Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro
Início do conteúdo da página
Geral
  • publicado
  • Publicado: Sábado, 07 de Fevereiro de 2015, 12h18
  • Última atualização: 26/02/15 15h41

Especial doenças da infância: Rubéola

A Rubéola é uma doença exantemática aguda causada por vírus. Há alguns anos era considerada uma doença de poucas complicações. Hoje, sabe–se que isso não é bem assim. A rubéola quando adquirida na gravidez, principalmente nos três primeiros meses, pode causar a morte do feto e é um risco para os recém-nascidos, que podem desenvolver a Síndrome da Rubéola Congênita e sofrer graves complicações como retardo mental, cegueira, surdez e má formação do coração.

A transmissão ocorre de pessoa a pessoa por via respiratória, isto é, o indivíduo doente lança no ar o vírus existente nas secreções nasais e da garganta. A pessoa suscetível (não protegida, sem anticorpos), quando infectada poderá apresentar após um período de incubação entre 14 e 21 dias: febre não elevada, manchas vermelhas pelo corpo (chamado exantema), "ínguas" no pescoço e nuca. Vários casos podem não apresentar o exantema e a doença passar despercebida.

A vacina tríplice viral (sarampo, rubéola e caxumba), aplicada em crianças de 12 meses e uma segunda dose com a vacina tetra viral aos 15 meses, protege a criança contra a rubéola. Esta vacina faz parte do Programa Nacional de Vacinação (PNI) distribuído gratuitamente no Sistema Único de Saúde (SUS).

 

O Brasil é referência mundial em vacinação e o SUS garante à população brasileira acesso gratuito a algumas vacinas recomendadas pela Organização Mundial de Saúde (OMS). Ainda assim, muitas pessoas deixam de comparecer aos postos de saúde para atualizar a carteira de vacinação, e também de levar os filhos no tempo correto de aplicação das vacinas.

Síndrome da Rubéola Congênita - Quando uma mulher grávida desenvolve rubéola durante a gestação, especialmente nas primeiras 11 semanas, ela pode perder o bebê, ou este pode nascer com limitações graves como surdez, cegueira, ou problemas do coração. Esses problemas ocorrem como resultado da Síndrome da Rubéola Congênita, conhecida pela sigla SRC. A palavra síndrome significa uma situação crítica, de perigo. A palavra congênita indica que o problema apresentado pela pessoa é decorrente de má formação durante a gravidez.

A prevenção da SRC é feita através da vacinação de todas as mulheres em idade fértil. Atualmente é recomendado que todas as pessoas, ambos os sexos, até 19 anos devem ter duas doses da vacina tríplice viral e uma dose na população entre 20 e 49 anos de idade. A vacina é altamente eficaz e protege o bebê contra a Síndrome da Rubéola Congênita.

Fonte: Gabriela Rocha/ Blog da Saúde

Registrado em:
Adicionar Comentário

Comentários

  • Nenhum comentário encontrado
Fim do conteúdo da página