Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro
Início do conteúdo da página

Geral
  • não publicado
  • Publicado: Quinta, 30 de Outubro de 2014, 14h47
  • Última atualização: 05/11/15 15h58

Ministério da Saúde realiza campanha de vacinação contra o sarampo e a paralisia infantil

Erasmo Salomão/MSPara manter a erradicação da poliomielite e garantir a eliminação do sarampo no Brasil, o Ministério da Saúde lança nesta quinta-feira (28 ) a Campanha Nacional de Vacinação, que terá início no dia 8 de novembro de 2014. A expectativa do Ministério da Saúde é de que mais de 11 milhões de crianças sejam vacinadas até o dia 28 de novembro. Neste ano, o Dia D de Mobilização Nacional será realizado em dois momentos: no primeiro dia da campanha, 8 de novembro, e no dia 22. A meta é atingir a cobertura vacinal de 95% do público-alvo.

A vacinação contra a poliomielite – responsável pela paralisia infantil – terá como população-alvo crianças de seis meses até menores de cinco anos. A expectativa é vacinar mais de 12,7 milhões de crianças em todo o país. O Ministério da Saúde distribuirá cerca de 17,8 milhões de doses da vacina oral poliomielite (VOP) – vacina em gotas – que será utilizada prioritariamente. No entanto, é recomendada às Coordenações Estaduais de Imunizações a disponibilização da vacina inativada poliomielite (VIP), que é injetável, para as crianças acima de seis meses que estão com esquema vacinal atrasado.

Já a vacina tríplice viral, destinada à vacinação contra sarampo, caxumba e rubéola, será aplicada em crianças de um ano a menores de cinco anos. A estimativa é promover a vacinação de 10,9 milhões de crianças. O Ministério da Saúde distribuirá cerca de 12,5 milhões de doses da vacina. A campanha de seguimento contra o sarampo será realizada em todos estados e no Distrito Federal. No estado do Ceará e em alguns municípios de Pernambuco a vacinação foi antecipada para interromper a cadeia de transmissão do vírus devido ao registro de casos da doença em 2013 e 2014.

 A vacina oral poliomielite (VOP) é segura e são raras as reações associadas ao seu uso nas duas primeiras doses do esquema básico. Com a introdução da vacina inativada poliomielite (VIP) em 2012 substituindo estas duas primeiras doses, o risco é considerado baixíssimo. Quanto à vacina tríplice viral, são poucas as reações como febre ou dor no local da administração, sendo geralmente bem toleradas.

Para a realização da campanha, estarão disponíveis mais de 100 mil postos espalhados por todo o país, 350 mil profissionais de saúde e 42 mil veículos (terrestres, marítimos e fluviais). Para que sejam cumpridas todas as fases da imunização, as vacinas contra a poliomielite, o sarampo, rubéola e caxumba continuam disponíveis durante todo o ano nos postos de saúde do Sistema Único de Saúde.

POLIOMIELITE NO BRASIL - O Brasil está livre da poliomielite desde 1990. Desde então, não houve novos casos registrados e, em 1994, o país recebeu da Organização Pan-Americana de Saúde (OPAS) a Certificação de Área Livre de Circulação do Poliovírus Selvagem em seu território.

A continuidade das campanhas de vacinação é fundamental para evitar a reintrodução da doença no país, uma vez que dados da Organização Mundial de Saúde (OMS) demonstram que entre 2013 e 2014, 10 países registraram casos da doença e três deles são considerados endêmicos (Paquistão, Nigéria e Afeganistão).

A poliomielite é uma doença infectocontagiosa grave. Na maioria dos casos, a criança não vai a óbito quando infectada, mas adquire sérias lesões que afetam o sistema nervoso, provocando paralisia irreversível, principalmente nos membros inferiores. A doença é causada pelo poliovírus e a infecção se dá, principalmente, por via oral.

SARAMPO - Os últimos casos de contágio autóctone de sarampo no Brasil ocorreram em 2000 e, desde então, os casos registrados foram importados ou relacionados à importação. Em 2013 e 2014, foram registrados casos importados no país, com concentração em Pernambuco e Ceará. No mundo, em 2014, foram registrados 160 mil casos da doença e com o fluxo de turismo e comércio entre os países o risco de contaminação se eleva.

O sarampo é uma doença viral aguda grave e altamente contagiosa. Os sintomas mais comuns são febre alta, tosse, manchas avermelhadas, coriza e conjuntivite. A transmissão ocorre de pessoa a pessoa, por meio de secreções expelidas pelo doente ao tossir, falar ou respirar. As complicações infecciosas contribuem para a gravidade do sarampo, particularmente em crianças desnutridas e menores de um ano de idade. A única forma de prevenção é por meio da vacina.

CAMPANHA- A campanha publicitária que começara a ser veiculada na primeira semana de novembro trará o personagem Zé Gotinha com referências de personagens conhecidos do público infantil como a Peppa Pig e os Minions, além de se inspirar também nos mangás, histórias em quadrinhos de origem japonesa. A campanha será veiculada em rádio, televisão, internet, cartazes e também em Digital Out Of Home (DOOH - vídeos utilizados em elevadores, aeroportos e ônibus).

O Ministério da Saúde acaba de atualizar o aplicativo Vacinação em Dia para tablets e smartphones lançado em 2013. A ferramenta é uma forma fácil, moderna e ágil de acompanhar o calendário vacinal. Na nova versão estão disponíveis todas as vacinas ofertadas pelo SUS e o usuário poderá cadastrar até 10 carteiras de vacinação. A partir da inserção da primeira vacina no calendário, o aplicativo calcula quando o usuário deve comparecer novamente para uma nova imunização e envia um lembrete por mensagem. A atualização no Android, versão 2.2.3 ou superior, já está disponível no Google Play e no IOS, versão 7 ou superior, a partir de novembro.

DISTRIBUIÇÃO DE DOSES PARA CAMPANHA DE VACINAÇÃO – POLIOMIELITE E SARAMPO

UF

Público-Alvo (Poliomielite)

Doses (Poliomielite)

Público-Alvo (Sarampo)

Doses (Sarampo)

Rondônia

118.180

165.500

104.911

118.000

Acre

72.867

102.100

64.520

72.600

Amazonas

344.642

482.500

305.934

344.100

Roraima

45.462

63.700

40.160

45.200

Pará

663.733

929.200

594.799

668.900

Amapá

65.525

91.800

58.079

65.400

Tocantins

111.804

156.500

99.572

112.000

NORTE

1.422.213

1.991.300

1.267.975

1.426.200

Maranhão

562.702

787.800

504.652

605.600

Piauí

222.359

311.300

198.328

238.000

Ceará

573.429

802.800

509.957

31.100

Rio Grande do Norte

214.034

299.600

190.497

228.600

Paraíba

262.008

366.800

233.567

280.300

Pernambuco

625.552

875.800

218.479

299.300

Alagoas

243.997

341.600

217.725

261.300

Sergipe

152.355

213.300

135.285

162.400

Bahia

965.456

1.351.500

860.366

1.032.500

NORDESTE

3.821.892

5.350.500

3.068.856

3.139.100

Minas Gerais

1.163.749

1.629.000

1.033.633

1.240.400

Espírito Santo

227.682

318.800

201.248

241.500

Rio de Janeiro

927.069

1.297.900

815.629

978.800

São Paulo

2.527.814

3.538.800

2.219.361

2.663.300

SUDESTE

4.846.314

6.784.500

4.269.871

5.124.000

Paraná

657.284

920.100

580.213

696.300

Santa Catarina

377.717

528.700

333.258

400.000

Rio Grande do Sul

596.093

834.400

526.498

631.800

SUL

1.631.094

2.283.200

1.439.969

1.728.100

Mato Grosso do Sul

179.051

250.700

157.909

189.500

Mato Grosso

225.624

315.900

199.962

240.000

Goiás

409.009

572.600

362.326

434.800

Distrito Federal

182.211

255.100

160.462

192.600

CENTRO OESTE

995.895

1.394.300

880.659

1.056.900

BRASIL

12.717.408

17.803.800

10.927.330

12.474.300

Fonte: Camila Bogaz/ Agência Saúde

Registrado em:
Adicionar Comentário

Facebook

Twitter

Fim do conteúdo da página