Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro
Página inicial > Cursos e Eventos > Seminário internacional debate Aedes como vetor de epidemias
Início do conteúdo da página
Cursos e Eventos
  • publicado
  • Publicado: Sexta, 09 de Junho de 2017, 07h00
  • Última atualização: 08/06/17 19h42

Seminário internacional debate Aedes como vetor de epidemias

seminario aedesZika, chikungunya, dengue 1, 2, 3 e 4, febre Mayaro, febre amarela urbana... A cada verão, o mosquito Aedes aegypti coloca em alerta as autoridades sanitárias. A cada ano, a cada novo verão, milhares e milhares de brasileiros são vítimas de doenças transmitidas pela picada da fêmea do mosquito. Os riscos à saúde e as ações de combate ao mosquito são temas conhecidos, mas carece uma discussão mais profunda a respeito da comunicação. Para debater o assunto, a Fiocruz Brasília promove no período de 12 a 14 de julho o 1° Seminário Internacional e 5º Seminário Nacional as Relações da Saúde Pública com a Imprensa: Aedes aegypti – vetor de epidemias anunciadas, que reunirá instituições responsáveis pela saúde pública no país, estudiosos da comunicação e nomes da imprensa nacional e local.

No seminário, sanitaristas, estudiosos da comunicação, membros da imprensa e analistas da mídia debaterão as alternativas, dificuldades, desacertos e possibilidades para uma comunicação em saúde à altura das necessidades do Brasil. Celina Turchi, pesquisadora da Fiocruz Pernambuco, responsável pela equipe que estabeleceu o vínculo entre o zika e a microcefalia, Claudio Maierovitch, pesquisador da Fiocruz Brasília e ex-diretor de vigilância das doenças transmissíveis do Ministério da Saúde na época da epidemia da zika, vão trocar experiências com jornalistas como Cinthya Leite, do Jornal do Commercio (PE), que acompanhou o impacto do nascimento de bebês com microcefalia e as descobertas sobre o vírus zika; Paulo Henrique Lobato, do jornal Estado de Minas, que registrou a expansão da febre amarela por Minas Gerais; e Claudia Collucci, especialista em Saúde da Folha de São Paulo.

Ângela Pimenta, do Observatório da Imprensa, Rudolfo Lago, da assessoria de comunicação da Secretaria de Saúde do Distrito Federal, Leonardo Cavalcante, do Correio Braziliense, Adriane Cruz, do Conselho Nacional de Secretarias de Saúde, Márcia Turcatto, da assessoria de comunicação da Secretaria de Vigilância em Saúde do Ministério da Saúde, Janine Cardoso, do Instituto de Comunicação e Informação Científica e Tecnológica em Saúde (Icict/ Fiocruz), Márcia Correia e Castro, do Canal Saúde da Fiocruz e o pesquisador da Universidade São Caetano do Sul Arquimedes Pessoni são nomes confirmados. Esta é a quinta edição nacional do seminário, e sua primeira versão internacional, com a participação das pesquisadoras Renata Schiavo, da Universidade dos Estados Unidos (a confirmar) e Gema Revuelta de La Poza, da Universidad Pompeu Fabra, Espanha.

O Seminário é realizado pela assessoria de comunicação da Fiocruz Brasília e financiado pela Fundação de Apoio à Pesquisa do Distrito Federal. A programação pode ser acessada aqui.

Histórico

Esta é a quinta edição do seminário As relações da Saúde Pública com a imprensa. O primeiro, realizado em 2008, debateu o papel e a responsabilidade da mídia na apresentação das informações sobre saúde para a população. De lá para cá, já foram realizadas outras três edições, que enfocam a cobertura jornalística sobre determinado tema em saúde, a saber: H1N1 (2010), A imagem do SUS na mídia (2013) e Comunicação em Situação de Risco: ebola, chikungunya, dengue e zika (2015).

Para participar, clique aqui e faça a sua inscrição gratuitamente. As vagas são limitadas e haverá certificação dos participantes pela Escola Fiocruz de Governo. Outras informações: 61 3329- 4581.

Adicionar Comentário

Comentários

  • Nenhum comentário encontrado
Fim do conteúdo da página