Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro
Página inicial > Cursos e Eventos > Hospital do Triângulo Mineiro terá residência em neurocirurgia
Início do conteúdo da página
Cursos e Eventos
  • publicado
  • Publicado: Terça, 26 de Janeiro de 2016, 10h56
  • Última atualização: 27/01/16 11h49

Hospital do Triângulo Mineiro terá residência em neurocirurgia

O Hospital de Clínicas da Universidade Federal do Triângulo Mineiro inicia seu programa de residência em neurocirurgia, em março deste ano. Com cinco anos de duração, a previsão é de que no último ano, o residente realize parte de seu treinamento no exterior.

As inscrições para candidatos, graduados em Medicina, estão abertas até 15 de fevereiro e o edital está acessível no site do hospital. O programa é credenciado junto ao Ministério da Educação e à Sociedade Brasileira de Neurocirurgia.

A residência vai ofertar uma vaga por ano. No Brasil, existem aproximadamente 200 vagas para residência em neurocirurgia. “São poucas vagas porque é necessário que cada centro de treinamento possua tecnologia diferenciada para a formação do residente, o que não é tão comum nos hospitais públicos do Brasil. O aumento de vagas, no futuro, dependerá do aumento no volume de atendimento e cirurgias”, explica o médico e coordenador do novo programa, Roberto Alexandre Dezena.

Centro de referência - Em maio de 2015, o Hospital de Clínicas da UFTM, por meio da disciplina de Neurocirurgia, recebeu credenciamento internacional como Centro de Referência de Educação Continuada, pela Federação Latino-americana de Sociedades de Neurocirurgia, para o quadriênio 2015-2018.

Segundo Dezena, a certificação foi possível devido ao atendimento de requisitos ligados à infraestrutura e tecnologia, tendo sido considerado também o grau de titulação acadêmica dos recursos humanos.

“Foi fundamental para o credenciamento, adicionalmente, o fato de o Hospital de Clínicas ser um centro de referência do SUS no Brasil e classificado como Unidade de Assistência de Alta Complexidade junto ao Ministério da Saúde”, pontua.

Fonte: ebserh.gov.br com informações HC-UFTM

Adicionar Comentário

Comentários

  • Nenhum comentário encontrado
Fim do conteúdo da página