Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro
Página inicial > Promoção da Saúde > Doenças reumatológicas podem atingir crianças e adolescentes
Início do conteúdo da página
Promoção da Saúde
  • publicado
  • Publicado: Terça, 31 de Outubro de 2017, 18h01
  • Última atualização: 31/10/17 18h06

Doenças reumatológicas podem atingir crianças e adolescentes

Este tipo de patologia não se restringe a pessoas com idade avançada, como imagina o senso comum

maoÉ habitual pensar que o reumatismo só acomete adultos. Porém, esse é um mal que pode atingir também a crianças e adolescentes. “As doenças reumatológicas que mais atingem as crianças são as do tipo inflamatórias, que são incuráveis e autoimunes, quando o sistema imunológico ataca os próprios órgãos, inflamando-os”, esclarece Eutilia Freire, chefe do Serviço de Reumatologia do Hospital Universitário Lauro Wanderley da Universidade Federal da Paraíba (HULW-UFPB), filiado à Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh).

Neste hospital, Elayne da Silva, de 12 anos, faz tratamento para Artrite Idiopática Juvenil (AIJ) e Esclerodermia Sistêmica, ambas doenças inflamatórias. A garota foi diagnosticada com as duas doenças reumáticas há um ano pelo HULW-UFPB, local onde Elayne também se trata de diabetes e hipotireoidismo, ambas as moléstias identificadas há seis anos no próprio hospital, e onde a menina faz Terapia Ocupacional em função de uma paralisia no braço direito.

O tratamento de Elayne se dá com um medicamento para artrite e outro para a esclerodermia, fazendo com que a garota, a cada oito dias, tome 11 comprimidos. “Às vezes ela está bem, às vezes sente muitas dores. Nós vamos muito ao HULW, são cerca de cinco consultas por mês”, pontua Luzia da Silva, mãe da menina.

A AIJ é uma patologia crônica que atinge as articulações e outros órgãos. Já a Esclerodermia Sistêmica é uma doença na qual ocorre o endurecimento da pele. “As pessoas portadoras de doença reumática devem procurar entender a sua patologia e ter uma atitude positiva frente a esse quadro, pois na maioria das vezes, são de natureza crônica”, diz Umberto de Oliveira Filho, reumatologista do Hospital Escola da Universidade Federal de Pelotas (HE-UFPel), também da Rede Ebserh.

Reumatismo

O Brasil comemora, em 30 de outubro, o Dia Nacional de Combate ao Reumatismo, como são popularmente conhecidas as doenças reumáticas ou reumatológicas, que se caracterizam por comprometer o sistema músculo-esquelético e podem ser degenerativas, metabólicas e inflamatórias. “Sob o termo ‘reumatismo’ encontramos mais de 100 doenças”, explica o reumatologista do HE-UFPel, cujo Serviço de Reumatologia mantém um ambulatório temático de Vasculites e Lupus Eritematoso Sistêmico.

“As doenças reumatológicas inflamatórias não são evitáveis. Já as metabólicas e degenerativas, há como prevenir”, esclarece Eutilia Freire. “Febre sem identificação da causa, perda de peso, alterações no comportamento, dores nas juntas, alterações urinárias, queda de cabelos podem ser sintomas de doenças reumáticas inflamatórias”, completa a reumatologista do HULW-UFPB, situado em João Pessoa e referência na Paraíba e estados vizinhos no tratamento de doenças reumáticas, atendendo cerca de 400 pessoas por semana, em uma estrutura que conta com um Centro de Infusão de Drogas Biológicas.

Sobre a Ebserh

Estatal vinculada ao Ministério da Educação, a Ebserh administra atualmente 39 hospitais universitários federais. O objetivo da Rede Ebserh é, em parceria com as universidades, aperfeiçoar os serviços de atendimento à população, por meio do Sistema Único de Saúde (SUS), e promover o ensino e a pesquisa nas unidades filiadas.

O órgão, criado em dezembro de 2011, também é responsável pela gestão do Programa Nacional de Reestruturação dos Hospitais Universitários Federais (Rehuf), que contempla ações nas 50 unidades existentes no país, incluindo as não filiadas à Ebserh.

Fonte: Coordenadoria de Comunicação Social da Ebserh

Doenças reumatológicas podem atingir crianças e adolescentes

Este tipo de patologia não se restringe a pessoas com idade avançada, como imagina o senso comum

Brasília (DF) - É habitual pensar que o reumatismo só acomete adultos. Porém, esse é um mal que pode atingir também a crianças e adolescentes. “As doenças reumatológicas que mais atingem as crianças são as do tipo inflamatórias, que são incuráveis e autoimunes, quando o sistema imunológico ataca os próprios órgãos, inflamando-os”, esclarece Eutilia Freire, chefe do Serviço de Reumatologia do Hospital Universitário Lauro Wanderley da Universidade Federal da Paraíba (HULW-UFPB), filiado à Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh).

Neste hospital, Elayne da Silva, de 12 anos, faz tratamento para Artrite Idiopática Juvenil (AIJ) e Esclerodermia Sistêmica, ambas doenças inflamatórias. A garota foi diagnosticada com as duas doenças reumáticas há um ano pelo HULW-UFPB, local onde Elayne também se trata de diabetes e hipotireoidismo, ambas as moléstias identificadas há seis anos no próprio hospital, e onde a menina faz Terapia Ocupacional em função de uma paralisia no braço direito.

O tratamento de Elayne se dá com um medicamento para artrite e outro para a esclerodermia, fazendo com que a garota, a cada oito dias, tome 11 comprimidos. “Às vezes ela está bem, às vezes sente muitas dores. Nós vamos muito ao HULW, são cerca de cinco consultas por mês”, pontua Luzia da Silva, mãe da menina.

A AIJ é uma patologia crônica que atinge as articulações e outros órgãos. Já a Esclerodermia Sistêmica é uma doença na qual ocorre o endurecimento da pele. “As pessoas portadoras de doença reumática devem procurar entender a sua patologia e ter uma atitude positiva frente a esse quadro, pois na maioria das vezes, são de natureza crônica”, diz Umberto de Oliveira Filho, reumatologista do Hospital Escola da Universidade Federal de Pelotas (HE-UFPel), também da Rede Ebserh.

Reumatismo

O Brasil comemora, em 30 de outubro, o Dia Nacional de Combate ao Reumatismo, como são popularmente conhecidas as doenças reumáticas ou reumatológicas, que se caracterizam por comprometer o sistema músculo-esquelético e podem ser degenerativas, metabólicas e inflamatórias. “Sob o termo ‘reumatismo’ encontramos mais de 100 doenças”, explica o reumatologista do HE-UFPel, cujo Serviço de Reumatologia mantém um ambulatório temático de Vasculites e Lupus Eritematoso Sistêmico.

“As doenças reumatológicas inflamatórias não são evitáveis. Já as metabólicas e degenerativas, há como prevenir”, esclarece Eutilia Freire. “Febre sem identificação da causa, perda de peso, alterações no comportamento, dores nas juntas, alterações urinárias, queda de cabelos podem ser sintomas de doenças reumáticas inflamatórias”, completa a reumatologista do HULW-UFPB, situado em João Pessoa e referência na Paraíba e estados vizinhos no tratamento de doenças reumáticas, atendendo cerca de 400 pessoas por semana, em uma estrutura que conta com um Centro de Infusão de Drogas Biológicas.

Sobre a Ebserh

Estatal vinculada ao Ministério da Educação, a Ebserh administra atualmente 39 hospitais universitários federais. O objetivo da Rede Ebserh é, em parceria com as universidades, aperfeiçoar os serviços de atendimento à população, por meio do Sistema Único de Saúde (SUS), e promover o ensino e a pesquisa nas unidades filiadas.

O órgão, criado em dezembro de 2011, também é responsável pela gestão do Programa Nacional de Reestruturação dos Hospitais Universitários Federais (Rehuf), que contempla ações nas 50 unidades existentes no país, incluindo as não filiadas à Ebserh.

 
Coordenadoria de Comunicação Social da Ebserh
Adicionar Comentário

Comentários

  • Nenhum comentário encontrado
Fim do conteúdo da página