Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro
Página inicial > Promoção da Saúde > Alcachofra: fitoterápico que alivia má digestão
Início do conteúdo da página
Promoção da Saúde
  • publicado
  • Publicado: Quarta, 02 de Janeiro de 2019, 17h59
  • Última atualização: 03/01/19 10h19

Alcachofra: fitoterápico que alivia má digestão

O medicamento é produzido a partir do extrato da planta. Além de ajudar no processo digestivo, ajuda a reduzir as taxas de colesterol no sangue.

Fitoterápico da Alcachofra  Arquivo Pessoal  Jaqueline Lorscheider 2

Com as festas comemorativas de fim de ano, muitas pessoas exageram na alimentação e acabam sofrendo com problemas digestivos. Uma solução natural para esses casos é o fitoterápico da Alcachofra, oferecido no Sistema Único de Saúde (SUS). No município de Toledo, Paraná, pacientes relatam que tiveram significativas melhoras de saúde após o uso do medicamento.

Esse é o caso, por exemplo, da técnica de enfermagem, Letícia Fabiana Neves. Ela conta que o funcionamento do seu intestino sempre foi lento, levando-a a sentir incômodos e também dificultando a perda de peso que desejava. Por orientação de uma profissional de saúde começou a usar o fitoterápico da alcachofra há um mês e ficou surpreendida. “Notei que me sentia menos inchada ou com aquela sensação de sentir cheia ou pesada. Meu intestino começou a funcionar melhor. Acaba que tudo funciona bem, gera bem-estar”, explica.

MÁ DIGESTÃO

artichoke-1555050 640cccA alcachofra (Cynara scolymus) é uma planta de origem mediterrânea rica em propriedades capazes de tratar dores e incômodos estomacais; desconfortos que surgem após a refeição; má-digestão; funcionamento biliar; e altas taxas de colesterol no sangue. Além disso, ela também diminui a absorção das gorduras no corpo como o colesterol e facilitar trânsito gastrointestinal. Algo que ajudou muito a auxiliar de consultório dentário, Marilice Mere.

Ela passou utilizar o fitoterápico, associado a uma dieta alimentícia, após ter adquirido esteatose hepática (gordura no fígado) como consequência de uma cirurgia, em 2013. “Não só ajudou o meu fígado, como em dois meses eliminei 7,5 Kg. É um tratamento a longo prazo, mas um processo mais saudável para o corpo. As vezes a gente toma remédios para curar um problema que acabam gerando outros. Eu mesma já sofri com isso. A minha experiência com o fitoterápico é outra, só positiva”, conta Marilice.

FITOTERÁPICOS

Letícia recebendo medicamento de Jaqueline Foto  Arquivo Pessoal  Jaqueline Lorscheider 2fffEm Toledo, existe uma farmácia de manipulação de fitoterápicos subsidiada pelo Programa Nacional de Plantas Medicinais e Fitoterápicos do Ministério da Saúde. A coordenadora da unidade, Jaqueline Lorscheider, explica que os medicamentos são produzidos a partir do extrato das plantas, seguindo padrões estabelecidos pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). A produção chega a 46 mil cápsulas mensais.

“Nós atendemos cerca de 800 a 1.000 pacientes por mês que demonstram estarem contentes com os resultados. Principalmente por quase não sentirem efeitos colaterais, como pode ocorrer com o uso de alopáticos. Então a fitoterapia para nós é muito importante, é um avanço para o SUS”, ressalta a farmacêutica.

Vale lembrar que a recomendação de Jaqueline, assim como a do Ministério da Saúde, é que os pacientes busquem sempre uma por orientação profissional antes de iniciar qualquer tratamento com medicamentos.

Ingrid Castilho, para o Blog da Saúde

 

 

Adicionar Comentário

Comentários

  • Nenhum comentário encontrado
Fim do conteúdo da página