A exibição do player de áudio desta página depende de javascript. Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro
Início do conteúdo da página

Serviços

Saúde inicia avaliação de equipes na Bahia

  • Publicado: Sexta, 29 de Junho de 2012, 15h06
  • Última atualização Terça, 01 de Outubro de 2013, 08h58

O Ministério da Saúde lançou nesta sexta-feira (29/6), em Camaçari (BA), a terceira etapa do Programa Nacional de Melhoria do Acesso e da Qualidade da Atenção Básica (PMAQ)na Bahia. O objetivo do programa é avaliar – por meio de um questionário, aplicado a gestores de unidades de saúde, profissionais e usuários – as equipes que prestam atendimento à população. As que forem bem avaliadas terão aporte adicional de recursos de até 100%.

O diretor do Departamento de Atenção Básica do Ministério da Saúde, Hêider Aurélio Pinto, participou do lançamento desta terceira etapa do programa na Bahia. Durante a cerimônia de lançamento, o diretor ressaltou que o programavai estabelecer um padrão de qualidade da Atenção Básica. “A tendência é que os municípios sigam esse padrão, resultando na melhoria do atendimento no Sistema Único de Saúde e na satisfação dos usuários”, observou.

Na Bahia, serão avaliadas 1.576 equipes que se inscreveram no PMAQ, sendo seis no município de Camaçari. Em todo o país, serão avaliadas 17,5 mil equipes, o equivalente a 53,3% no país (32.809), que aderiram ao programa em 3.972 municípios brasileiros. Neste ano, serão investidos R$ 800 milhões para elevar os recursos às equipes integrantes do programa. Para custear todo o programa, o Ministério da Saúde vai investir R$ 7,2 bilhões para todo o país.

Criado em 2011, o PMAQ busca ampliar o acesso do cidadão aos serviços de saúde e melhorar o atendimento na Atenção Básica. A meta é garantir um padrão de qualidade por meio de um conjunto de estratégias de qualificação, acompanhamento e avaliação do trabalho das equipes de saúde. O programa eleva os recursos do incentivo federal para os municípios participantes, que atingirem melhora no padrão de qualidade no atendimento.

O Instituto de Saúde Coletiva da Universidade Federal da Bahiaé a instituição responsável pelo processo de avaliação na Bahia. A equipe de avaliação conta com um supervisor e até quatro avaliadores, dependendo do tamanho da unidade a ser visitada. Para realizar o questionário, os membros estarão uniformizados e portarão tablets. Após a coleta das respostas, as informações são exportadas para um banco de dados do Ministério da Saúde. São cerca de 800 avaliadores em todo país, integrantes de 42 instituições de ensino e pesquisa.

As equipes avaliadas são compostas, na sua grande maioria, por médico, enfermeiro, técnico ou auxiliar de enfermagem, além de agentes comunitários de saúde. Há equipes que também oferecem assistência odontológica e são formadas por dentistas, auxiliar de consultório dentário e/ou técnico em saúde bucal.

Equipes bem avaliadas em indicadores – como atendimento pré-natal, acompanhamento de doentes crônicos, tempo de espera por consulta e adequada atenção à saúde do idoso, entre outros – poderão receber até R$ 11 mil por mês. Hoje, cada equipe recebe do governo federal de R$ 7,1 mil a R$ 10,6 mil, conforme critérios socioeconômicos e demográficos, acrescidos ainda recursos das equipes de Saúde Bucal e Agentes Comunitários de Saúde.

Recurso adicional – O processo de avaliação é realizado pelo Ministério da Saúde com o apoio de 42 Instituições de Ensino e Pesquisa de todas as regiões do país. Ao todo, serão aplicados questionários a 70 mil brasileiros (usuários do SUS) de todos os estados. Esta avaliação será finalizada em agosto deste ano.Além do processo de avaliação, as equipes de saúde receberão do Ministério e das Secretarias Estaduais de Saúde ofertas de educação permanente, monitoramento dos indicadores e apoio institucional.

Equipes que forem consideradas ótimas na avaliação terão aporte mensal adicional de R$ 11 mil. As que tiverem bom desempenho receberão R$ 6,6 mil. Se a avaliação for regular, o recurso mensal permanecerá em R$ 2,2 mil.

O PMAQ está organizado em quatro fases, que se complementam e formam um ciclo contínuo de melhoria do acesso e da qualidade da Atenção Básica: Adesão e Contratualização; Desenvolvimento; Avaliação Externa (que está em curso); e Recontratualização. O programa integra a política Saúde Mais Perto de Você: Acesso e Qualidade, lançada em 2011 pelo governo federal, cujo objetivo é incentivar os gestores a melhorar o padrão de qualidade da assistência oferecida aos usuários do SUS nas Unidades Básicas de Saúde (UBS) e por meio das equipes de Atenção Básica à Saúde.

Fonte: Vanessa Teles / Agência Saúde

Adicionar Comentário

Comentários

  • Nenhum comentário encontrado

Facebook

Twitter

Instagram

TV Saúde

Web Rádio Saúde

HISTÓRIA: Aniversário do Ministério da Saúde destaca a trajetória do SUS

Flickr Saúde

Enquete

Hoje é dia de nos contar o que você quer saber mais sobre saúde. Escolha o tema e na próxima semana

Central de Arquivos

Agosto 2015
Seg Ter Qua Qui Sex Sab Dom
27 28 29 30 31 1 2
3 4 5 6 7 8 9
10 11 12 13 14 15 16
17 18 19 20 21 22 23
24 25 26 27 28 29 30
31 1 2 3 4 5 6
Fim do conteúdo da página