A exibição do player de áudio desta página depende de javascript. Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro
Início do conteúdo da página

Geral
  • publicado
  • Publicado: Quinta, 09 de Fevereiro de 2017, 08h00
  • Última atualização: 09/02/17 16h37

MS e coordenadores debatem as hepatites virais

 

dep.istO Departamento de Vigilância, Prevenção e Controle das Infecções Sexualmente Transmissíveis, do HIV/Aids e das Hepatites Virais (DIAHV) realiza nesta quarta-feira (8) e quinta-feira (9) a Reunião de Coordenadores de Programas Estaduais e Municipais (das capitais) de hepatites virais, em Brasília.

No primeiro dia, serão debatidos o panorama das hepatites virais no Brasil; as prioridades para 2017; a resposta do DIAHV à enquete realizada com as coordenações; a farmacovigilância do dolutegravir; o novo Protocolo Clínico e Diretrizes Terapêuticas (PCDT) para hepatites B e Delta; a capilaridade dos testes rápidos; a vacinação das hepatites A e B, além da IG humana específica anti-hepatite B; e o novo PCDT para hepatite C e coinfecções. No encerramento das atividades, os coordenadores de programas estaduais e municipais (capitais) de hepatites virais irão relatar as experiências em suas respectivas regiões.

 

Na abertura da reunião, o secretário de vigilância em saúde, Adeilson Loureiro Cavalcante, destacou a evolução tecnológica nas hepatites virais. “O avanço na tecnologia criou novas condições para tratar o paciente e melhorar sua resposta”, afirmou. A participação das coordenações municipais e estaduais também foi ressaltada por Adeilson Cavalcante. “É importante que estados e municípios tenham seus resultados, que se preocupem com o diagnóstico. Os coordenadores estaduais e municipais são a força para garantir a vigilância, diagnóstico e tratamento das hepatites”.

A diretora do Departamento de Vigilância, Prevenção e Controle e das Infecções Sexualmente Transmissíveis, do HIV/Aids e das Hepatites Virais, Adele Benzaken, apresentou as prioridades do DIAHV para 2017, tais como o enfrentamento das hepatites na região Norte – especificamente da hepatite Delta – e de estender essa atenção para as demais regiões do país; a redução da transmissão vertical da hepatite B em ações conjuntas com as coordenações estaduais de hepatites virais; o monitoramento de cura e eficácia do tratamento da hepatite C. “São ações que dependem do apoio das coordenações municipais e estaduais. Quem faz acontecer são vocês, os coordenadores, que em suas respectivas regiões fortalecem as ações de saúde e nos fornecem informações atualizadas das hepatites virais”, afirmou.

PROGRAMAÇÃO – Na quinta-feira, 9, a reunião com os coordenadores irá debater os programas de IST/aids nos estados e capitais. Serão discutidos o panorama das IST/aids no país; as prioridades para 2017; a farmacalogia do dolutegravir; a resposta do DIAHV à enquete realizada com as coordenações; a capilaridade dos testes rápidos; a apresentação da evolução do SIMC; o fortalecimento às respostas de IST, HIV/aids e hepatites virais dos centros de testagem e aconselhamento, com ênfase na estratégia da Prevenção Combinada; a experiência de estados e municípios.

Na sexta-feira, 10, será realizada a Oficina de Aplicação do Qualiaids e Avaliação dos Resultados, com o objetivo de instruir os coordenadores estaduais e municipais na aplicação nacional do Qualiaids para avaliação da qualidade dos serviços ambulatoriais do SUS aos adultos vivendo com HIV/aids no Brasil.

Fonte: Departamento de Vigilância, Prevenção e Controle das IST, do HIV/Aids e das Hepatites Virais

 

Registrado em:
Adicionar Comentário

Comentários

  • Nenhum comentário encontrado

Facebook

Twitter

Instagram

TV Saúde

Web Rádio Saúde

CARNAVAL: Beber bastante líquido é fundamental para manter o corpo hidratado

Flickr Saúde

Central de Arquivos

Fevereiro 2017
Seg Ter Qua Qui Sex Sab Dom
30 31 1 2 3 4 5
6 7 8 9 10 11 12
13 14 15 16 17 18 19
20 21 22 23 24 25 26
27 28 1 2 3 4 5
Fim do conteúdo da página