistência às mães e bebês da rede pública de saúde, e já realizou cerca de 1600 partos normais desde que foi inaugurada, em 2012. A equipe do Centro de Parto é formada por médicos, enfermeiras obstétricas e técnicos de enfermagem.

Para a gestante ser atendida no Centro de Parto, é preciso apresentar laudo médico atestando que a mulher pode ter o bebê de parto normal. O Centro de Parto é reconhecido pelo Ministério da Saúde e preenche todos os requisitos necessários para o funcionamento. O médico do Centro de Parto,José Luis Gaspar, explica os benefícios do parto normal para as gestantes e também para o bebê. "Normal é o parto via natural. O parto normal é fisiológico, é da natureza humana. O parto normal permite o contato pele a pele, ele permite o aleitamento de primeira hora, ele permite que a mulher participe de forma mais ativa, é uma ação da mulher, é poder da mulher. O aleitamento é mais rápido, ela pode andar logo após o parto, não separa mãe de bebê nem bebê de mãe".

A dona de casa Daiane Santos da Silva, por exemplo, escolheu o parto normal depois de ouvir a experiência de amigas que tiveram filho de maneira mais natural. "Foram bastante atenciosos. Cheguei aqui era mais ou menos duas horas da manhã eles mandaram eu ficar caminhando, fiquei internada. E foi maravilhoso. Até hoje estão sendo atenciosos comigo. Eles me ajudaram a fazer exercício, me colocaram numa sala que tinha bola, cavalinho e foi esse exercício que me ajudou bastante. Uma mulher também, doula, fez massagem nas minhas costas, me colocou no banheiro, tomei banho de água quente. Fiquei tranquila. Foi maravilhoso. Gostei bastante".

 

O parto normal reduz os riscos desnecessários para saúde tanto da mãe quanto do bebê. É o que explica o ministro da Saúde, Arthur Chioro. "O parto normal é parto não cirúrgico, é o parto que a mulher desenvolve o trabalho de parto, ela entra num trabalho fisiológico, que dá mais proteção, que diminui as internações durante longo período nas UTI's por prematuridade desses bebês. Porque isso é decisivo para diminuir a mortalidade infantil, para diminuir a prematuridade, mas acima de tudo, dar o direito às mulheres e aos seus bebês de terem um nascimento com dignidade".

Em janeiro deste ano, o Ministério da Saúde e a ANS, Agência Nacional de Saúde Suplementar, estabeleceram novas regras para aumentar o número de parto normal no país e consequentemente reduzir o número de cesarianas desnecessárias na saúde suplementar

Fonte: Karina Chagas/ Agência Saúde

Registrado em:
Adicionar Comentário

Comentários

  • Nenhum comentário encontrado
Fim do conteúdo da página