Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro
Página inicial > Promoção da Saúde > Saúde orienta para cuidados com a lama e rejeitos do rompimento da barragem de Brumadinho
Início do conteúdo da página
Promoção da Saúde
  • publicado
  • Publicado: Sexta, 01 de Fevereiro de 2019, 18h30
  • Última atualização: 05/02/19 15h14

Saúde orienta para cuidados com a lama e rejeitos do rompimento da barragem de Brumadinho

 Medidas de segurança podem prevenir transmissão de doenças e demais riscos que podem afetar a saúde das pessoas atingidas pelo acidente

brumadinho saudeO rompimento da barragem de Brumadinho oferece riscos imediatos e futuros à saúde de quem possa ter contato com a lama e todas as pessoas que vivem próximo ao rio Paraopeba. Entre os perigos estão as infecções, como leishmaniose e dengue. Além disso, o ambiente de destroços na região aumenta o risco de acidentes com animais peçonhentos, como escorpiões, aranhas e cobras.

Mas o cuidado não deve ser só com o bem-estar físico, mas também o mental. Por isso, algumas precauções são fundamentais para ajudar as pessoas atingidas por desastres a enfrentarem esse momento tão difícil. Além disso, seguir as orientações das autoridades locais, como defesa civil e corpo de bombeiros, é fundamental.

Gestores - Plano de Contingência para Emergência em Saúde Pública por Inundação

Para orientar a população sobre como proceder em situações de emergência de saúde pública, o Ministério da Saúde elaborou uma série de materiais que serão distribuídos nas redes sociais, aplicativos de mensagens, bem como spot de rádio e mensagens para carro de som. Confira!

Cuidados com a água e com a lama

Em situações de emergência (como enchentes e calamidades públicas), algumas doenças podem se propagar facilmente em decorrência da contaminação da água e dos alimentos, como diarreia, cólera, febre tifoide, hepatite A, giardíase, amebíase, verminoses e leptospirose.

Portanto, não consuma alimentos que tenham tido contato com a lama, incluindo alimentos embalados, enlatados ou alimentos perecíveis (como frutas, legumes e verduras). Se possível, filtre e/ferva a água antes de beber, apenas consuma água indicada pelas autoridades e não use água sanitária em água ou alimentos para consumo humano ou animal.

Durante e depois de um evento como o de Brumadinho – MG, é possível que os alimentos não estejam em condições adequadas para serem consumidos no local. Para evitar o adoecimento das pessoas, é importante observar e tomar alguns cuidados para garantir a qualidade do que está sendo consumido

Não pesque ou consuma peixes provenientes do Rio Paraopeba. A Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG) e o Centro Integrado de Comando e Controle (CICC) informam que a água tratada pela Companhia de Saneamento de Minas Gerais (COPASA), não apresenta risco para saúde humana. Mais detalhes em: www.copasa.mg.gov.br.

Se você teve contato com a lama ou alimentos contaminados e apresentar os seguintes sintomas: vômitos, coceira, tonteira, diarreia, procure a unidade de saúde mais próxima e informe à equipe de saúde sobre o contato.

 

Cuidados com os alimentos

Durante e após uma situação de emergência, é possível que os alimentos não estejam em condições adequadas para serem consumidos. Nesses momentos, é importante observar e tomar alguns cuidados para garantir a qualidade dos alimentos.
O cuidado na higienização, preparação e armazenamento dos alimentos é um procedimento de extrema importância, pois alimentos manipulados e armazenados de forma inadequada podem transmitir doenças.

Não consuma alimentos:
- Com cheiro, cor ou aspecto fora do normal (úmido, mofado, murcho).
- Cozidos ou refrigerados e que tenham ficado por mais de duas horas fora da refrigeração.
- Que tenham tido contato com a lama, incluindo alimentos embalados, enlatados ou alimentos perecíveis (como frutas, legumes e verduras);

Saiba mais: http://portalms.saude.gov.br/saude-de-a-z/doencas-transmitidas-por-alimentos


Cuidados com a leptospirose

A leptospirose é uma doença causada por uma bactéria presente na urina de roedores (rato, ratazana, camundongo), e que pode se espalhar pela água suja da lama. A urina de outros animais contaminados pela bactéria (bois, porcos, cavalos, cabras, ovelhas e cães) também pode transmitir a doença.

Prevenção

Em Brumadinho, evite o contato com a lama. Impeça que crianças nadem ou brinquem nessas águas. Se possível, use botas e luvas ou envolva os pés e braços (mãos) em sacos plásticos duplos ao manusear a lama (no caso de estar fazendo a limpeza, por exemplo).

Se apresentar os sintomas (febre, dor de cabeça, dores musculares, vômito, diarreia e tosse) procure um serviço de saúde.

Saiba mais: http://portalms.saude.gov.br/saude-de-a-z/leptospirose

Cuidados com riscos de tétano

O tétano é uma doença grave causada por uma bactéria que pode estar presente em objetos de metal (mesmo que não esteja enferrujado), de madeira, de vidro ou até no solo (galhos; espinhos; pedaços de móveis etc.).

A pessoa pode adoecer ao sofrer lesões (ferimentos, cortes, perfurações) por objetos contaminados pela bactéria. Em situações de emergência, o contato com entulhos e destroços pode ocasionar essas lesões e, consequentemente, o adoecimento por tétano acidental.

Em caso de acidente com lesão na pele, procure com urgência a unidade de saúde mais próxima e comunique os detalhes do ocorrido (o objeto com que se machucou) ao profissional de saúde.

O SUS disponibiliza vacina contra o tétano para todas as idades. Ela precisa de reforço a cada 10 anos. Coloque sua vacinação em dia.

Saiba mais: http://portalms.saude.gov.br/saude-de-a-z/tetano-acidental


Cuidados com animais peçonhentos

A lama da barragem e os destroços aumentam o risco de acidentes com animais peçonhentos (como escorpiões, aranhas e cobras). Em situações como essas, os animais costumam se abrigar em locais secos, como o interior das residências ou em locais de acúmulo de entulhos.

Caso encontre algum desses animais, entre em contato com a autoridade competente (bombeiros; polícia ambiental ou Unidade de Vigilância de Zoonoses, por exemplo). Evite tocar nesses animais, mesmo que pareçam estar mortos.

- Ao retornar à sua residência, é fundamental inspecionar o local com bastante cuidado. Use botas e luvas ao vasculhar os escombros e na limpeza da residência e de seus arredores.

- Bata os colchões antes de voltar a usá-los. E sacuda, com cuidado, roupas, sapatos, toalhas e lençóis antes de usá-los.

- NUNCA coloque as mãos em buracos ou frestas. Use ferramentas como enxadas ou cabos de vassoura para mexer nos móveis.

- Em caso de acidente, mantenha a pessoa acidentada em repouso, deitado e com o membro acometido elevado em relação ao resto do corpo. Em seguida, entre em contato com o Centro de Informação e Assistência Toxicológica de Minas Gerais (CIATox-MG) no telefone (31) 3224-4000. Passe a maior quantidade possível de informações sobre o animal e sobre o acidentado.

- Fique atento e evite o entorno dos escombros. Os bombeiros são capacitados para lidar com essas situações de risco.

Saiba mais: http://portalms.saude.gov.br/saude-de-a-z/acidentes-por-animais-peconhentos

Saúde mental

Um evento traumático, seja individual ou coletivo, como o rompimento da barragem de Brumadinho (MG), pode causar grave sofrimento para as pessoas, afetando de forma significativa a qualidade de vida. Em alguns casos a desordem verificada tende a persistir podendo evoluir para um quadro de Transtorno de Estresse Pós-Traumático, gerando uma consequência danosa, incluindo o desenvolvimento de outras psicopatologias imediatas ou a longo prazo. Identificar os sinais e procurar ajuda profissional são fundamentais para a prevenção e tratamento destes quadros.


Sinais físicos

Palpitações
Hipertensão
Alergias
Dor de cabeça ou até crises de enxaqueca
Problemas Gastrointestinais
Tontura
Dor no peito
Fadiga crônica

Sinais emocionais

Pesadelos
Revivescência: Lembranças espontâneas, involuntárias e recorrentes do evento
Crises de ansiedade e/ou Episódios de pânico
Fuga e esquiva
Distanciamento emocional
Reações de fuga exagerados
Distúrbios do sono
Dificuldade de concentração
Irritabilidade
Hipervigilância (estado de alerta)
Sentimentos negativos
Medo intenso

Saiba mais:  www.saude.gov.br/emergenciaemsaude

Janaina Bolonezi, para o Blog da Saúde. 

 

 

Adicionar Comentário

Comentários

  • Nenhum comentário encontrado
Fim do conteúdo da página