Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro
Página inicial > Entenda o SUS > Mitos e verdades sobre a doação de leite materno
Início do conteúdo da página
Entenda o SUS
  • publicado
  • Publicado: Quinta, 17 de Maio de 2018, 16h22
  • Última atualização: 17/07/18 18h10

Mitos e verdades sobre a doação de leite materno

doação de leite poteVocê já pensou em doar leite materno? Não existe quantidade mínima a ser doado. Um litro de leite materno doado pode alimentar até 10 recém-nascidos por dia. Mas, a depender do peso do prematuro, um 1 ml já é o suficiente para nutri-lo cada vez que for alimentado.

Para ajudar a esclarecer dúvidas sobre a doação de leite, o Blog da Saúde reuniu sete tópicos em um Mitos e verdades sobre a doação de leite materno. Confira: 

 

1. Doar leite diminui a quantidade de leite produzida

MITO. A verdade é que quanto mais a mulher amamenta ou esvazia as mamas, mais leite ela produz.

2. Algumas mães produzem leite mais fraco do que as outras

MITO. O leite materno não é graco. Para estar apta a doar, basta seguir as orientações de uma alimentação adequada e não fazer uso de drogas ou bebidas alcoólicas.

3. O estresse pode prejudicar a produção de leite

VERDADE. Situações de estresse ou nervosismo podem prejudicar a produção de leite. Por isso é importante dar suporte e apoio para que as mães tenham um período de amamentação tranquilo e prazeroso. 

4. Só é possível doar uma grande quantidade de leite

MITO. Dependendo do peso do bebê prematuro, 1 ml já é o suficiente para nutri-lo a cada vez que ele for alimentado. Por isso, doar qualquer quantidade de leite é importante.

5. Leite materno pode ser congelado

VERDADE. O leite materno pode ser congelado por até dez dias, que é necessário tempo até  chegar no BLH e ser processado, sem perder suas características e qualidades nutricionais. Para consumo do bebê, em casa, ele pode ser congelado e armazenado por até 15 dias.

6. Seios pequenos produzem menos leite

MITO. O que dá o tamanho dos seios é o tecido gorduroso e não a glândula produtora de leite, portanto, não depende do tamanho ou formato da mama. Afinal, tamanho não é documento!

7. O Ministério da Saúde não recomenda amamentação cruzada

VERDADE. A prática da "amamentação cruzada" ou "aleitamento cruzado" é contraindicada pelo Ministério da Saúde e pela Organização Mundial da Saúde (OMS). Ela traz riscos ao bebê, pois favorece a transmissão de doenças infectocontagiosas, como HIV/Aids ou Hepatite B, por exemplo. Havendo dúvidas sobre amamentação, busque sempre a orientação em uma unidade de saúde ou um banco de leite.

Veja também

 

 Blog da Saúde

 

Adicionar Comentário

Comentários

  • Nenhum comentário encontrado
Fim do conteúdo da página