A exibição do player de áudio desta página depende de javascript. Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro
Início do conteúdo da página

Geral
  • publicado
  • Publicado: Terça, 07 de Novembro de 2017, 09h00
  • Última atualização: 07/11/17 10h14

Cúpula Mundial se encerrou com passo no enfrentamento às hepatites virais

Declaração de São Paulo reafirma compromisso contra o agravo que mata mais de 1 milhão de pessoas por ano

summit encerramento adeleCúpula Mundial de Hepatites se encerra como grande passo adiante no enfrentamento às hepatites viraisAo todo, 900 pessoas de 110 países lotaram esta semana o Golden Hall do complexo World Trade Center, em São Paulo, com um propósito em comum: eliminar as hepatites virais como problema de saúde pública até 2030. Este ano, a Cúpula Mundial de Hepatites 2017 (HepSummit2017) reuniu 120 palestrantes e atraiu mais que o dobro dos participantes da primeira edição, realizada em Glasgow, em 2015 – o que representa um enorme avanço na luta contra um agravo que mata mais de 1 milhão de pessoas por ano em todo o mundo.

A cerimônia de encerramento confirmou o que todos os presentes já sabiam: a Cúpula Mundial de Hepatites 2017 foi um enorme sucesso.

Fruto de uma parceria entre o governo brasileiro, a Aliança Mundial contra as Hepatites (World Hepatitis Aliance/WHA) e a Organização Mundial da Saúde (OMS), a Cúpula Mundial de Hepatites é um evento bienal dedicado a avançar a resposta global às hepatites virais. A cada edição, o evento é realizado em um diferente país-sede. O Brasil foi escolhido por seu reconhecido protagonismo no enfrentamento às hepatites virais.

A diretora do Departamento de Prevenção, Vigilância e Controle das IST, do HIV/Aids e das Hepatites Virais (DIAHV) do Ministério da Saúde, Adele Benzaken, apresentou a Declaração de São Paulo – fruto da Cúpula – aos presentes. “Esta é uma mensagem ao mundo sobre o compromisso dos governos com a eliminação das hepatites virais até 2030”, disse Adele, emocionada diante dos efusivos agradecimentos dos representantes da OMS, Gottfried Hirnschall, e da WHA, Charles Gore. “Foi uma honra para o Brasil sediar este evento: vivemos um momento histórico em que podemos vislumbrar grandes mudanças à frente”, disse, acrescentando esperar que a Cúpula seja “uma excelente oportunidade para definirmos qual o melhor caminho para trilharmos juntos daqui para a frente”. “A Cúpula acaba aqui, mas a luta contra as hepatites virais continua”, completou.

Veja aqui a Declaração de São Paulo sobre as Hepatites:
Português: http://www.aids.gov.br/sites/default/files/noticia/2017/65017/traducao_d...
Inglês: http://www.aids.gov.br/sites/default/files/noticia/2017/65017/final_sao_...

O diretor de HIV/Aids da OMS, Gottfried Hirnschall, concordou: “Podemos mover montanhas se o esforço for em conjunto”, disse, afirmando que o evento foi “fantástico” e agradecendo ao Brasil por seu protagonismo e a Adele, pessoalmente, pela liderança.

O presidente da WHA, Charles Gore – que deixará o cargo no final do ano – também fez um discurso emocionado no encerramento do evento. “Eu tinha um sonho – o sonho de realizar um fórum onde a sociedade civil envolvida com a questão das hepatites virais poderia se reunir com ministros da Saúde e outros protagonistas”, disse. “Obrigado por fazerem o meu sonho virar realidade.” Gore disse esperar que todos saíssem do evento acreditando ainda mais na causa do que quando chegaram: “No futuro, a luta que estamos empreendendo contra as hepatites virais será um exemplo de resposta global, assim como ocorreu com o HIV, no passado”.

A cerimônia também contou com o contundente depoimento do ativista Jeová Fragoso, presidente da organização não governamental Grupo Esperança. Fragoso narrou sua longa jornada – de 18 anos de tratamento e um transplante – rumo à recente cura da hepatite C. O ativista também fez um agradecimento especial a Adele, pela excelência de seu trabalho na luta contra as hepatites virais.

COMUNIDADE GLOBAL – Mais de 900 delegados se reuniram em São Paulo, entre os dias 1 e 3 de novembro, para a Cúpula Mundial de Hepatites 2017. O evento foi realizado em torno de um objetivo comum: a eliminação das hepatites virais como problema de saúde pública até 2030. A Cúpula, uma iniciativa conjunta entre a Aliança Mundial Contra as Hepatites Virais, a OMS e o governo brasileiro, reuniu pessoas vivendo com hepatites virais, formuladores de políticas, especialistas e representantes da sociedade civil de 110 países.

Saiba mais em:
www.worldhepatitissummit.org 

Fonte: Assessoria de Comunicação
Departamento de Vigilância, Prevenção e Controle das IST, do HIV/Aids e das Hepatites Virais
Conheça também a página do DIAHV no Facebook:
https://www.facebook.com/ISTAidsHV

Registrado em:
Adicionar Comentário

Comentários

  • Nenhum comentário encontrado

Facebook

Twitter

Instagram

TV Saúde

Web Rádio Saúde

TUBERCULOSE: Ministério da Saúde lança Plano Nacional para enfrentar a doença 

Flickr Saúde

Central de Arquivos

Novembro 2017
Seg Ter Qua Qui Sex Sab Dom
30 31 1 2 3 4 5
6 7 8 9 10 11 12
13 14 15 16 17 18 19
20 21 22 23 24 25 26
27 28 29 30 1 2 3
Fim do conteúdo da página