Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro
Página inicial > Promoção da Saúde > Proqualis divulga ações da campanha do Dia Mundial da Sepse
Início do conteúdo da página
Promoção da Saúde
  • publicado
  • Publicado: Terça, 15 de Setembro de 2015, 15h03
  • Última atualização: 15/09/15 18h31

Proqualis divulga ações da campanha do Dia Mundial da Sepse

“Pare a Sepse, Salve Vidas”. Esse é o slogan da campanha que marcou o Dia Mundial da Sepse, comemorado em 13 de setembro. A campanha, cujo objetivo é mudar o quadro preocupante de incidência e mortalidade por sepse no mundo, é liderada pela Global Sepsis Alliance (GSA)  e difundida no Brasil pela Associação de Medicina Intensiva Brasileira (AMIB) em parceria com o Conselho Federal de Medicina (CFM) e o Instituto Latino Americano da Sepse (ILAS). A ação reúne mais de 60 países. 

Sepse é uma condição que ocorre quando um agente infeccioso - tais como bactérias, vírus ou fungo - entra na corrente sanguínea de uma pessoa. O paciente com sepse corre risco de vida, já que infecção afeta o sistema imunológico.

 

Segundo dados da GSA, a cada ano ocorrem cerca de 30 milhões de novos casos no mundo. No Brasil, pesquisas lideradas pelo ILAS mostram uma realidade alarmante: cerca de 30% dos leitos das unidades de terapia intensiva são ocupados por pacientes com sepse grave e a taxa de mortalidade pode chegar a 55% dos pacientes que apresentam sepse nas UTIs. De acordo com o pesquisador da Fiocruz, Fernando Bozza, que participa de grupos de pesquisa na área e atua também no ILAS, “a campanha mundial tem como foco a sensibilização para com a síndrome, a conscientização da importância de um diagnóstico preciso e de medidas de prevenção da infecção nas UTIs. Objetiva, principalmente, incluir a sepse no Global Burden of Disease (GBD) da Organização Mundial de Saúde (OMS), que é um relatório que aponta a carga das doenças no mundo. A sepse, apesar de ser uma infecção com mortalidade alta, não é obrigatoriamente notificada”.

A contribuição da Fiocruz para o controle e combate à sepse dá-se através de grupos de pesquisa, principalmente na área de implementação de protocolos de manuseio e prevenção da sepse, coordenados por Bozza. “Concluímos o estudo Checklist – ICU Trial, cujo objetivo foi verificar se a implementação da intervenção, que inclui a utilização de uma lista de verificação associada à avaliação de metas assistenciais diárias durante a visita multiprofissional e alertas clínicos, pode reduzir a mortalidade de pacientes internados em unidade de terapia intensiva adulto. Essa pesquisa envolveu 14 mil pacientes de 118 UTIs de hospitais privados e públicos. Iremos apresentar os resultados obtidos no Congresso Europeu de Medicina Intensiva – ESICM em outubro”, explica.

Bozza afirma ainda que as medidas de prevenção da sepse são simples e estão associadas à segurança do paciente. “As medidas são sensibilização e treinamento para lavagem de mãos, vacinação, uso racional de antibióticos, prevenção da infecção associada ao cateter, dentre outras. Também são importantes os protocolos de manuseio da sepse baseados em evidências, que resultam na redução da mortalidade relacionada à sepse grave”.

Na sexta-feira que antecedeu o Dia Mundial da Sepse, dia 11/09, o ILAS mobilizou cinco cidades brasileiras para ação de conscientização da síndrome que mata mais do que infarto e alguns tipos de câncer, como o de mama e o de intestino. A população de Belém (PA), São Luís (MA), Brasília (DF), Florianópolis (SC) e Belo Horizonte (MG) recebeu o folheto explicativo “Pare a sepse, salve vidas”. O material foi distribuído em locais de grande circulação por profissionais de saúde que ficaram à disposição do cidadão para esclarecimentos.

Além disso, no Dia Mundial da Sepse (13/09), aconteceu o Worldwide Sepsis Webinar da GSA, do qual profissionais do mundo inteiro puderam participar e interagir com os principais especialistas de sepses. Os temas foram: melhoria da qualidade, controle de infecção, adaptação de diretrizes internacionais da sepse para necessidades locais, dentre outros.

A GSA contabilizou a participação de 3589 instituições em todo o mundo no Dia Mundial da Sepse. Por sua prioridade ser inserir a sepse na agenda de desenvolvimento, a GSA elaborou a Declaração Mundial da Sepse, documento que permite que as instituições assinem a favor da causa. Essa declaração pode ser acessada através do link: www.world-sepsis-day.org. Nesse documento, o objetivo é descrito em cinco metas:

  • Inserir a sepse na agenda de desenvolvimento. A Declaração Mundial da Sepse aumentará a prioridade política dada à sepse, despertando a conscientização a respeito do crescente ônus médico e econômico representado pela doença.
  • Mobilizar os envolvidos. Assegurar que as estratégias para prevenção e controle do impacto global da sepse sejam focalizadas nos envolvidos de maior necessidade.
  • Apoiar a implantação de diretrizes internacionais de sepse. Melhorar o reconhecimento precoce e proporcionar tratamento mais eficaz da sepse, além de possibilitar prevenção e tratamento adequados para todas as pessoas em todo o mundo.
  • Envolver os sobreviventes de sepse e os enlutados por ela no planejamento de estratégias, a fim de diminuir a incidência de sepse e melhorar os resultados no tratamento desta condição, tanto local como nacionalmente.
  • Assegurar que existam instalações suficientes para tratamento e reabilitação e equipes bem treinadas para o cuidado em curto e longo prazo de pacientes com sepse.

“Apesar de recomendado como melhora de sobrevida, o tratamento precoce com intervenções básicas e a aderência às medidas preconizadas nos protocolos de manuseio da sepse ainda são muito incipientes no Brasil. O ILAS conduz a campanha Sobrevivendo à Sepse, que, além de apresentar dados de estudos brasileiros, também fornece treinamentos para implementação de protocolos de prevenção e manuseio da sepse”, finaliza Bozza.

Saiba mais:

Identificação rápida da sepse e tratamento imediato e adequado são o diferencial para a sobrevida do paciente
Campanha de Prevenção da Infecção na UTI da AMIB 
Dia Mundial da Sepse
Campanha ILAS Sobrevivendo à Sepse
Livro em PDF “ Sepse: um problema de saúde pública”

Fonte: Isis Breves/ Fiocruz

Foto: sfam_photo/ shutterstock

Registrado em:
Assunto(s): sepse
Adicionar Comentário

Comentários

  • Nenhum comentário encontrado
Fim do conteúdo da página