A exibição do player de áudio desta página depende de javascript. Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro
Início do conteúdo da página

Geral
  • publicado
  • Publicado: Quarta, 17 de Maio de 2017, 19h34
  • Última atualização: 18/05/17 14h42

Ministério da Saúde lança vídeo contra a violência LGBT

Para marcar o dia 17 de maio – Dia Internacional de Combate à LGBTfobia, o DAGEP/SGEP e a Secretaria de Vigilância em Saúde do Ministério da Saúde lançam o vídeo ‘Notificação de Violências contra a População LGBT na Saúde’. O vídeo traz dados sobre a violência contra a população LGBT e visa incentivar a coleta dessas informações pelos serviços de saúde. Além disso, o material também tem como objetivo auxiliar profissionais a respeito do tema.

Entre os dados apresentados no vídeo, é possível verificar que no ano de 2016 foram notificados nos sistemas de saúde 240 mil casos de violência. Desses, 4.608 foram contra gays, lésbicas e bissexuais. Outros 4.070 registros foram contra travestis, mulheres transexuais, e homens transexuais. Já outros 865 casos foram motivados por homo, lesbo, bi e transfobia.  

Renata Sakai, analista técnica de políticas sociais do Ministério da Saúde, explica que essas informações são recebidas pela área de prevenção e vigilância de violências e acidentes, através de informações preenchidas na ficha de notificação dos sistemas de saúde, e que são importantes para identificar as motivações a populações mais vulneráveis, entre eles idosos, mulheres, crianças, população negra, e LGBT.

Além disso, a escolha da produção especialmente para a data que marca a luta contra a Homofobia teve motivos específicos para a área da saúde. “Muitas vezes os profissionais da saúde tem dificuldade em entender os conceitos relativos à orientação sexual, se é homossexual, é lésbica, gay, e com relação à identidade de gênero, se é mulher transexual, é homem transexual, travesti. E como essas informações são coletadas na ficha de notificação, os profissionais precisam entender esses conceitos para obter dados nacionais”.

A analista também acredita que com esse tipo de ação é possível enfrentar o problema da Homofobia e entender qual a realidade da violência contra a população LGBT. “Temos que mostrar que o SUS se preocupa, e que queremos enfrentar esse problema”, destaca.

Andrey Lemos, tecnologista em gestão de políticas públicas de saúde do Ministério da Saúde é um dos protagonistas do vídeo, e para ele, é importante garantir cada vez mais a efetivação dos princípios do SUS e respeitar a diversidade da população. “Hoje nós temos nas mídias sociais um aliado importante, e esses vídeos explicativos ajudam a fortalecer ações de educação tanto para gestores, quanto para trabalhadores e usuários da saúde”.

Notificações
A notificação de violência na saúde é diferente da denúncia da violência. Quando a pessoa procura um serviço de saúde e relata uma agressão, essa notificação feita na Unidade de Saúde é sigilosa. A pessoa deve ser orientada a procurar uma delegacia de polícia para fazer uma denúncia da violência que sofreu.

Dia Internacional de Luta
No 17 de maio de 1990, a Organização Mundial da Saúde – (OMS) retirou a homossexualidade da Classificação Estatística Internacional de Doenças e Problemas Relacionados com a Saúde (CID); em termos médicos, significa que a homossexualidade deixou de ser considerada patologia. Desde então essa data virou símbolo da luta para a ampliação dos Direitos Civis LGBT.

Aline Czezacki, para o Blog da Saúde

 

Registrado em:
Adicionar Comentário

Comentários

  • Nenhum comentário encontrado

Facebook

Twitter

Instagram

TV Saúde

Web Rádio Saúde

TUBERCULOSE: Ministério da Saúde lança Plano Nacional para enfrentar a doença 

Flickr Saúde

Central de Arquivos

Outubro 2017
Seg Ter Qua Qui Sex Sab Dom
25 26 27 28 29 30 1
2 3 4 5 6 7 8
9 10 11 12 13 14 15
16 17 18 19 20 21 22
23 24 25 26 27 28 29
30 31 1 2 3 4 5
Fim do conteúdo da página