Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro
Página inicial > Promoção da Saúde > Dia Mundial de Conscientização sobre Linfomas
Início do conteúdo da página
Câncer
  • publicado
  • Publicado: Terça, 15 de Setembro de 2015, 18h18
  • Última atualização: 15/09/15 18h18

Dia Mundial de Conscientização sobre Linfomas

Nesta terça-feira, dia 15 de setembro, é comemorado o Dia Mundial de Conscientização sobre Linfomas. Os linfomas são alguns tipos de câncer ou tumores malignos originados no sistema linfático, uma rede complexa de vasos e pequenas estruturas chamadas de nódulos linfáticos que transportam o fluido linfático (linfa) dos tecidos de volta para o sistema circulatório.

Eles são divididos em duas categorias: linfoma de Hodgkin e o linfoma não Hodgkin. A chefe do serviço de hematologia do Instituto Nacional de Câncer (INCA), Drª Jane Dobbin, explica a diferença. “Os sinais e sintomas são os mesmos. O que vai diferenciar e dar o diagnóstico final é a biópsia do linfonodo (gânglio) acometido. O linfoma de Hodgkin se diferencia do Não-Hodgkin pela presença das células de Reed-Sternberg, que são visualizadas microscopicamente”, disse ela.

 

Outra diferença está na idade de incidência. Ambos acontecem em qualquer faixa etária; no entanto, o Hodgkin é mais comum na idade adulta jovem, dos 15 aos 40 anos, atingindo maior frequência entre 25 a 30 anos. Já Não-Hodgkin, que inclui mais de 20 tipos diferentes de cânceres, ele incide particularmente entre pessoas acima de 60 anos por razões ainda não esclarecidas. Ambos tipos de linfoma são curáveis quando tratada adequadamente, principalmente quando diagnosticado nos estágios iniciais.

A doença surge quando um linfócito (tipo de glóbulo branco) se transforma em célula maligna, capaz de crescer descontroladamente e disseminar-se. A célula maligna começa a produzir nos linfonodos cópias idênticas, também chamadas de clones. Com o passar do tempo, há risco de essas células malignas se disseminarem para tecidos vizinhos e, se não houver tratamento, atingir outras partes do corpo.

De forma geral, a presença de linfomas pode causar sintomas como cansaço, febre, sudorese noturna e perda de peso, acompanhados de aumento dos linfonodos (íngua), podendo ainda haver aumento do baço e alterações no exame de sangue (anemia, queda de plaquetas e alterações dos leucócitos).

A Drª Jane Dobbin recomenda que o indivíduo procure o médico ao observar o aumento de um ou mais linfonodos, gânglios linfáticos . “Esses linfonodos podem ser encontrados principalmente na região do pescoço, nas axilas ou nas virilhas”, explica.

A maioria dos linfomas é tratada com quimioterapia, radioterapia, ou um combinado das duas. A quimioterapia consiste na combinação de duas ou mais drogas. A radioterapia é uma forma de radiação usada, em geral, para reduzir a carga tumoral em locais específicos, para aliviar sintomas, ou também para reforçar o tratamento quimioterápico, diminuindo as chances de volta da doença em localizações mais propensas à recaída.

Fonte: Blog da Saúde

Adicionar Comentário

Comentários

  • Nenhum comentário encontrado
Fim do conteúdo da página