Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro
Início do conteúdo da página

Serviços
  • não publicado
  • Publicado: Sábado, 31 de Maio de 2014, 08h30
  • Última atualização: 11/11/14 15h24

#DiaMundialSemTabaco | “Foi a melhor coisa que fiz na minha vida”, diz mulher que parou de fumar depois de 24 anos

Após descobrir que o filho tinha experimentado um cigarro, a bióloga Mara Melo de Castro, de 50 anos, tomou a decisão de parar definitivamente de fumar. Ela já havia parado há 14 anos quanto ficou grávida e voltou depois que o filho completou dois anos. Ao todo, foram 24 anos fumando. “Eu voltei com o cigarro depois da gravidez por besteira. Dei um trago ali e outro aqui e quando vi já tinha voltado a fumar”, relata Mara.

Dia 31 de maio é o Dia Mundial Sem Tabaco e o Brasil tem se destacado nas ações de combate ao fumo, com redução de 28% no número de fumantes nos últimos oito anos. Ou seja, de cada quatro fumantes que tinham em 2006, pelo menos um deixou de fumar neste período, e Mara Melo foi uma dessas pessoas. Hoje 11,3% da população brasileira fuma. Em 1989, era 35%.

“Foi a melhor coisa que fiz na minha vida. Mas tem que ter uma dose grande de força de vontade”, garante Mara. Ela não acreditava que o tratamento para largar o cigarro funcionasse. “Mas quando vi uma amiga que fumava muito conseguir parar, ai eu acreditei e resolvi fazer o tratamento”, conta a bióloga, que também cita o apoio da mãe e de toda a família como essencial para seguir em frente.

O Ministério da Saúde ampliou, a partir de uma portaria assinada em abril de 2013, o número de unidades e serviços do Sistema Único de Saúde (SUS) que oferecem tratamento. Atualmente, há 23.387 equipes de saúde de 4.375 municípios que ofertam o tratamento pelo SUS para quem quer largar o cigarro. São oferecidas consultas de avaliação individual ou em grupo, além de medicamentos em forma de adesivos ou gomas de mascar com nicotina.

A coordenadora do Centro de Tratamento do Tabagismo do Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva (INCA), Dra. Cristina Catarino, frisa que o fundamental no tratamento é a vontade da pessoa em parar de fumar. “O Ministério da Saúde disponibiliza o remédio. Mas o que a gente gosta de salientar é que o remédio é um apoio, ele serve para minimizar a síndrome de abstinência, mas o remédio tem hora para entrar e sair”, explica a médica.

“Acho que não volto a fumar nunca mais, não me faz falta nenhuma”, acredita Mara Melo. Ela completou sete anos sem fumar em abril desde ano e, apesar do susto, o filho não virou fumante. Porém ainda luta para fazer o marido largar o cigarro. “Meu sonho é que meu marido pare de fumar. Hoje tenho muito mais fôlego que ele, e olha que sou cinco anos mais velha”, completa.

Benefícios – Depois que largou o cigarro Mara ganhou mais autoestima. “Estou muito bem, sinto-me mais jovem. Gosto de jogar vôlei e nadar e sem o cigarro meu fôlego está muito maior. Minhas alergias diminuíram bastante e o aspecto da minha pele também melhorou, e ainda sinto melhor o gosto e o cheiro das comidas”, relata a bióloga.

Além dos benefícios para sua saúde, parar de fumar também trouxe o benefício financeiro. “Eu comprei um cofrinho para depositar todo o dinheiro que gastava com cigarro. Um dia eu consegui viajar só com o dinheiro do cofrinho. A economia que se faz ao largar o cigarro é mais um motivo para não voltar a fumar”, completa Mara Melo.

Como parar de fumar? – O Programa Nacional de Controle do Tabagismo desenvolveu uma rede de parcerias com as secretarias municipais de saúde. Por isso, quem deseja parar de fumar deve entrar em contato com a secretaria de saúde do seu município e saber quais unidades oferecem esse serviço. Os interessados também podem acessar no site do INCA o passo a passo de como parar de fumar.


Lucas Pordeus Leon / Blog da Saúde

Registrado em:
Adicionar Comentário

Comentários

  • Nenhum comentário encontrado

Facebook

Twitter

Fim do conteúdo da página