A exibição do player de áudio desta página depende de javascript. Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro

banner-960x120

Início do conteúdo da página

Geral
  • publicado
  • Publicado: Quinta, 25 de Janeiro de 2018, 08h18
  • Última atualização: 25/01/18 10h43

Hospital Federal de Ipanema otimiza recursos com a Endoscopia Digestiva

  Unidade é referência na realização de exame que desobstrui o canal biliar

endoscopiaDor abdominal, febre e pele amarelada são sinais que podem indicar lesões nas vias pancreáticas e biliares. O problema pode ser causado por diferentes tipos de doenças, conforme explica a médica do Hospital Federal de Ipanema (HFI), Maria Elizabeth Cardoso de Castro. “Nas últimas décadas, o avanço da medicina permitiu o tratamento de diversas patologias, como hemorragia, tumores e desobstrução das vias biliares, entre outras”, afirmou ela, que também é presidente do núcleo do Rio de Janeiro da Sociedade Brasileira de Endoscopia (Sobed-RJ).

Para Maria Elizabeth Cardoso de Castro, entre os casos mais graves está o entupimento do canal biliar. “Antigamente, o único tratamento para a retirada dos cálculos que entopem o canal exigia uma cirurgia arriscada. Hoje, temos métodos menos invasivos do que as cirurgias convencionais”, explicou.

 

O exame específico para casos de cálculos no canal biliar se chama Colangiopancreatografia Retrógada Endoscópica (CPRE). “O CPRE é importante não apenas para o diagnóstico, mas também para a própria terapia. O HFI hoje atende milhares pacientes de todo o estado e acabou se tornando uma referência na área de Endoscopia Digestiva”, explicou.

Unidade do Ministério da Saúde é referência na realização do CPRE

Ao evitar cirurgias mais complexas, o CPRE acelera a recuperação dos pacientes, o que reduz o tempo de internação e libera leitos para cirurgias de outras especialidades no HFI. Além disso, o procedimento otimiza a utilização de outros recursos hospitalares, como antibióticos, e também evita a sobrecarga do banco de sangue.

Os benefícios, para os pacientes, não se restringem ao tempo de recuperação. “Para o doente, os exames de Endoscopia Digestiva são muito mais terapêuticos. Um ganho excepcional, pois tem um menor índice de complicação e é altamente resolutivo”, informou Ana Maria Zuccaro, chefe do serviço de endoscopia do Hospital Federal de Ipanema.
Só em 2017, a unidade realizou cerca de 350 exames de Colangiopancreatografia Retrógrada Endoscópica (CPRE). O procedimento permite o diagnóstico e o tratamento de cálculos nas vias biliares e na região do pâncreas através da endoscopia.

Além do CPRE, o Hospital Federal de Ipanema oferece os serviços de endoscopia digestiva alta, colonoscopia e enterescopia assistida por balão. Esta última, apesar de mais específica, é de extrema importância para pacientes idosos que costumam ter sangramentos no intestino delgado. A partir da endoscopia, podem ser realizados outros tratamentos como a drenagem de cistos do pâncreas, dilatações e estreitamentos.

Dentre as doenças que podem ser descobertas através do exame estão úlceras, gastrites, varizes de esôfago, lesões vasculares, doenças inflamatórias nos intestinos, cálculos nas vias biliares, além de cânceres e tumores benignos que precisem ser removidos.

Por Igor Simões e Antonio Vianna

 

Registrado em:
Adicionar Comentário

Comentários

  • Nenhum comentário encontrado

Facebook

Twitter

TV Saúde

Web Rádio Saúde

TUBERCULOSE: Ministério da Saúde lança Plano Nacional para enfrentar a doença 

Fim do conteúdo da página