Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro
Início do conteúdo da página

Geral
  • não publicado
  • Publicado: Terça, 28 de Outubro de 2014, 09h00
  • Última atualização: 27/10/14 12h55

Saúde da Mulher | Exames preventivos

Crédito: Blend ImagesPapanicolau - prevenção de câncer de colo de útero: Entre os principais exames e o mais conhecido está o Papanicolau. O exame citopatológico realizado para detectar alterações nas células do colo do útero. O nome "Papanicolaou" é uma homenagem ao patologista grego Georges Papanicolaou, que criou o método no início do século. O exame é a principal estratégia para detectar lesões precocemente e fazer o diagnóstico câncer do colo do útero bem no início, antes que a mulher tenha sintomas, reduzindo a mortalidade pela doença.

O método de rastreamento do câncer do colo do útero e de suas lesões precursoras é o exame citopatológico. O intervalo entre os exames deve ser de três anos, após dois exames negativos, com intervalo anual. O início da coleta deve ser aos 25 anos de idade para as mulheres que já tiveram atividade sexual. Os exames devem seguir até os 64 anos e serem interrompidos quando, após essa idade, as mulheres tiverem pelo menos dois exames negativos consecutivos nos últimos cinco anos. Para mulheres com mais de 64 anos e que nunca realizaram o exame citopatológico, deve-se realizar dois exames com intervalo de um a três anos. Se ambos forem negativos, essas mulheres podem ser dispensadas de exames adicionais.

O câncer de colo de útero é uma doença silenciosa, saiba mais aqui.

Rastreamento do Câncer de Mama: Mais comum entre as mulheres, a maioria dos casos de câncer de mama tem sido diagnosticados já em estágios avançados. No Brasil, as taxas de mortalidade pela enfermidade continuam elevadas, exigindo cada vez mais atenção à necessidade do diagnóstico precoce, que, aliado ao tratamento, possibilita melhores resultados. A doença é causada pela multiplicação anormal das células da mama, que formam um tumor maligno.

• Mulheres de 40 a 49 anos: exame clínico das mamas anual e, se alterado, mamografia
• Mulheres de 50 a 69 anos: exame clínico das mamas anual e mamografia a cada dois anos
• Mulheres de 35 anos ou mais com risco elevado: exame clínico das mamas e mamografia anual

Grupos populacionais com risco muito elevado para o desenvolvimento do câncer de mama são mulheres com história familiar de, pelo menos, um parente de primeiro grau (mãe, irmã ou filha) com diagnóstico de câncer de mama, abaixo dos 50 anos de idade. E, também, mulheres com história familiar de pelo menos um parente de primeiro grau (mãe, irmã ou filha) com diagnóstico de câncer de mama bilateral ou câncer de ovário, em qualquer faixa etária, além de mulheres com história familiar de câncer de mama masculino.

Densitometria Óssea: A osteoporose configura-se como preocupação relevante de saúde pública, devido à limitação funcional e consequente perda da capacidade laborativa e autoestima a que estão submetidos os seus portadores. A identificação precoce do diagnóstico é fundamental para a prevenção de fraturas e preservação da qualidade de vida das mulheres. O procedimento da quantificação da massa óssea nos indivíduos de risco constitui-se no método de eleição para o direcionamento e indicação de terapia adequada. Desta forma, a incorporação da densitometria óssea na prática médica é reconhecidamente o melhor método de avaliação precoce da osteoporose. O exame é indicado para mulheres com mais de 65 anos, com deficiência estrogênica com menos de 45 anos e na peri e pós-menopausa com fatores de risco.


Fonte: Blog da Saúde / Coordenação Geral de Saúde das Mulheres - CGSM

Registrado em:
Adicionar Comentário

Comentários

  • Nenhum comentário encontrado

Facebook

Twitter

Fim do conteúdo da página