Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro
Página inicial > Serviços > Dialoga Brasil: participação social para melhorar o país
Início do conteúdo da página
Governo Federal
  • publicado
  • Publicado: Quarta, 29 de Julho de 2015, 15h48
  • Última atualização: 29/07/15 17h33

Dialoga Brasil: participação social para melhorar o país

A construção das políticas públicas de um país deve ser focada nas necessidades de sua população. E com o objetivo de criar um canal de comunicação direto entre o governo e a sociedade foi criado o Dialoga Brasil: uma plataforma online em que todos podem propor ideias para construir um Brasil melhor, lançado na ultima terça-feira (28).

O usuário pode acessar a plataforma, após cadastro, pelo computador ou dispositivo móvel, e poderá elaborar e apoiar propostas sobre 80 programas do Governo Federal, que serão divididos em 14 temas. Os quatro primeiros temas disponíveis são saúde, educação, segurança pública e redução da pobreza. Na próxima semana serão adicionados mais quatro: cultura, esporte, meio ambiente e cidades. Na sequência, entram no ar desenvolvimento produtivo, agricultura, infraestrutura, gestão pública, igualdade e trabalho, emprego e renda.

Segundo o ministro da Saúde, Arthur Chioro, o debate contribuirá muito para as políticas do setor. “Para nós, o Dialoga Brasil chega em um momento excepcional. Estamos em plena realização das conferências de Saúde em todo país e caminhando para a 15ª Conferência Nacional. Nós temos o compromisso de fazer o novo Plano Nacional de Saúde para os próximos 4 anos. O Dialoga é mais um estímulo para que todos os brasileiros que não puderam participar das conferências possam ajudar a definir os rumos da saúde para os próximos anos”, disse.

O foco da plataforma é estimular o diálogo entre sociedade e governo. Com a vantagem de abrir um canal de participação não apenas para a sociedade civil organizada, mas incorporando novos sujeitos, novas gerações, novas linguagens, cidadãos e cidadãs que têm na internet o seu espaço de expressão e atuação.

A ativista do direito das mulheres negras Maria Noelci Homero considera a iniciativa importante. “Acredito que seja um espaço para que a sociedade civil traga as suas manifestações, necessidades e possa dialogar diretamente com o governo. Espero que isso seja realmente implementado, atendido, ouvido e que se torne políticas públicas de fato e de direito”, observa.

Além de interagir com as propostas, compartilhando-as via redes sociais (Twitter, Facebook, Google+ e WhatsApp), os usuários poderão participar de bate-papos com os ministros responsáveis por cada pasta.

No final do ano, as três propostas mais apoiadas para cada programa serão submetidas às Conferências Nacionais das suas respectivas áreas e terão uma resposta oficial do governo, podendo transformar-se em aperfeiçoamentos ou em novas políticas públicas.

Como participar?
Para participar é necessário fazer um cadastro no site . O usuário pode escolher por temas ou programas, conhecer mais sobre as políticas, compartilhar o conteúdo para que outras pessoas conheçam os programas, ou fazer uma proposta para melhorar uma ação.

Quando a proposta for publicada, após moderação, o usuário receberá um link para compartilhá-los nas redes sociais. A partir de então, outras pessoas podem apoiar a ideia.

Fonte: Gabriela Rocha/ Blog da Saúde

Registrado em:
Adicionar Comentário

Comentários

  • Nenhum comentário encontrado
Fim do conteúdo da página