Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro
Início do conteúdo da página

Geral
  • publicado
  • Publicado: Segunda, 26 de Janeiro de 2015, 13h58
  • Última atualização: 26/01/15 13h58

Cerca de 1000 partos normais já foram realizados na Maternidade de Juazeiro

Para realizar o parto normal, as unidades de saúde da rede pública precisam ter ambiente, espaço físico e equipamentos adequados e profissionais de saúde qualificados. Um exemplo de local que reúne tudo isso é o Centro de Parto Normal da Maternidade Municipal de Juazeiro, no Ceará, que há um ano foi habilitado pelo Ministério da Saúde e atende mulheres grávidas. O Centro de Parto já realizou cerca de 1000 partos normais desde que foi inaugurada. A equipe do Centro de Parto é formada por médicos, enfermeiras obstetras e técnicos de enfermagem.

Para a gestante ser atendida no Centro de Parto, é preciso apresentar laudo médico atestando que a mulher pode ter o bebê de parto normal. O Centro de Parto é reconhecido pelo Ministério da Saúde e preenche todos os requisitos necessários para o funcionamento. A enfermeira obstetra do Centro de Parto,Maria José Gonçalves, explica que tanto durante quanto depois do parto, todo o procedimento é realizado de maneira natural. "A gente procura fazer o mais natural possível, sem o uso de nenhum método farmacológico, o máximo natural, atrás dos exercícios facilitadores. Onde essa mulher retorna para casa sem nenhum problema. Todas as orientações do aleitamento exclusivo. Após o nascimento, a gente coloca o recém-nascido, no primeiro minuto, já em contato pele a pele, incentivando, colocando no peito, para a primeira mamada. Ele fica totalmente em contato com a mãe por uma hora no mínimo. A gente espera tudo que aconteça naturalmente".

A estudante, Ana Flávia do Nascimento, por exemplo, teve seu primeiro filho neste mês de janeiro no centro de parto da Maternidade Municipal de Juazeiro. Ela conta que gostou muito do atendimento dos profissionais de saúde durante o trabalho de parto. "Elas me ajudavam faziam o que podiam para a dor passar. Mandaram eu ficar andando, porque ajudava. Sempre estavam ali para o que eu precisava. Foi bom. Gostei sim".
O parto normal reduz os riscos para saúde tanto da mãe quanto do bebê. É o que explica o ministro da Saúde, Arthur Chioro. "O parto normal é parto não cirúrgico, é o parto que a mulher desenvolve o trabalho de parto, ela entra num trabalho fisiológico, que dá mais proteção, que diminui as internações durante longo período nas UTI's por prematuridade desses bebês. Porque isso é decisivo para diminuir a mortalidade infantil, para diminuir a mortalidade materna, para diminuir a prematuridade, mas acima de tudo, dar o direito às mulheres e aos seus bebês de terem um nascimento com dignidade".

 

Em janeiro deste ano, o Ministério da Saúde e a ANS, Agência Nacional de Saúde Suplementar, estabeleceram novas regras para aumentar o número de parto normal no país e consequentemente reduzir o número de cesarianas desnecessárias na saúde suplementar. 

Fonte: Karina Chagas/ Agência Saúde

Registrado em:
Adicionar Comentário

Comentários

  • Nenhum comentário encontrado

Facebook

Twitter

Fim do conteúdo da página