Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro
Página inicial > Promoção da Saúde > Exposição ao frio pode agravar doenças respiratórias
Início do conteúdo da página
Promoção da Saúde
  • não publicado
  • Publicado: Segunda, 12 de Agosto de 2013, 13h08
  • Última atualização: 16/09/13 09h06

Exposição ao frio pode agravar doenças respiratórias

Gripes e resfriados são mais comuns durante inverno. Foto: Ariel Skelley/Blend Images/Corbis

Até o fim do inverno, que acabará em 21 de setembro, são necessários alguns cuidados especiais com a saúde. Resfriados, gripes, pneumonias e também crises de asma e de bronquite ocorrem com mais frequência nessa época do ano.

Segundo o pneumologista Waldo Mattos, do Grupo Hospitalar Conceição, a exposição ao frio agrava várias doenças respiratórias. “Isso ocorre devido ao efeito danoso direto do frio sobre o epitélio da via aérea, tecido que reveste a mucosa das fossas nasais”. De acordo com o médico, outro fator que contribui para o aparecimento de doença respiratórias no inverno é o hábito de permanecer em ambientes fechados por mais tempo, para se aquecer. “Isso eleva o índice de infecções virais”, explica Waldo Mattos.

A gripe e os resfriados são causados por vírus, porém a gripe é mais agressiva na população infantil e nos idosos, bem como em pessoas com imunidade baixa, existindo maior possibilidade de complicações. O Ministério da Saúde realiza anualmente uma Campanha Nacional de Vacinação Contra a Gripe.

A rinite alérgica é desencadeada normalmente por contato com mofo, poeira, pólen entres outros elementos. Pessoas que tem alergia na verdade possuem um organismo que reage com uma defesa exagerada a algumas substancias que não são agressivas em pessoas comuns.

A asma é uma doença comum no Brasil e geralmente é descoberta na infância. Dá-se pelo inchaço e estreitamento dos canais de ar dos pulmões, dificultando assim, a passagem do ar. Pessoas em crise de asma têm problemas de respiração, falta de ar, aperto no peito, tosse e às vezes sensação de sufocamento. Há um ano foram incluídos medicamentos para asma no Programa Saúde não tem Preço, que oferece medicamentos gratuitos para a população.

A servidora pública Raquel Costa, 21 anos, tem asma alérgica desde os 6 anos de idade. “Atualmente tomo, diariamente, medicação própria para tratamento da asma, que é uma doença que pode ser controlada. Também ando sempre com a bombinha na bolsa”, conta Raquel. Segundo o pneumologista Waldo Mattos, uma das causas mais frequentes do aumento de crises de asma são as infecções virais, que costumam ocorrer em maior número durante o inverno.

A bronquite, que é uma inflamação nos canais que conduzem o ar para os pulmões, os brônquios, pode ser aguda ou crônica. Manifestando-se muitas vezes após casos de gripe ou resfriado e causada pelos mesmos vírus destas doenças, a bronquite aguda pode durar cerca de 10 dias. As crises de bronquite aguda podem ser elevadas pelo contato com fatores irritantes, principalmente fumaça de cigarro.

Já a bronquite crônica ocorre quando a pessoa tem crises mais de três vezes por ano. Dos sintomas mais comuns é possível relatar a tosse com muita expectoração, febre, chiado no peito e a dificuldade de respirar.

Thiago Silva teve a infância marcada pela bronquite asmática. “Quando criança eu vivia em crise, com falta de ar e tosse”, conta o administrador. O tratamento com os remédios indicados por um médico e a nebulização são as melhores recomendações para a melhora de crises.

As pneumonias são infecções que se instalam nos pulmões. Podem ser causada por vários microrganismos diferentes (bactérias, vírus, fungos) e por reações alérgicas no espaço alveolar, onde ocorre a troca gasosa. Esse local deve estar sempre muito limpo, livre de substâncias que possam impedir o contato do ar com o sangue.

O administrador Thiago Silva, que tem asma, bronquite e rinite alérgica desde criança, também já teve pneumonia três vezes. “Elas se desenvolveram após gripes bem fortes”, disse. Para cada tipo de agente que desencadeou a doença, é necessário um tratamento diferente.

Segundo chefe do Serviço de Otorrinolaringologia do HGB, Heráclio Cavalcanti, a exposição a substâncias irritantes, como fumaça de cigarro, poeira, umidade, mofo são os principais fatores que favorecem o aparecimento de doenças respiratórias. O médico orienta buscar auxílio médico em caso de piora. “É recomendável procurar os postos de saúde para tratamento”, explica.

Cuidados que devem ser tomados para a prevenção de doenças respiratórias:

  •  Lavar bem as mãos. Manter as mãos higienizadas principalmente antes e depois de se alimentar, após espirrar ou tossir e depois de usar o banheiro.
  •  Manter uma alimentação balanceada e rica em alimentos naturais. Consumir frutas e verduras que contenham vitamina C como laranja, limão, couve, rúcula e outros.
  •  Ter uma boa noite de sono é essencial para manter a saúde em dia.
  •  Praticar atividade física regularmente.
  •  Em climas secos é comum o aumento de casos de sinusite. É recomendável o uso de um umidificador de ar no ambiente.
  •  Recomenda-se a ingestão de muito líquido para facilitar a expectoração.

Fonte: Kathlen Amado / Blog da Saúde

Adicionar Comentário

Comentários

  • Nenhum comentário encontrado
Fim do conteúdo da página