Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro
Página inicial > Promoção da Saúde > Maternidade oferece assistência para mulheres e recém-nascidos
Início do conteúdo da página
Promoção da Saúde
  • publicado
  • Publicado: Terça, 07 de Novembro de 2017, 07h00
  • Última atualização: 07/11/17 10h14

Maternidade oferece assistência para mulheres e recém-nascidos

ses maParto humanizado têm melhorado a vida de mulheres e bebês na Benedito Leite. Foto: Rogério SousaO Governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado da Saúde (SES), tem transformado a rotina das pacientes da Maternidade Benedito Leite, em São Luís, com atendimento humanizado dos profissionais de saúde e, ainda, a assistência oferecida aos acompanhantes. Dos 3.596 partos realizados na unidade, 61% foram partos normais e 39% cesáreas. Os dados são de janeiro a outubro deste ano.

O parto humanizado é incentivado da rede estadual de saúde. “Tivemos que conscientizar a equipe, melhoramos os ambientes com espaços adequados, criando um local mais acolhedor, para mostrar à mulher que o parto humanizado é bonito e tem benefícios. Teve um tempo em que se realizavam muitas cirurgias. O parto normal não é somente dor, é o momento de maior ligação entre a mãe e o bebê. Os números mostram que as medidas adotadas têm dado certo”, explica Hilmar Ribeiro Hortegal, diretor da Maternidade Benedito Leite.

Desde o início da gravidez, Rosileia Soares, de 31 anos, desejava um parto normal e, de preferência, na Maternidade Benedito Leite. “Durante o pré-natal a gente sempre encontra mães e enquanto espera a consulta, conversa. Passei minha gravidez inteira ouvindo falar bem da Benedito Leite e coloquei na minha cabeça que queria ter aqui! Quando quiseram me levar pra outro lugar, pedi pelo amor de Deus pra ter meu bebê aqui”, disse.

Rosileia Soares, deu entrada no domingo (29), por volta de 6h, na unidade de saúde. Com o acompanhamento da equipe multiprofissional da Maternidade Benedito Leite, a gestante recebeu assistência para o parto humanizado.

Ao som de da música latina “Despacito”, sucesso no mundo todo, Rosileia Soares, acompanhada pela equipe formada por médico obstetra, enfermeira, técnica de enfermagem e fisioterapeuta, fazia exercícios para aliviar as dores e tensões pré-parto. O método foi implantado pela fisioterapeuta Luiza Maria Martins. O vídeo já obteve mais de 35 mil visualizações.

“Ali não era simplesmente uma dança, todos os movimentos são pensados para que o bebê se encaixe perfeitamente e a mãe possa ter a passagem suficiente para a realização do parto”, explicou a fisioterapeuta especialista em neonatologia. “Meu foco sempre é na mãe, se ela quer, se está disponível, os movimentos diminuem a ansiedade e a ajudam a passar pela dor sem sofrimento”, disse Luiza Maria Martins.

Além dos movimentos ao som de música, técnicas de relaxamento, como massagens nas costas, agachamento na bola de parto, caminhada assistida pelo quarto e ainda, banho na piscina com água morna também são utilizados, além da presença constante de um acompanhante da escolha da paciente.

“Tenho certeza de que não teria conseguido sem o apoio do meu marido ao meu lado, a fisioterapeuta me passou muita confiança. Estava perdendo líquido, o médico já estava até se preparando para que eu tivesse o Jessé por cesárea, mas eu confiei demais e me propus a fazer tudo o que eles mandavam”, conta Rosileia que além de Jessé tem mais dois filhos, um de 11 e outro de 8 anos “Nos outros partos eu sofri demais, mandavam eu deitar, demorou muito, chorava sozinha. Esse foi completamente diferente. Fiquei até famosa! Todo mundo já ligou dizendo que olhou o vídeo”, contou aos risos.

Canto do chá

Desde a última semana de outubro, as mães que vão ter seus bebês na unidade podem contar com o Cantinho do Chá, um espaço com lanche feito de acordo com a dieta passada por nutricionista, respeitando inclusive os hábitos alimentares da paciente ou restrições alimentares das mesmas, para que com a alimentação, elas possam ter mais energia durante o parto.

“O que a gente vê com frequência é um modelo onde a mulher não tem direito a ficar com acompanhante. Ela entra em uma sala de parto e fica sozinha. É colocada em dieta zero e assistida por profissionais que está vendo pela primeira vez”, enumera Hortegal. “Portanto, o parto humanizado é ideal porque o tempo da mãe e do bebê são respeitados, ela tem liberdade de posição e apoio de familiares e de profissionais que escolher”, conclui.

Outros serviços

Logo após o nascimento, os bebês realizam o Teste do Coraçãozinho, que permite detectar precocemente se o recém-nascido apresenta cardiopatia congênita; o Teste do Pezinho, que pode identificar doenças como hipotireoidismo congênito, entre outras; e o teste da orelhinha, que é feito no primeiro mês de nascimento da criança e o teste do olhinho. Em breve teremos o Teste da Linguinha”, disse o diretor da unidade, Hilmar Hortegal.

A unidade conta com o projeto Primeiro Olhar, fotos do bebê em um ensaio fotográfico realizado por um fotógrafo profissional, o Projeto Pequeno Maranhense que estimula a realização do pré-natal na atenção básica e oferece orientações sobre gestação, parto e pós-parto para mulheres durante o período de gravidez. Caso a gestante tenha cumprido as sete consultas do pré-natal, ela é contemplada com um kit composto por bolsa, fraldas, termômetro, cartilha informativa, toalha, frasco de álcool em gel e um pacote de gazes para os primeiros cuidados com os recém-nascidos.

Registro civil na maternidade

A unidade conta também com Posto Avançado de Registro Civil de Nascimento. A iniciativa integra a política de combate ao subregistro da Secretaria Estadual de Direitos Humanos e Participação Popular (Sedihpop), em parceria com a Corregedoria Geral da Justiça do Maranhão, Secretaria de Estado de Saúde (SES), o Comitê Estadual de Combate ao Subregistro, cartórios e prefeituras municipais.

Fonte: Notícias SES/MA

Adicionar Comentário

Comentários

  • Nenhum comentário encontrado
Fim do conteúdo da página