A exibição do player de áudio desta página depende de javascript. Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro
Página inicial > Matérias Especiais > Implante coclear devolve a capacidade de ouvir para quem tem perda auditiva
Início do conteúdo da página

Matérias Especiais
  • publicado
  • Publicado: Terça, 01 de Novembro de 2016, 10h00
  • Última atualização: 03/11/16 11h43

Implante coclear devolve a capacidade de ouvir para quem tem perda auditiva

implantecoclearCaio durante ativação do Implante Coclear. Foto: Rodrigo Nunes/MSPara quem ouve, imaginar como seria um mundo sem sons pode parecer difícil. Para muitas pessoas surdas, esta é a realidade. Pacientes que têm deficiência auditiva severa a profunda não conseguem ouvir nada ou, se ouvem, são apenas alguns ruídos. Nesses casos, os aparelhos auditivos não funcionam e a esperança de um dia ouvir vem de um implante coclear.

O implante consiste em uma prótese colocada dentro da cóclea (parte interna do ouvido) através de uma cirurgia, e outra presa ao redor da orelha, composta pela antena e o processador de fala. O aparelho capta os sons e transfere diretamente este som para o nervo auditivo, possibilitando que o paciente gradativamente comece a ouvir.


Por se tratar de um dispositivo de alta complexidade, a cirurgia e a reabilitação do paciente é feita em hospitais credenciados pelo Ministério da Saúde. “Há uma equipe multidisciplinar para verificar a possibilidade de o indivíduo receber o implante. Depois de todas as avaliações, a constatação de que o implante irá beneficiá-lo, e o paciente tiver sido selecionado, ele recebe o aparelho de forma inteiramente gratuita pelo SUS”, explica o Coordenador do Setor de Implante Coclear do Hospital Universitário de Brasília (HUB), André Luiz Sampaio.

A cirurgia é apenas uma etapa de todo o processo de reabilitação auditiva. Entre 30 e 40 dias após a operação, o paciente retorna e faz a ativação, momento em que o aparelho é ligado e quando se ouve os primeiros sons. “Os pacientes passam por um processo de reabilitação realmente longo, e voltam com muita frequência ao hospital onde receberam o implante coclear”, conta Sampaio. Após a ativação, o paciente ainda fica, em média, três anos em acompanhamento. Isso porque as habilidades auditivas são essenciais para desenvolver a fala, e alguns pacientes, que nunca ouviram antes, precisam aprender o novo tipo de linguagem.

Assista aqui o momento da ativação do Caio:

Francisca Lucia de Albuquerque é uma paciente que está aguardando a cirurgia do implante coclear no Hospital Universitário de Brasília (HUB). A laboratorista, que ouvia pouco quando criança, teve o quadro agravado depois de adulta. Hoje, ela consegue se comunicar apenas através de leitura labial. “Um dia fui comprar meu aparelho, e me falaram que tinha o implante, e que com ele eu poderia escutar muito bem, e não precisaria olhar para a boca”, explica. Nesta época, os aparelhos auditivos já não funcionavam mais para Francisca.

Enquanto espera pela cirurgia, a paciente conta que sente um misto de medo e ansiedade. “Eu tenho receio pela operação, mas a médica me acalmou e me explicou tudo. Acho que vai ser maravilhoso ouvir. Se um dia eu precisar operar um olho, não vou precisar olhar para a pessoa, porque eu estou ouvindo”, acredita.

implantecoclear1Dr. André explica como é feita a cirurgia do implante. Foto: Rodrigo Nunes/MSO médico André Luiz Sampaio, mesmo depois de anos atuando na área, ainda se emociona com os pacientes que retomam ou começam a ouvir. “Uma das coisas mais importantes que adquiri na minha vida foi o conhecimento de devolver para a pessoa um sentido tão importante que é a audição. Devolver ao paciente a possibilidade de estar em um mundo de relação. Acredito que isso seja uma das coisas mais importantes que a gente faz no dia a dia”.

Pessoas com surdez de grau severo ou profundo, em ambos os ouvidos, que não se beneficiam com o uso de aparelhos auditivos convencionais, são possíveis candidatos ao Implante Coclear gratuito. Para procurar um implante no HUB, por exemplo, é preciso ir ao Hospital Universitário de Brasília, no ambulatório 2, no 1° andar, Setor de Saúde Auditiva, e pedir uma ficha de inscrição para o Implante Coclear. Leve cópia da sua audiometria e outros exames que comprovem a surdez. Outra opção é entregar o Formulário de Triagem preenchido na secretaria do Setor de Implante Coclear.

Veja onde fazer o implante coclear pelo SUS em outras regiões do país:

Bauru

Hospital de Reabilitação de Anomalias Craniofaciais da USP (Centrinho)
Rua Silvio Marchioni, 3-20 – V. Universitária – Telefone: (14) 3235-8188

Belém

Hospital Universitário Bettina Ferro de Souza 
Rua Augusto Correa, 1 - Telefone: (91) 3201-7283

Brasília

Hospital Universitário de Brasília 
Avenida L2 Norte – Telefone: (61) 2028-5000

Campinas

Hospital de Clínicas da Unicamp
Campus Unicamp s/n – Telefone: (19) 3521-7880

Fortaleza

Hospital Geral de Fortaleza 
Rua Ávila Goulart, 900 - Telefone: (85) 3101-3209

João Pessoa

Hospital das Clínicas Mednort 
Avenida Coremas, 364 - Telefone: (83) 3222-6769

Marília

Hospital de Clínicas Ambulatorial de ORL 
Rua Hibekiche Nomura, 175 – Telefone: (14) 3402-1704

Minas Gerais

Hospital Dilson Godinho 
Avenida Geraldo Athayde, 480 - Montes Claros - Telefone: (38) 3229-4000.

Otorrino Fisio Center 
Rua Santa Maria, 86, Centro - Juiz de Fora - Telefone: (38) 3218-5000

Hospital Otomed
Rua Barão do Rio Branco, 681 - Governador Valadares - Telefone: (33) 3212-6161

Hospital de Clínicas da Universidade Federal de Minas Gerais
Avenida Prof. Alfredo Valena, 110 - Belo Horizonte - Telefone: (31) 3409-9388

Natal

Otocentro 
Rua Ciro Monteiro, 759 - Telefone: (84) 3221-1236

Paraná

Hospital de Clínicas da Universidade Federal do Paraná
Rua General Carneiro, 181, Alto da Glória - Curitiba - Telefone (41) 3360-1800

Hospital Infantil Pequeno Príncipe 
Rua Desembargador Motta, 1070, Água Verde - Curitiba - Telefone: (41) 3310-1010.

Recife

Instituto Materno Infantil de Pernambuco 
Rua dos Coelhos, 300 – Telefone: (81) 3272-1496

Hospital Agamenom Magalhães 
Estrada do Arraial, 2726 – Telefone: (81) 31384-1600

Ribeirão Preto

Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto
Avenida Bandeirantes, 3900 – Telefone: (16) 3633-0186

Rio de Janeiro

Hospital Universitário Clementino Fraga Filho – Hospital do Fundão
Rua Rodolpho Paulo Rocco, 255, Telefone: (21) 2562-2789

Rio Grande do Sul

Hospital de Clínicas da Universidade Federal do Rio Grande do Sul 
Rua Ramiro Barcelos, 2350, Santa Cecília - Porto Alegre - Telefone: (51) 2101-8241

Salvador

Obras Sociais Irmã Dulce 
Avenida Bonfim, 161, Largo de Roma – Telefone: (71) 3310-1100

Santa Catarina

Hospital Universitário da Universidade Federal de Santa Catarina
Rua Profa. Maria Flora Pawseang, s/n - Florianópolis - Telefone (48) 3721-9100

São Paulo

Hospital das Clínicas da Universidade de São Paulo
Avenida D. Enéas de Carvalho, 255 - Telefone: (11) 2661-9491

Irmandade Santa Casa de Misericórdia
Rua Jaguaribe, 355, V. Buarque - Telefone: (11) 2176-7000

UNIFESP – Hospital São Paulo
Rua Borges Lagoa, 783 - Telefone: (11) 5575-8046

Teresina

Hospital Flávio Santos 
Rua Félix Pacheco, 2221 - Telefone: (86) 3221-5654

Aline Czezacki, para o Blog da Saúde

 

Registrado em:

Facebook

Twitter

Instagram

TV Saúde

Web Rádio Saúde

TUBERCULOSE: Ministério da Saúde lança Plano Nacional para enfrentar a doença 

Flickr Saúde

Central de Arquivos

Novembro 2017
Seg Ter Qua Qui Sex Sab Dom
30 31 1 2 3 4 5
6 7 8 9 10 11 12
13 14 15 16 17 18 19
20 21 22 23 24 25 26
27 28 29 30 1 2 3
Fim do conteúdo da página