Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro
Página inicial > Promoção da Saúde > Estou grávida! E agora? Cheguei ao terceiro trimestre
Início do conteúdo da página
Promoção da Saúde
  • publicado
  • Publicado: Sexta, 06 de Julho de 2018, 11h02
  • Última atualização: 19/07/18 11h14

Estou grávida! E agora? Cheguei ao terceiro trimestre

ericaConfesso que desde o início da gestação, apesar de alguns sintomas típicos dos primeiros três meses, o que eu temia mesmo era o último trimestre, por conta do peso a mais, da barriga bem grande, do sono e do cansaço. Mas, é preciso passar por cada fase e esta também tem muita coisa boa acontecendo e que ainda está pra acontecer. Parece que foi ontem que comecei a relatar minha gestação para o Blog da Saúde, por meio da série “Tô Grávida e agora?”, mas acreditem: eu já cheguei à fase final. Agora faltam menos de 90 dias para a DPP (Data Provável do Parto).

Como contei no texto anterior (http://www.blog.saude.gov.br/oeh18l), a barriga já está bem nítida. O pequeno ou pequena dentro de mim já passa de 1 quilo e mais de 35 centímetros. As medidas e peso estão dentro do esperado, de acordo com a avaliação do profissional de saúde e com o gráfico para acompanhamento do aumento do Fundo de Útero, ou “tamanho da barriga”, que está na Caderneta da Gestante.

A avaliação é da médica de família que começou a me atender no pré-natal do SUS. A Unidade Básica de Saúde que frequento passou por mudanças estruturais recentemente e agora serei acompanhada por um médico ou enfermeiro de Família (ou generalista, como também são chamados). A consulta foi no dia seguinte em que completei 28 semanas de gestação e entrei, oficialmente, para o terceiro trimestre – de 27 a 41 semanas. Portanto, já me foram solicitados novos exames de sangue e urina para saber se estou livre de infecções sexualmente transmissíveis, infecção de urina, toxoplasmose, diabetes, entre outras enfermidades que podem comprometer estas semanais finais. Já fiz estes exames lá no início, mas a repetição é de praxe!

Atenção redobrada ao peso

Até que os exames sejam feitos, eu tento controlar o peso. Engordei 16 quilos até agora – pouco acima do esperado, mas ainda dentro da normalidade. A profissional de saúde pediu que eu observasse com mais cuidado a alimentação, priorizando frutas, legumes e verduras, especialmente as ricas em fibras. Eu sou uma “formiga” amante de doces e este será meu desafio para as próximas semanas. Além da fome que aumenta naturalmente mesmo. O ganho de peso no terceiro trimestre acontece porque o bebê ganha bastante peso nesta fase, dobrando de tamanho em pouco tempo. A fome é bem maior por este motivo. A sorte é que mantenho as atividades físicas ao menos três vezes na semana, o que tem me feito muito bem.

OBS técnica: Na Caderneta da Gestante há um gráfico de acompanhamento do Índice de Massa Corporal (IMC), para avaliar se a gestante está no peso adequado.

Meu caros, o que não está nada fácil são as dores nas costas. Também falei sobre elas no texto anterior. Mas, agora tenho uma possível explicação. Dores nas costas são comuns na gestação. As minhas são no chamado cóccix, região na parte de baixo da coluna. A possível explicação – não há como comprovar isto – é uma lesão que sofri quando tinha meus 13 anos. Eu fraturei o cóccix na época e depois de um tempo nunca mais senti dor. Com o peso e a natural expansão do útero, essa dor voltou a incomodar.

Nesse caso, não há muito que se fazer mesmo, além dos exercícios, tentar me levantar periodicamente, colocar compressas quentes e sentar sempre de forma confortável, apoiando bem a região. E eu não me canso de ressaltar que este é um relato meu. Essa situação pode ou não ser vivida por outras gestantes. Quem ai tá começando a gestação, não tema esta dor. No mais, estou seguindo todas as orientações para levar com a maior tranquilidade possível a fase final da gravidez.

Este mês já comecei a pensar no enxoval e me organizei com uma lista de compras. Especialistas dizem que tudo precisa estar lavado e passado para o caso de o bebê, por algum motivo, se antecipar no nascimento. Então, nada de deixar para a última hora. E confesso que amei fazer a lista, discutir o que é mesmo necessário com amigas e familiares já mamães. Fase boa demais! Uma ansiedade gostosa até. Não só em mim, como também no futuro papai. Estamos nos preparando fisicamente e psicologicamente para ver o rosto do primeiro filho (ou filha), nosso assunto principal!

OBS técnica:

O início do terceiro trimestre é o período ideal para buscar conhecer melhor a maternidade de referência. Pelo SUS, cada gestante deve saber desde o início do pré-natal qual será o serviço que deve procurar em casos de urgências, e onde seu bebê irá nascer. As maternidades estão adequando-se para ofertar assistência com menos intervenções desnecessárias e valorização do parto natural e respeitoso. Que tal pesquisar e visitar sua maternidade de referência?

Outra dica importante, na Unidade Básica de Saúde, é participar de grupo de gestantes. Lá, há trocas de experiências e orientações dos profissionais de saúde sobre os cuidados em cada fase da gestação. Claro que muitas coisas são ditas e orientadas nas consultas, mas esse grupo faz com que a mulher possa conhecer outras gestantes e trocar experiências, ainda mais se houverem mães de segunda viagem. Procure saber se na sua Unidade Básica de Saúde existe grupo de gestantes, vale a pena!

http://www.blog.saude.gov.br/g9jop3

http://www.blog.saude.gov.br/p6mtoj

http://www.blog.saude.gov.br/p6hu38

http://www.blog.saude.gov.br/dahzkv

http://www.blog.saude.gov.br/c52z70

Erika Braz, para o Blog da Saúde

Adicionar Comentário

Comentários

  • Nenhum comentário encontrado
Fim do conteúdo da página