Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro
Página inicial > Promoção da Saúde > SGEP lança vídeo sobre saúde das populações do campo, da floresta e das águas
Início do conteúdo da página
Promoção da Saúde
  • publicado
  • Publicado: Sexta, 20 de Outubro de 2017, 18h38
  • Última atualização: 20/10/17 18h38

SGEP lança vídeo sobre saúde das populações do campo, da floresta e das águas

agua florestaA Secretaria de Gestão Estratégica e Participativa do Ministério da Saúde (SGEP/MS) lançou hoje (20), o vídeo sobre a Política Nacional de Saúde Integral das Populações do Campo, da Floresta e das Águas (PNSIPCFA). O objetivo é levar informações sobre saúde às populações do campo, da floresta e das águas.

O vídeo traz depoimentos do Secretário Executivo do Ministério da Saúde, Antônio Carlos Nardi; da Secretária de Gestão Estratégica e Participativa, Gerlane Baccarin e de analistas de políticas públicas do MS que trabalham diretamente na construção dessa política de promoção da equidade.

 

“É importante ressaltar a necessidade do acesso e da atenção integral à saúde, da promoção e vigilância em saúde, monitoramento e avaliação, conhecimento do território, educação popular e comunicação e mobilização social para essas populações”, destacou a técnica da SGEP, Leandra Lofego.

A Política é voltada aos diversos biomas brasileiros, a gestão e aos usuários e destaca também as ações dos comitês de saúde, que são formados para avaliar a implementação da política e para levantar as necessidades de saúde dessas populações. Foi nesse sentido que a Portaria n° 2.866, de 2 de dezembro de 2011  e retificada pela Portaria nº 2.311, de 23 de outubro de 2014, que instituiu, no âmbito do SUS, a PNSIPCFA.

“A Política Nacional de Saúde Integral das Populações do Campo, da Floresta e das Águas, tem como objetivo a melhoria do nível de saúde dessas populações”, explicou Antônio Carlos Nardi, Secretário Executivo do Ministério da Saúde.

As ações visam atender as especificidades de cada uma dessas populações, respeitando as diferenças por meio do acesso aos serviços de saúde, da redução de riscos à saúde decorrentes dos processos de trabalho e da melhoria dos indicadores de saúde e da qualidade de vida.


Por Tiago Machado

Adicionar Comentário

Comentários

  • Nenhum comentário encontrado
Fim do conteúdo da página