Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro
Início do conteúdo da página

Geral
  • publicado
  • Publicado: Sexta, 22 de Junho de 2018, 14h32
  • Última atualização: 22/06/18 14h55

Pneumologista tira dúvida sobre Asma

cri asmaA Asma é uma doença séria, não tem cura e mata a cada três pessoas por dia no Brasil. Segundo último levantamento do Ministério da Saúde (MS), são 20 milhões de brasileiros com asma. A estatística preocupa o governo brasileiro que criou em seu calendário o Dia Nacional de Combate à Asma no dia 21 de junho. Para esclarecer dúvidas dos servidores e funcionários do NEMS/RJ, a ASCOM conversou com o pneumologista do Hospital Federal dos Servidores do Estado (HFSE), José Luiz de Jesus da Silva Júnior.

ASCOM/NEMS/RJ: Asma tem cura ou só é uma doença que deve ser controlada?

J.L: A Asma é uma doença crônica, e como tal, não tem cura. Porém, pode se manifestar de forma bastante heterogênea. Há pacientes que possuem sintomas persistentes, enquanto outros passam longos períodos sem qualquer manifestação da patologia.

ASCOM/NEMS/RJ: Porque boa parte dos asmáticos sofre mais com a doença no inverno e se sente melhor no verão?

J.L: Condições climáticas, como baixas temperaturas, ar muito seco ou umidade em excesso podem contribuir para o controle inadequado da Asma. Vale ainda ressaltar que, durante o inverno, abrimos menos a casa, diminuindo a ventilação e a renovação do ar, assim como também é reduzida a exposição ao sol.

ASCOM/NEMS/RJ: Qual o tratamento mais adequado para o asmático? Vacinas alérgicas? Homeopatia?

J.L: O tratamento padrão da asma é feito com a associação de um medicamento anti-inflamatório, da família dos corticoesteróides, e de um broncodilatador, geralmente administrados por via inalatória (chamados usualmente pelos pacientes de “bombinhas”). Porém, o tratamento deve ser individualizado, visando a atender as necessidades específicas de cada paciente. Desse modo, outras classes de medicamentos podem ser associados aos anteriormente citados, ou mesmo substituí-los. Nesse contexto, se enquadram a imunoterapia (vacinas) e os medicamentos homeopáticos, que em casos selecionados podem servir como coadjuvantes.

ASCOM/NEMS/RJ: O que são as “bombinhas”? Elas são a solução mais eficaz para o asmático em crise? E a nebulização?

J.L: Os medicamentos administrados pela via inalatória são popularmente chamados de “bombinhas”. Existem algumas desenvolvidas para uso especificamente nas crises. Porém, se não houver melhora após a utilização, o paciente deve procurar um serviço de Emergência, onde outros recursos poderão ser utilizados, como por exemplo medicação parenteral e oxigenoterapia. Quanto à nebulização, é uma outra maneira de se administrar medicamentos por via inalatória. Tem algumas vantagens, como não demandar esforço nem cooperação por parte do paciente, além da possibilidade de fracionar as doses dos medicamentos. Em contrapartida, só pode ser utilizada na residência ou hospital, enquanto as “bombinhas” podem ser levadas para qualquer lugar.

ASCOM/NEMS/RJ: Um asmático na infância pode ter tido muitas crises, mas chegando na fase adulta ter tido poucas a ponto de pensar que está “curado” e as crises voltarem na velhice? O que fazer nesses casos?

J.L: Sim. Grande parte dos pacientes asmáticos apresenta esse tipo de evolução. Havendo retorno dos sintomas, deve-se procurar assistência médica para confirmar o diagnóstico e iniciar o tratamento.

ASCOM/NEMS/RJ: Quais são as características da crise grave de asma?

J.L: O paciente queixa-se de falta de ar importante, apresentando um grande esforço para respirar. Comumente não consegue pronunciar uma frase inteira sem ter que interrompê-la para tomar fôlego. Pode apresentar ainda taquicardia, sudorese, cianose (coloração arroxeada) de lábios, ponta do nariz e extremidades.

ASCOM/NEMS/RJ: O banho quente é prejudicial para o asmático ou é mito?

J.L: O banho quente, por si, não é prejudicial. O que frequentemente acontece é o indivíduo trocar subitamente um recinto aquecido, no caso o box do banheiro, por outro com temperatura bem mais baixa. E essa queda brusca da temperatura é que pode levar a uma exacerbação da asma. O ideal é que o indivíduo se enxugue e se vista ainda dentro do banheiro, pois após o desligamento do chuveiro, o ar do recinto vai lentamente tendo sua temperatura reduzida, até atingir a do meio ambiente.

ASCOM/NEMS/RJ: Qual tipo de ambiente é mais propício para o asmático?

J.L: É praticamente impossível encontrarmos um ambiente ideal, pois são inúmeros os fatores a serem evitados. Cito como exemplos pó, poeira, mofo, umidade, pelos de animais, insetos, pólen, produtos químicos (como tinta, ou mesmo perfume ou ainda água sanitária), fumaça de cigarro, de queimadas ou de indústrias. Assim, deve-se buscar um ambiente com a menor exposição possível a esses agentes.


ASCOM/NEMS/RJ: O Asmático pode fazer exercícios físicos sem que sinta falta de ar? Quais?

J.L: Um importante alvo do tratamento do paciente asmático é que ele possa desempenhar sem limitações atividades normais do cotidiano de qualquer indivíduo, inclusive praticar exercícios. Mas para isso, é fundamental que ele esteja com sua asma sob controle. Alguns asmáticos têm suas crises desencadeadas especificamente por atividade física (asma induzida pelo exercício), mas existem estratégias para o tratamento dessa condição. Qualquer exercício pode ser realizado, porém, pensando em uma melhora do condicionamento físico, exercícios aeróbicos (como caminhada, corrida ou natação) são os mais indicados

Texto: Thiago Tostes/ edição: Roberto Abib

 

Registrado em:
Adicionar Comentário

Comentários

  • Nenhum comentário encontrado

Facebook

Twitter

Fim do conteúdo da página