Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro
Página inicial > Combate ao Aedes
Início do conteúdo da página

Combate ao Aedes

Combate ao Aedes
  • publicado
  • Publicado: Quarta, 04 de Novembro de 2015, 11h06
  • Última atualização 21/01/16
  • 17h04

Fiocruz Pernambuco busca diagnóstico preciso da dengue

fiocruzpernambuco dengue materiaEm cinco meses de realização da pesquisa, um total de 140 pacientes foi recrutado, com cerca de 480 visitas à unidade de saúde (foto: Informe Fiocruz Pernambuco)Quem chega à Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Paulista, em Pernambuco, com suspeita de dengue é convidado a colaborar com um novo estudo, desenvolvido pela Fiocruz no estado, que busca um diagnóstico mais preciso da doença. A pesquisa busca estabelecer marcadores prognósticos que sinalizem se há risco da dengue evoluir para a forma mais grave e que ajudem a diferenciar a doença de outras também febris agudas. Isso é necessário porque o diagnóstico e manejo clínico dos casos de dengue ainda representa um grande desafio para os serviços de saúde. 

Os resultados, além de ajudar a salvar vidas, poderão refletir numa melhor utilização dos leitos hospitalares disponíveis no Sistema Único de Saúde (SUS) e irão ajudar na revisão da classificação de casos clínicos de dengue adotada pela Organização Mundial da Saúde (OMS). O estudo faz parte de um consórcio internacional de pesquisa em dengue da Comissão Europeia, denominado International Research Consortium on Dengue Risk Assessment, Management and Surveillance (Idams) e é executado em consonância com estudos em andamento em vários outros países. A iniciativa também conta com recursos do programa PPSUS/Facepe.

Registrado em:
Assunto(s): dengue
Combate ao Aedes
  • publicado
  • Publicado: Quinta, 28 de Maio de 2015, 10h38
  • Última atualização 21/01/16
  • 16h59

Info Dengue Rio estuda incluir dados sobre chikungunya e Zika

Claudia Codeço é pesquisadora do Programa de Computação Científica (PROCC) da Fiocruz e coordenadora do Info Dengue Rio (Foto: Peter Ilicciev)Para se traçar um cenário ainda mais preciso da doença no município, os dados da Prefeitura do Rio são cruzados com os indicadores de menção a dengue no Twiiter, a partir do trabalho realizado pelo Observatório de Dengue da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), e com os dados climáticos produzidos pelo Centro Nacional de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais (Cemaden). Coordenadora do Info Dengue Rio, a pesquisadora do PROCC da Fiocruz Claudia Codeço comenta a complexidade e a importância do projeto.

"A parceria com o poder público é fundamental para o sucesso do projeto. O programa passou por uma fase inicial de testes e sofreu pequenos ajustes. A análise de dados em Saúde sempre foi feita de maneira muito retrospectiva, olhando os dados do passado. O nosso desafio é realizar uma predição, de pelo menos uma semana, para oferecer à prefeitura informação de qualidade para a tomada de decisão", disse Claudia, que usa o exemplo da meteorologia para ilustrar o tipo de previsão realizada pelo Info Dengue Rio.

Com a consolidação do sistema, a pesquisadora do PROCC explica que o monitoramento da dengue também pode ser realizado por outros municípios do Brasil, dependendo apenas de novas parcerias com prefeituras pelo país. No estado do Rio de Janeiro, por exemplo, a equipe do projeto gostaria de alcançar em breve o monitoramento de toda a Região Metropolitana. As negociações com as prefeituras de Belo Horizonte e Curitiba já estão adiantadas. A meta mais audaciosa agora é adaptar o modelo vigente para incluir outras doenças.

Registrado em:

Facebook

Twitter

Fim do conteúdo da página