Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro
Início do conteúdo da página
Geral
  • publicado
  • Publicado: Quarta, 19 de Dezembro de 2018, 15h20
  • Última atualização: 02/01/19 09h50

OPAS disponibiliza publicações sobre saúde ambiental e substâncias químicas em português

publicacao opas 20.12.2018

Duas publicações recentes da Organização Mundial da Saúde (OMS) sobre substâncias químicas e saúde ambiental já estão disponíveis em português. Ambas foram traduzidas pela OrganizaçãoPan-Americana da Saúde (OPAS). A primeira, intitulada “Não polua o meu futuro! O impacto do ambiente na saúde das crianças”, aponta que, a cada ano, 361 mil meninas e meninos com menos de cinco anos perdem a vida por diarreia, como resultado da falta de acesso à água potável, saneamento e higiene.

A publicação também mostra que, anualmente, 570 mil crianças na mesma faixa etária vão a óbito por infecções respiratórias, como pneumonia, que é uma doença atribuível à poluição do ar interno e externo e ao fumo passivo. Outras 200 mil meninas e meninos morrem antes de completar o quinto ano de vida por lesões não-intencionais atribuíveis ao ambiente, como intoxicações, quedas e afogamentos.

Além disso, segundo o documento, 200 mil mortes de crianças por malária poderiam ser evitadas por meio de ações ambientais, como a redução de criadouros de mosquitos ou armazenamento de água potável.

As crianças são particularmente vulneráveis a riscos ambientais, pois seus órgãos e sistema imune estão em desenvolvimento, além de possuírem um corpo e vias aéreas menores. Essa situação, somada a certos comportamentos típicos da idade, tais como colocar as mãos e objetos na boca e brincar ao ar livre, pode aumentar a exposição de meninas e meninos a contaminantes ambientais.

Dessa forma, o documento destaca a necessidade de os países adotarem ações intersetoriais em áreas como saúde, energia, transportes, indústria/comércio, habitação e água para reduzir adequadamente os riscos ambientais.publicacao impacto substancias quimicas

Na mesma linha, a segunda publicação, “O impacto de substâncias químicas sobre a saúde pública: Fatores conhecidos e desconhecidos”, afirma que a produção de substâncias químicas continua a crescer e, por mais que muitas delas sejam “inofensivas ou até benéficas, outras são uma ameaça à nossa saúde e ao meio ambiente”. Entre as composições avaliadas na publicação estão agrotóxicos, amianto, chumbo, arsênico e tabaco.

A exposição a essas substâncias e produtos ocorre todos os dias por diversas vias, como ingestão, inalação, contato pele-a-pele e cordão umbilical do nascituro. Por isso, o documento apresenta intervenções eficazes para eliminar ou reduzir a exposição às substâncias químicas, que abrangem vários setores: agricultura, indústria/comércio, transporte, domicílio/comunidade e água.

Fonte: OPAS/OMS 
Foto: Banco Mundial/Nick van Praag 

 

Registrado em:
Adicionar Comentário

Comentários

  • Nenhum comentário encontrado
Fim do conteúdo da página