Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro
Início do conteúdo da página

Geral
  • publicado
  • Publicado: Segunda, 03 de Junho de 2019, 17h13
  • Última atualização: 03/06/19 17h13

SAÚDE CRÔNICA: Qual o exemplo você quer deixar para seus filhos?

 full-grill-full-of-meat-and-veggiesFoto: Shopify PartnersEra um fim de semana como outro qualquer. Não tinha nada naquela data que sugerisse algo especial, mas mesmo assim, ao meio dia, meus filhos e eu estávamos sentados em um restaurante para almoçar. A comida era simples, como deveria ser. A diferença é que ao invés de cozinhar em casa, preparando alguma das comidas preferidas dos garotos – como estrogonofe, risoto ou salada de frango com molho de mostarda; eu precisei leva-los para comer fora. O motivo era simples: eu não percebi que o botijão de gás tinha acabado então a solução mais fácil foi ir a um restaurante.

 

Enquanto comia, percebi um casal chegando com o filho em um carrinho de bebê. E o que não seria um fato significativo em um primeiro momento, me chamou a atenção logo que eles começaram a conversar na mesa ao nosso lado. O casal discutia os preparativos para a festa de três anos do menino que estava no carrinho. Eles falavam sobre as brincadeiras para fazer o garoto e os amigos correrem pelo quintal da casa até cansarem e dar um descanso à noite. Antes que eu pudesse pensar a respeito de um menino de quase três anos estar em um carrinho de bebê, o pai sacou o celular com um desenho animado e deixou nas mãos do pequeno, enquanto a mãe colocava um prato de batatas fritas e linguiça à frente dele.

Bem, não posso dizer que me surpreendi quando reparei que o menino estava muito acima do peso para a idade. Pelo tempo em que reparei nas atitudes dos pais e na conversa que tinham entre, ficou cada vez mais evidente a necessidade em fazer tudo que fosse mais cômodo: o carrinho servia porque o menino tinha preguiça em andar depois do almoço; a comida era apenas aquela porque o garoto não aceitava comer nada diferente e o celular distraia enquanto ele comia sem perturbar a refeição dos pais.

Não me considero nenhum perito em educação, mas sei que no Brasil, 12% das crianças entre cinco e nove anos são obesas e dois dos principais motivos para isso, são a má alimentação e a falta de atividades físicas com regularidade. E esses dados não são tirados da minha cabeça, são números da Organização Pan-Americana da Saúde justamente sobre hábitos que precisam mudar para melhorar a qualidade de vida das crianças por toda a América Latina.

Depois que sai do restaurante, fiquei pensando em como os adultos tem uma responsabilidade grande em tudo o que fazem (ou deixam de fazer) pelas crianças. Tudo o que se faz hoje vai trazer consequências boas ou ruins para o futuro desses jovens, e muita coisa eles vão reproduzir com as próximas gerações. São exemplos a seguir. E por isso, eu pergunto a vocês: Quais os ensinamentos querem deixar como legado para seus filhos?

Por Janary Damacena

Registrado em:
Adicionar Comentário

Comentários

  • Nenhum comentário encontrado

Facebook

Twitter

Fim do conteúdo da página