Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro
Página inicial > Perguntas e Respostas > #FAQMS | Saúde tira dúvidas sobre dose única para febre amarela
Início do conteúdo da página
Perguntas e Respostas
  • publicado
  • Publicado: Quinta, 06 de Abril de 2017, 12h10
  • Última atualização: 10/04/17 11h38

#FAQMS | Saúde tira dúvidas sobre dose única para febre amarela

mudançavacinaA estratégia do Ministério da Saúde para a prevenção da febre amarela no país mudou. Seguindo a recomendação da Organização Mundial da Saúde (OMS), o esquema vacinal passa a ser de uma única dose. A medida é segura e garante proteção durante toda a vida.

Por causa da mudança no número de doses necessárias para a imunização, algumas dúvidas podem surgir entre a população, mas é importante buscar a fonte oficial para entender  o que permanece e o que muda nesse momento.   A vacina contra febre amarela é altamente eficaz e segura para o uso. Confira algumas respostas para a mudança no o esquema vacinal da febre amarela que passa a valer em todo o território nacional:

Qual é a principal mudança  no número de vacinas que as pessoas devem tomar para prevenir a febre amarela?

A população não precisará mais tomar duas doses da vacina de febre amarela para ficar imunizada para toda a vida contra a doença. Uma única dose da vacina será suficiente para isso.

Se já tomei uma dose da vacina anterior à mudança, preciso tomar outra dose agora?

Não. O que muda é que antes a população era orientada tomar um reforço da vacina. Agora, o Ministério da Saúde recomenda apenas uma dose ao longo da vida.

Tomei a primeira dose que estava no esquema anterior, estou  imunizado ou preciso completar o esquema vacinal anterior que era de duas doses?

O que foi retirado do esquema vacinal anterior é justamente a segunda dose, considerada como reforço para a imunização. Se você tomou apenas uma dose da vacina, passará a estar com o esquema completo e não precisa mais tomar essa segunda dose.
 
A vacina mudou? Como saber se estou tomando é a nova dose ou a que estava no esquema anterior?

A vacina não mudou. É importante entender que a vacina do esquema anterior é exatamente a mesma que está disponível agora. Apenas mudou o número de doses necessárias para garantir a imunização contra a febre amarela. O Ministério da Saúde adotou a recomendação da OMS que indica que apenas uma dose da vacina é necessária para prevenir contra a febre amarela.

A nova recomendação é temporária?

A partir de agora, o Ministério da Saúde adota a recomendação da Organização Mundial da Saúde de uma dose para a febre amarela e esse será o esquema vacinal do país. Quem já tomou uma dose, em qualquer época da vida, está imunizado.

Além da mudança na dose, mudou também o público-alvo da vacina? Quem deve se vacinar contra a febre amarela?

Não há mudança no público-alvo. Devem se vacinar contra a febre amarela pessoas que moram nas áreas de recomendação da vacina ou que viajam para essas localidades que não tomaram nenhuma dose da vacina.  Quem já tomou uma ou mais doses não precisa ser vacinado.

Quais são as áreas de recomendação para a vacinação contra a febre amarela?

A vacinação de rotina para febre amarela é ofertada em 19 estados (Acre, Amazonas, Amapá, Pará, Rondônia, Roraima, Tocantins, Distrito Federal, Goiás, Mato Grosso do Sul, Mato Grosso, Bahia, Maranhão, Piauí, Minas Gerais, São Paulo, Paraná, Rio Grande do Sul e Santa Catarina) com recomendação para imunização.

Na Bahia, Piauí, São Paulo, Paraná, Rio Grande do Sul e Santa Catarina, a vacinação não ocorre em todos os municípios. Além das áreas com recomendação, neste momento, também está sendo vacinada de forma escalonada a população do Rio de Janeiro e Espírito Santo.

Todas as pessoas que vivem nos locais chamados de área de recomendação devem tomar uma dose da vacina ao longo da vida.

Qual a orientação para turistas estrangeiros que visitam as áreas de recomendação de vacina no Brasil com as mudanças?

Tanto para turista quanto para a população, o novo esquema é o mesmo. É necessária apenas uma dose da vacina contra a febre amarela para a imunização.

Atualização

O Ministério da Saúde continua a comprometido com o enfrentamento da doença no país. Até 29 de março, 1.987 casos suspeitos de febre amarela foram notificados. Desses, 487 (24,5%) continuam em investigação, 574 (28,9%) foram confirmados e 926 (46,6%) descartados. Do total, 282 evoluíram para óbito, sendo 187 (66,3%) confirmados, 71 (25,2%) em investigação e 24 (8,5%) descartados. Vale lembrar que esses casos citados são de febre amarela silvestre, que é quando a doença é transmitida pela picada dos mosquitos dos gêneros Haemagogus e Sabethes.Nesse ciclo os principais hospedeiros são os primatas não humanos (macacos) que habitam as florestas tropicais.  Seres humanos podem adquirir o vírus esporadicamente quando residem ou adentram na mata para trabalho ou turismo e são picados por um mosquito silvestre infectado.

Os sintomas iniciais da febre amarela incluem febre de início súbito calafrios, dor de cabeça, dores nas costas, dores no corpo em geral, náuseas e vômitos, fadiga e fraqueza. No aparecimento dos sintomas, vá até a unidade de saúde mais próxima da sua casa. 

Saiba Mais: Brasil adota dose única da vacina por recomendação da OMS

Gabi Kopko, para o Blog da Saúde

Adicionar Comentário

Comentários

  • Nenhum comentário encontrado
Fim do conteúdo da página