Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro
Página inicial > Agenda MS > Saúde investiga caso suspeito de Ebola em Belo Horizonte
Início do conteúdo da página
Agenda MS
  • publicado
  • Publicado: Quarta, 11 de Novembro de 2015, 16h03
  • Última atualização: 11/11/15 16h03

Saúde investiga caso suspeito de Ebola em Belo Horizonte

12065867 1111369665548315 6405034551468189169 nO Ministério da Saúde, Secretaria de Estado da Saúde de Minas Gerais e a Secretaria Municipal de Saúde de Belo Horizonte informam que a Unidade de Pronto Atendimento da Pampulha, em Belo Horizonte (MG), recebeu nesta terça-feira (10/11), às 20h, um paciente classificado como suspeito de infecção por ebola. Trata-se de um homem, de 46 anos, vindo da Guiné, que chegou ao Brasil no dia 6 de novembro e começou a apresentar sintomas como febre alta, dor muscular e dor de cabeça no último dia 8.

Imediatamente após a identificação da suspeita, o paciente foi isolado na unidade e teve início a adoção do protocolo nacional estabelecido para casos suspeitos de ebola, como a comunicação à secretaria estadual de saúde e ao Ministério da Saúde.

 

No momento, a UPA Pampulha não está recebendo novos pacientes. O caso está sendo acompanhado pelas equipes de vigilância em saúde do Ministério da Saúde e de Minas Gerais. Todos os pacientes e profissionais da unidade que tiveram contato com ele foram orientados e estão sendo monitorados pela Secretaria Municipal de Saúde.

O paciente deverá ser encaminhado para o Instituto Nacional de Infectologia Evandro Chagas, no Rio de Janeiro (RJ), referência nacional para casos de ebola, seguindo protocolo de segurança. A transferência será realizada ainda nesta quarta-feira (11), em avião da Força Área Brasileira.

O ebola só é transmitido através do contato com o sangue, tecidos ou fluidos corporais de indivíduos doentes. O vírus somente é transmitido quando surgem os sintomas.

Nesta quarta-feira (11), o Ministério da Saúde realizará coletiva de imprensa sobre o assunto, às 16h.

Para preservar a privacidade do paciente e direitos legais, as autoridades sanitárias reforçam que o nome do paciente deve ser preservado e não deve ser divulgado pela imprensa e demais mídias.

Fonte: Agência Saúde

Registrado em:
Adicionar Comentário

Comentários

  • Nenhum comentário encontrado
Fim do conteúdo da página