Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro
Página inicial > Promoção da Saúde > Dor e dificuldade de movimentar as articulações são sinais de alerta
Início do conteúdo da página
Reumatismo
  • publicado
  • Publicado: Sexta, 30 de Outubro de 2015, 08h10
  • Última atualização: 03/11/15 10h34

Dor e dificuldade de movimentar as articulações são sinais de alerta

30 10  Dia Nacional de Luta contra o ReumatismoAs doenças reumáticas representam o conjunto de diferentes enfermidades que acometem o aparelho locomotor, ou seja, ossos, articulações, cartilagens, músculos, tendões e ligamentos. Algumas podem comprometer outras partes e funções do corpo humano, como rins, coração, pulmões, olhos, intestino e até a pele. Dentre as mais de cem doenças reumáticas, as mais comuns são a artrose, artrite reumatoide, fibromialgia, osteoporose, tendinites e bursites e outras patologias que acometem a coluna vertebral. Esse grupo de doenças não é transmissível ou contagioso e normalmente é acompanhado de dor.

As doenças reumáticas não ocorrem só em idosos. Crianças, jovens e adultos também podem ser acometidos pela doença. Sua incidência não depende de cor, sexo ou idade e podem ser causadas ou agravadas por fatores genéticos, traumatismos, obesidade, sedentarismo, estresse, ansiedade, depressão e alterações climáticas.

A catarinense Dayane Ferreira, 27 anos, tem artrite reumatoide e recebeu o diagnóstico após perceber algumas alterações em articulações do corpo. “Um dia acordei com o polegar esquerdo rígido e bem dolorido. Achei que não era nada, que podia ter dormido em cima da mão e deixei de lado. Três dias depois acordei com o lado esquerdo do corpo da mesma forma. Até para respirar eu sentia dor”, conta. Dayane já sabia que uma tia que também sofria com a artrite reumatoide, o que facilitou a investigação da doença e o diagnóstico final. “Eu tinha os mesmos sintomas que ela. Quando ao fui ao médico já contei o histórico familiar e fui encaminhada para fazer os exames que confirmaram a doença”, disse.

12178156 886274411455977 1964592521 n 1Há cinco anos, Dayane Ferreira, foi diagnosticada com artrite reumatoide

A vida de Dayane mudou completamente após a confirmação da doença. “No começo do tratamento minha artrite era muito agressiva. Cheguei a ficar com os movimentos bem limitados. Perdi a força muscular das pernas e sentia muita dor”, conta. Dayane encontrou um especialista no Hospital Universitário Polydoro Ernani de São Thiago, em Florianópolis, que a ajudou na recuperação. “Passei a fazer tratamento com medicamentos biológicos e fisioterapia. Logo eu já estava muito melhor, com menos dor e recuperando meus movimentos e atividades diárias”, relata.

Cinco anos depois do susto inicial, Dayane continua o tratamento e consegue ter uma vida com menos limitações. “Tenho algumas sequelas das crises mais fortes, mas consigo ser uma pessoa ativa em meu dia a dia. Hoje tenho 80% menos de dor. Minha artrite está em remissão e, inclusive, já fui liberada para engravidar”, comemora.

As doenças reumáticas, assim como outras enfermidades crônicas, têm tratamento. Se a doença for descoberta no início e tratada de maneira adequada, o paciente reumático pode levar uma vida normal e sem dores, minimizando o risco de incapacidade física. Por isso, ao perceber dor nas articulações, principalmente por mais de seis semanas, acompanhada de vermelhidão, inchaço, calor ou dificuldade para movimentar as articulações (especialmente ao acordar pela manhã), procure a Unidade Básica de Saúde mais próxima. Pode ser uma doença reumática.

O SUS garante o diagnóstico e o tratamento das doenças reumáticas. O cuidado inclui tratamentos diversos como exercícios, terapia física e tratamento com o uso de medicamentos. Por isso, é fundamental a combinação de serviços de saúde da atenção básica com os serviços de outros especialistas da Rede de Atenção à Saúde.

Fonte: Blog da Saúde

Adicionar Comentário
  • maria aparecida santos Bonfim

    Denunciar Link Permanente

    Bem tenho todos esse sitomas e os médicos me falam que não tenho nada o que devo fazer

    cerca de 3 anos atrás
  • Olá, Maria Aparecida. É preciso que você procure atendimento com outro profissional médico e mencione todos seus sintomas e suspeitas da doença. Também é importante citar seu desejo de diagnóstico e tratamento, exigindo exames e cuidados. O SUS garante o diagnóstico e o tratamento das doenças reumáticas. O cuidado inclui tratamentos diversos como exercícios, terapia física e tratamento com o uso de medicamentos. Por isso, é fundamental a combinação de serviços de saúde da atenção básica com os serviços de outros especialistas da Rede de Atenção à Saúde. Continuamos à disposição.

    cerca de 3 anos atrás
  • Oii Dayane, bom saber q. tem alguem na minha cidade com a doença e em tratamento , se puderes podiamos trocar emails , tenho diagnostico na coluna + tmb passei a sentir as maos, dedos , ate mesmo na testa apareçeu um carocinho comono dedo , esse nao doi + tem as mesma caracteristicas , estou esperando as ferias para tentar o tratamento , se tiver alguma indicaçao de medicos e puder me indicar agradeço de coraçao, bjos e otimo tratamento Dayane!

    cerca de 3 anos atrás
  • Olá, Maria Rubel. É necessário que você procure ajuda de um profissional da saúde. O SUS garante o diagnóstico e o tratamento das doenças reumáticas. O cuidado inclui tratamentos diversos como exercícios, terapia física e tratamento com o uso de medicamentos. Por isso, é fundamental a combinação de serviços de saúde da atenção básica com os serviços de outros especialistas da Rede de Atenção à Saúde. Obrigado por participar aqui no Blog. Continuamos à disposição.

    cerca de 3 anos atrás
  • Lidia Lucas Miranda

    Denunciar Link Permanente

    Tenho muita dor nas articulações e a 1 ano passei num ortopedista que disse ser Artrose, me passou Paracetamol ,Diclofenaco mandou que esperasse ser chamada pra fazer tratamento. Estou esperando até hoje.

  • Olá, Lidia Lucas Miranda. A gestão do Sistema Único de Saúde é descentralizada e há atribuições que são de estados e municípios, como a gestão das das unidades, contratação e capacitação de equipes, regulação de consultas e exames, além de outros fatores que impactam no atendimento. Ao identificar situações em que não o atendimento não condiz com o necessário, como essa demora, é possível reclamar com a secretaria de saúde local e, caso queira, fazer registro da situação também junto à Ouvidoria Geral do SUS, por meio do 136. Estamos à disposição!

    cerca de 3 anos atrás
Fim do conteúdo da página