Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro
Página inicial > Serviços > Serviço de Remoção Inter-Hospitalar de Sergipe realizou 14.698 atendimentos
Início do conteúdo da página
Serviços
  • publicado
  • Publicado: Quinta, 05 de Janeiro de 2017, 14h00
  • Última atualização: 12/01/17 12h05

Serviço de Remoção Inter-Hospitalar de Sergipe realizou 14.698 atendimentos

 

SRIHA-3O Serviço de Remoção Inter-Hospitalar Assistida (Sriha), gerido pela Secretaria do Estado da Saúde (SES), através da Fundação Hospitalar (FHS), é responsável por promover remoções seletivas de baixo risco clínico no período diurno e demandas de logística, 24 horas por dia, atendendo todas as Unidades da Rede.

A unidade oferece à população serviços como: transporte de logística, atendimento à rede materna, transferência de pacientes, avaliação de especialista, remoção para exames/procedimentos, alta social e rota cirúrgica.

A partir de julho de 2015, o Sriha foi inserido no Complexo Regulatório do Estado, o que facilitou o giro de leitos da rede hospitalar, além de aperfeiçoar a regulação de transporte de pacientes de baixo risco clínico, garantindo a linha de cuidado com uma assistência segura.

 “Meu marido está internado, pois teve um AVC. Ele precisava fazer alguns exames no Hospital Cirurgia, mas não tínhamos como ir de táxi, pois a situação requer cuidados. A ambulância nos deu segurança a mais, além do pessoal atender a gente com atenção. Só tenho motivos para agradecer ao Sriha”, comentou Deise Dayane Vicente, esposa de Lylan S. Piedade, paciente que se encontra internado no Hospital de Urgências de Sergipe (Huse).

Balanço

Em 2016, o Serviço realizou um total de 14.698 remoções, sendo que 11.746 foram e 2.952 noturnas. Sendo assim, foi realizada uma média de 1.224 remoções por mês. Foram 2.575 transferências inter-hospitalares e 4.388 exames para fechamento de diagnósticos, ajudando o paciente a receber o tratamento adequado e com isso diminuir o seu tempo de internamento.

Melhorias

O ano passado também foi de esforço mútuo da SES, FHS e coordenação do Sriha, inclusive com algumas melhorias no serviço. “Uma delas foi uma sala de convivência para os funcionários usufruírem enquanto não estão em horário de descanso ou realizando demandas. Este espaço era uma reivindicação antiga dos funcionários e que foi atendida em 2016”, informou a coordenadora geral, Luísa Dantas.

Também foi realizada nova pintura predial, melhorando o aspecto do serviço, repousos, entre outros. Foi instalado ponto biométrico, conforme solicitação do Ministério do Trabalho, garantido os direitos dos funcionários.

Em dezembro, o Sriha recebeu quatro novas viaturas para o serviço, tendo em vista a necessidade de renovação da frota, pois as ambulâncias antigas já apresentavam sinais de desgaste. “Com isso, poderemos atender um maior número de demandas da Rede Hospitalar de Saúde, oferecendo um melhor tempo de resposta às outras unidades”, avaliou Luísa Dantas.

Serviço específico

A coordenadora geral também explica que o Sriha só faz remoção de paciente inter-hospitalar, ou seja, entre as unidades da Rede. “Tem muitas pessoas que nos confundem com o Samu, mas são dois serviços completamente diferentes. Não recebemos ligações diretamente da população e sim do Núcleo Interno da Regulação (NIR) dos Hospitais Regionais, Huse ou MNSL. Facilitamos e agilizamos o fechamento de diagnóstico, além de otimizar os leitos entre as unidades do interior”, esclareceu.

Todas as ambulâncias possuem perfil de unidade básica e são sempre acompanhadas do condutor e técnico de enfermagem, em alguns casos também tem o acompanhamento de enfermeiros. “As viaturas são equipadas com suporte de oxigênio, soro, materiais para puncionar acesso venoso e aparelho de pressão, pois nossa unidade é só de remoção de pacientes com quadro estável, que já é previamente analisado pelo NIR. Antes de colocarmos o paciente na ambulância sempre checamos as condições de saúde dele”, acrescenta a técnica de enfermagem do Sriha, Adenilza Tiburcio.

Fonte: Herieta Schuster/Secretaria de Estado da Saúde do Sergipe

 

Registrado em:
Adicionar Comentário

Comentários

  • Nenhum comentário encontrado
Fim do conteúdo da página