Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro
Início do conteúdo da página

Serviços
  • não publicado
  • Publicado: Segunda, 20 de Janeiro de 2014, 15h00
  • Última atualização: 17/01/14 17h34

Campanha de combate a hanseníase deste ano inclui orientações aos profissionais de saúde

A Campanha "Hanseníase tem Cura", do Ministério da Saúde, lançada nesta terça-feira (14), irá promover ações educativas para a população sobre tratamento e prevenção. Este ano, a campanha também será direcionada para os profissionais de saúde. De acordo com o secretário de Vigilância em Saúde do Ministério da Saúde, Jarbas Barbosa, a orientação aos profissionais é importante porque muitos deles nunca tiveram contato com um paciente com hanseníase.

"Em alguns estados do Brasil a chance de um estudante de medicina, hoje, ver um caso de hanseníase já é muito baixa. Então a gente também tem um material para profissional de saúde, chamando a atenção, e nós também vamos estar lançando, já, um treinamento de ensino à distância para profissionais de saúde para apoiar o diagnóstico da hanseníase", afirma o secretário. A principal ação da campanha direcionada aos profissionais de saúde será o envio de e-mails com orientações sobre como diagnosticar e tratar a hanseníase.

Segundo o secretário Jarbas Barbosa, a falta de um exame para detectar a doença é a principal dificuldade enfrentada por esses profissionais."Nós ainda não temos um exame de laboratório, um exame de sangue, capaz de confirmar o diagnóstico. Hoje em dia é feito um diagnóstico clínico. Fundamentalmente, você manda para laboratório alguns tipos para fazer algumas reparações, mas o diagnóstico, fundamentalmente, é clínico. Qualquer mancha, a pessoa vai perdendo a sensibilidade naquele local da mancha",explica.

A campanha "Hanseníase tem Cura" vai ser concentrada em todas as capitais e nas cidades com mais de 100 mil habitantes das regiões Norte, Nordeste e Centro-Oeste. Estes locais são considerados prioritários pelo Ministério da Saúde por concentrarem a maioria dos casos da doença.


Fonte: Fábio Ruas / Web Rádio Saúde / Agência Saúde

Registrado em:
Adicionar Comentário

Comentários

  • Nenhum comentário encontrado

Facebook

Twitter

Fim do conteúdo da página