Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro
Página inicial > Entenda o SUS > Dieta inadequada pode agravar a saúde de vítimas da doença hemorroidária
Início do conteúdo da página
Entenda o SUS
  • publicado
  • Publicado: Quinta, 02 de Fevereiro de 2017, 14h00
  • Última atualização: 31/01/17 18h46

Dieta inadequada pode agravar a saúde de vítimas da doença hemorroidária

hemo-1024x680A falta de cautela ao consumir bebidas alcoólicas, pouca ingestão de água e dieta pobre em fibras podem agravar a saúde de pessoas que sofrem com as hemorróidas. O alerta é coloproctologista Rogério Monteiro, médico do Hospital Geral do Estado (HGE), que ainda revela a expectativa de estudiosos em metade da população mundial com mais de 30 anos descobrir ser portador da doença.

As hemorróidas são formadas por um conjunto de vasos sanguíneos e seu inchaço, inflamação e dor caracterizam a doença hemorroidária, localizada na parte inferior do reto ou do ânus. “Essa estrutura de vasos começa a se dilatar, muda de posição e pode até se exteriorizar para fora do ânus. Isso causa sangramento, dores e dificuldade ao evacuar”, explicou o médico.

A doença hemorroidária pode se apresentar dentro do ânus ou na parte inicial do reto, ou na abertura anal, projetando-se para fora do ânus. “Quando acomete dentro gera sangramento e estufamento do ânus; e quando acontece fora, o doente sente muita coceira, dores e sofre um crescimento no volume do tecido localizado na ponta do ânus”, explicou o coloproctologista.

Um grande causador da doença é a frequência de segurar as fezes por longos períodos, assim como sofrer de prisão de ventre, fazer grandes esforços ao evacuar, ficar por muito tempo sentado no vaso sanitário e fatores hereditários. “Ao contrário do que muitos pensam, a atividade sexual anal não está diretamente envolvida com o surgimento da doença. Porém a gravidez, a obesidade, hipertensão, tabagismo e cirrose podem ajudar no desenvolvimento da enfermidade”, pontuou Monteiro.

O assunto continua sendo um tabu entre homens e mulheres, assim como a devida busca pelo diagnóstico. Segundo o coloproctologista, principalmente a grande maioria dos homens, quando começam a sofrer algum dos sintomas, procuram tratamentos populares ou a automedicação.

“Quando eles chegam, na grande maioria, é porque o problema está insuportável. O que muitos não sabem é que cerca de 80% dos casos que diagnosticamos não necessitam de cirurgia. Basta iniciarmos um acompanhamento, tomar precauções e o doente adotar práticas de vida saudáveis”, disse ele.

“Também é importante esclarecer que a doença hemorroidária não causa o câncer do reto, nem evolui para câncer do intestino grosso. No entanto, alguns sintomas de hemorróidas são semelhantes aos do câncer do intestino grosso de forma que em algumas situações o diagnóstico diferencial deve ser realizado através da colonoscopia”, ressaltou o médico do HGE.

Fonte: Secretaria de Estado da Saúde de Alagoas - Texto: Thallysson Alves/Fotos: Carla Cleto

Registrado em:
Adicionar Comentário

Comentários

  • Nenhum comentário encontrado
Fim do conteúdo da página