A exibição do player de áudio desta página depende de javascript. Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro
Início do conteúdo da página

Geral
  • não publicado
  • Publicado: Segunda, 22 de Dezembro de 2014, 12h11
  • Última atualização: 22/12/14 12h11

SARAMPO E PÓLIO: Estados que não atingiram a meta devem continuar vacinando

A campanha de vacinação contra o sarampo e a paralisia infantil deve ser prorrogada até o dia 31 de dezembro nos estados e municípios que não atingiram a meta de vacinar 95% das crianças. A orientação é do Ministério da Saúde e tem o objetivo de proteger um milhão e quinhentas mil crianças contra a paralisia infantil e um milhão e oitocentas mil contra sarampo, que ainda não foram vacinadas.

O secretário de Vigilância em Saúde do Ministério da Saúde, Jarbas Barbosa, chama a atenção de pais e responsáveis para a prevenção dessas doenças: "Para a criança ficar protegida, ela tem que estar vacinada, além da vacina que é feita na rotina, com essa vacina da campanha. Por isso, a família que ainda não levou não pode perder essa oportunidade, tem que levar o mais rápido possível numa unidade de saúde, um posto de saúde ou um centro de saúde e vacinar sua criança menor de cinco anos contra a poliomielite e o sarampo."

A campanha de vacinação busca manter o Brasil livre da poliomielite, que não apresenta casos desde 1990, bem como garantir a eliminação do sarampo. Isso porque essas doenças permanecem em outras partes do mundo e correm o risco de ser reintroduzidas no Brasil, conforme explica o secretário de Vigilância em Saúde do Ministério da Saúde, Jarbas Barbosa: "Nós temos ainda países da Ásia e da África em que ocorrem casos de poliomielite e um viajante, seja um brasileiro que vai a um desses países ou seja um estrangeiro que venha ao nosso país, pode trazer o vírus da pólio. O sarampo, apesar de não haver mais no Brasil e nas américas, ainda tem muito sarampo ocorrendo na Europa, na Ásia e na África. Principalmente, agora no verão com a chegada de turistas, com a grande movimentação de pessoas, é muito provável que venham turistas de países que têm casos de sarampo."

Devem tomar a vacina contra a paralisia infantil crianças entre seis meses e cinco anos de idade incompletos. Já a vacina contra o sarampo é recomendada para crianças entre um e cinco anos incompletos. Pais que têm filhos com alergia ao leite de vaca devem informar o caso ao profissional da sala de vacinação. As vacinas contra essas doenças estão disponíveis em 35 mil postos espalhados pelo país.


Fonte: Ana Cláudia Amorim/ Agência Saúde

Registrado em:
Adicionar Comentário

Comentários

  • Nenhum comentário encontrado

Facebook

Twitter

Instagram

TV Saúde

Web Rádio Saúde

TUBERCULOSE: Ministério da Saúde lança Plano Nacional para enfrentar a doença 

Flickr Saúde

Central de Arquivos

Julho 2017
Seg Ter Qua Qui Sex Sab Dom
26 27 28 29 30 1 2
3 4 5 6 7 8 9
10 11 12 13 14 15 16
17 18 19 20 21 22 23
24 25 26 27 28 29 30
31 1 2 3 4 5 6
Fim do conteúdo da página