Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro
Início do conteúdo da página

Geral

Geral
  • publicado
  • Publicado: Quinta, 05 de Março de 2015, 14h04
  • Última atualização 05/03/15
  • 14h04

Fiocruz isola vírus chikungunya em amostras humanas

 Células de amostras humanas infectadas pelo vírus chikungunya em imunoflorescência produzida durante o isolamento do vírus na Fiocruz Paraná  Fonte: FiocruzO Instituto Carlos Chagas (ICC/Fiocruz Paraná) realizou, em fevereiro, o isolamento do arbovírus causador da febre chikungunya em amostras humanas. O feito vai impulsionar de forma significativa o desenvolvimento de kits de diagnóstico para a doença e permitir que a detecção do vírus seja realizada sem a utilização de animais. Desenvolvido pelo Laboratório de Virologia Molecular do ICC, o trabalho isolou o vírus em sete amostras de pacientes, obtidas por meio de um convênio com a Secretaria Municipal de Saúde de Feira de Santana, na Bahia.

Segundo dados mais recentes do Ministério da Saúde, foram registrados 771 os casos autóctones suspeitos no país, sendo 82 confirmados, 687 em investigação e dois descartados no período de 4 de janeiro a 7 de fevereiro de 2015. Os estados do Amapá, Mato Grosso do Sul, de Goiás, da Bahia, e Distrito Federal são os afetados. “O diagnóstico e a notificação de casos de chikungunya é fundamental para que possamos ter uma vigilância epidemiológica eficaz”, ressalta a virologista Claudia Nunes Duarte dos Santos, chefe do Laboratório de Virologia Molecular do ICC. “Com o isolamento do vírus em células humanas, além de não utilizarmos mais animais para a detecção, essas partículas contribuirão para os avanços nos kits diagnósticos, incluindo o teste rápido que está sendo desenvolvido pelo ICC em parceria com Bio-Manguinhos”, complementou a pesquisadora.

Após a chegada das amostras, o isolamento foi confirmado em um curto espaço de tempo, reforçando a expertise da Fiocruz Paraná na área. “Este tipo de trabalho é uma rotina para nós do Laboratório de Virologia Molecular. Recebemos as amostras de pacientes em fase aguda da doença e, em apenas 10 dias, já tínhamos o vírus isolado, utilizando anticorpos monoclonais produzidos por nossa equipe”, explicou Claudia.

Comentário (0) Hits: 4902
Registrado em:
Geral
  • publicado
  • Publicado: Quinta, 05 de Março de 2015, 13h58
  • Última atualização 05/03/15
  • 13h58

Brasileiros preenchem 95% das vagas do Programa Mais Médicos no Maranhão

Nesta semana, 118 médicos com registro no Brasil participaram de acolhimento do Programa Mais Médicos na capital São Luis. Esse número corresponde a 95% das vagas do edital 2015, ofertadas pelo estado do Maranhão em 41municípios. Ainda nesta semana, todos esses médicos começam atender nas unidades básicas de saúde das regiões mais carentes do estado. 

Ícaro Silva é um deles e conta que está feliz pela oportunidade de cuidar da saúde da população de Penalva, cidade onde o pai dele nasceu."Não custa nada a gente médico brasileiro dar a nossa parcela de contribuição pra sociedade. Tanto o Provab, quanto o Mais Médicos vêm, justamente, pra facilitar a vida do povo e a gente que tem uma consciência, que faz um juramento no ato da formatura, eu acho que é importante que a gente dê nossa contribuição. Estou plenamente satisfeito, estou feliz porque, inclusive, consegui ficar num município que é um município onde meu pai nasceu, onde eu tenho família lá, tenho vínculo. Você poder ajudar um povo da baixada do Maranhão, um povo pobre é maravilhoso, isso tudo compensa a gente, acho que o povo ganha, eu ganho como experiência."

Em todo o Brasil, somente nas duas primeiras chamadas do Programa Mais Médicos em 2015, mais de 3.800 brasileiros já foram selecionados para atender a população nas periferias das grandes cidades e interior do país.
O ministro da Saúde, Arthur Chioro, que participou do acolhimento aos médicos, em São Luis, destacou a importância do atendimento de qualidade na Atenção Básica de Saúde. "Quando a Atenção Básica é bem feita, mais de 80% dos motivos que levam alguém a procurar serviços de saúde são resolvidos no próprio posto de saúde e é isso que nós estamos garantindo, até dezembro do ano passado a 50 milhões e agora, com essa ampliação de mais de quatro mil médicos no Programa, nós chegaremos a atender 63 milhões de brasileiros e brasileiras, exatamente aqueles, como aqui no Maranhão e em todo o país, que mais precisam do SUS passam a ter o atendimento na sua comunidade, no seu posto de saúde."

Comentário (0) Hits: 3243
Registrado em:
Geral
  • publicado
  • Publicado: Quinta, 05 de Março de 2015, 13h55
  • Última atualização 05/03/15
  • 13h55

Saiba como identificar e tratar o estrabismo, o problema que pode prejudicar a visão

Crédito:  Image Point FrO estrabismo é um desvio nos olhos que pode acontecer em qualquer idade. Se não for tratado adequadamente, o problema pode prejudicar a visão. O aposentado, Dionísio Tolomei, por exemplo, tem 73 anos e descobriu que tinha estrabismo há dois anos. Logo que percebeu uma alteração na visão, ele conta que procurou orientação médica imediatamente. "Quando falavam comigo ou quando eu fixava para responder, eu fechava uma vista para falar. Então comecei a sentir que ficava fora de foco se estivesse olhando com as duas vistas. Ai eu fechava um olho automaticamente para poder ver a pessoa. Procurei uma oftalmologista para eu fazer o tratamento. É o exercício que eu faço. A leitura uma das vistas tampada leio durante meio hora, com uma das vistas, depois leio meia hora com a outra vista, e depois com as duas. Já melhorei muito eu comecei o tratamento agora e vamos continuar o tratamento".

A oftalmologista do Hospital Federal da Lagoa no Rio de Janeiro, Roberlí Bicharra, diz que o seu Dionísio fez bem em procurar por um oftalmologista quando percebeu que poderia ter estrabismo. "O estrabismo é uma emergência. Quando você identifica uma criança estrábica, ou um adulto, logo tem que ir ao médico, tem que tratar imediatamente para evitar a baixa visual que acontece por falta de uso do olho. Se o estrabismo começa antes do 5 anos, que a visão está desenvolvendo, e se você não trata neste período, você faz com que a visão não desenvolva bem nesse olho e depois você não consegue mais reverter o quadro".

A oftalmologista, Roberlí Bicharra, também explica que o estrabismo pode ser tratado com uso de óculos, exercício para os olhos ou cirurgia."Isso pode ser revertido com a melhora da própria doença que causa isso, um trauma, uma doença metabólica, problema de tireoide, por exemplo, um traumatismo, um diabetes, um AVC e o olho pode depois retornar a posição normal ou então você tem que ajudar através de exercício ortótico ou mesmo com uso de prismas e até, se não melhorar e for um ângulo importante, você utilizar a cirurgia".

Comentário (0) Hits: 10459
Registrado em:
Geral
  • publicado
  • Publicado: Quarta, 04 de Março de 2015, 11h09
  • Última atualização 04/03/15
  • 16h53

Conheça a história do profissional pernambucano que vai atuar pelo programa

José Adolfo Orto está entre os 12 profissionais que vão atuar pelo programa Mais Médicos este ano. Ele se formou em medicina há 10 anos, no município de Petrolina, em Pernambuco. José Adolfo conta que foi preciso ter coragem para realizar o sonho de ser médico. "Desde adolescente me atraia muito a área da medicina, achava que não ia jamais conseguir, mas resolvi arregaçar as mangas e com 30 anos de idade decidi estudar e graças a deus entrou e estou aqui".

José Adolfo já está em Caruaru, Pernambuco, para atender a população da cidade pelo programa Mais Médicos. Ele conta que não vê a hora de começar a acolher as pessoas da região. "Expectativa bem frutífera. Disposição eu tenho de sobra e espero encontrar também uma equipe que a gente possa dialogar e trabalhar da melhor maneira possível. Você ter condições de trabalhar com a população carente, passando para eles um pouco do conhecimento que você tem. Acho que é uma das grandes funções sociais é compartilhar informação e orientando a população para que, quem sabe, a gente consiga proporcionar dias melhores tanto para aquele indivíduo como a comunidade como um todo".

A diretora da Atenção Básica do município de Caruaru. Edilene de Castro,  comemora a chegada de José Adolfo e dos outros profissionais no município. "Nós estamos aqui no município de Caruaru, a Secretaria Municipal de Saúde, muito feliz com essa nova etapa que todos os médicos que aqui cheguem sejam bem acolhidos, bem recebidos, e que nós possamos trabalhar de forma coletiva, e com objetivo único de melhorar, de dar uma boa assistência, um bom atendimento a população".

Comentário (4) Hits: 7777
Registrado em:
Geral
  • publicado
  • Publicado: Quarta, 04 de Março de 2015, 11h01
  • Última atualização 04/03/15
  • 11h01

Médica catarinense é um dos profissionais que vai atuar pelo Mais Médicos este ano

A médica brasileira de 27 anos, Ana Paula Anklan, está entre os profissionais que se inscreveram este ano para atuar pelo programa Mais Médicos na Região Sul. Ela se formou em medicina em 2013 na cidade de Blumenau, em Santa Catarina, e um ano depois já estava trabalhando pelo Provab no município catarinense de Indaial.

O Provab é o programa de valorização do profissional da Atenção Básica que possibilita especialização na Estratégia Saúde da Família e pontuação para concurso de residência médica. Em 2014, o programa o Provab foi incorporado ao programa Mais Médicos e, com a incorporação, vai ser possível fixar o profissional por mais três anos no mesmo município e garantir assistência à população. Ana Paula conta que essa incorporação permitiu que ela continuasse atendendo a comunidade. "Eu escolhi optar pelo Mais Médicos, porque eu me apeguei muito a comunidade, para dar continuidade ao meu trabalho e ficar mais um tempo com a mesma comunidade. Agora quando eu estava finalizando o Provab, bastante pacientes, falam 'ah que bom que você vai ficar'. Então é importante isso, para a gente ter um médico que já sabe o que a gente tem. Eu gostei muito da Atenção Básica justamente por causa do vínculo".

O secretário municipal de saúde de Indaial, Enilson Erley de Freitas, conta que maior preocupação do município é o ciclo rotativo de médicos que atuam na cidade de Indaial. Ele conta que a chegada dos novos profissionais do programa Mais Médicos vai possibilitar um período maior de fixação de médicos no município. "A expectativa principal é o preenchimento dessa lacuna, da fixação dos médicos. O problema da permanência deles, porque a rotatividade é muito grande, e o programa, pelo o que a gente tem acompanhado inclusive em outros municípios que já tem parceria com o Mais Médicos tem fixado os médicos ali. Mas agora com essa nova alternativa do Mais Médicos, estamos contentes e apreensivos, porque a gente vai ter a garantia da residência dos médicos por esse período. Vai criar aquele vínculo".

Comentário (0) Hits: 3000
Registrado em:
Geral
  • publicado
  • Publicado: Quarta, 04 de Março de 2015, 10h58
  • Última atualização 04/03/15
  • 10h58

Departamento lança edital para seleção de projetos de defesa dos direitos humanos

O Departamento DST, Aids e Hepatites Virais lançou em 3 de março edital para seleção de projetos que visem fortalecer as ações de promoção de defesa dos direitos humanos para populações-chaves.  Os projetos têm valor máximo de 50 mil reais e devem ter como público-alvo: pessoas vivendo com HIV/aids; portadores de hepatites virais e populações-chaves (gays, homens que fazem...

Comentário (0) Hits: 3712
Registrado em:
Geral
  • publicado
  • Publicado: Quarta, 04 de Março de 2015, 10h54
  • Última atualização 04/03/15
  • 10h54

Novidades da CROI 2015: esquemas interferon-free oferecem cura de hepatite C a portadores de HIV

Retrovírus e Infecções Oportunistas (Conference on Retroviruses and Opportunistic Infections/CROI) apresentou ao mundo os mais recentes resultados e descobertas de estudos que impulsionam a resposta global ao HIV/AIDS e outras infecções sexualmente transmissíveis. O Departamento de DST, AIDS e Hepatites Virais do Ministério da Saúde participou de todos os dias da Conferência, que desta vez ocorreu em Seattle, nos EUA.

Este ano, um dos destaques do evento foi a divulgação de um estudo surpreendente – segundo o qual a administração de dois esquemas com dois medicamentos, ao longo de 12 semanas, curou a hepatite C em mais de 95% das pessoas testadas com HIV e coinfecção por hepatite C. Os esquemas em questão não contêm nem interferon nem ribavirina, mas sofosbuvir somado a ledipasvir ou daclatasvir. Os resultados confirmam que pessoas vivendo com HIV e que têm hepatite C podem ser tratadas da mesma forma que aquelas que sofrem apenas deste último agravo.

A propósito: no Brasil, o uso de daclatasvir foi aprovado pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) no início de janeiro de 2015. O sofosbuvir ainda se encontra em análise pela Agência. O pedido de solicitação de registro de ambos os medicamentos na Anvisa ocorreu em outubro de 2014.

O surgimento de medicamentos orais revolucionou o tratamento da hepatite C crônica –oferecendo esquemas mais curtos, melhor tolerados e mais eficientes que o tratamento baseado em interferon, e assim beneficiando especialmente os portadores de HIV e coinfecção por HCV, que tendem a desenvolver doenças hepáticas de forma mais acelerada.

Comentário (0) Hits: 5780
Registrado em:
Geral
  • publicado
  • Publicado: Quarta, 04 de Março de 2015, 09h00
  • Última atualização 03/03/15
  • 17h07

Mais Médicos | Votorantim (SP) e Barreiras (BA) já contam com novos profissionais de saúde

Localizadas em Votorantim, interior de São Paulo, as Unidades de Saúde da Família Jardim Tatiana, que atende 5 mil habitantes, e Green Valley, que presta serviço para 1,5 mil pessoas, já receberam médicos inscritos na primeira e segunda etapas do edital 2015 do Programa Mais Médicos para atuarem no Programa Saúde da Família (PSF).

A secretária de saúde do município, Izilda Maris Chiozzotto de Moraes, ressalta a importância do programa para a permanência de profissionais na cidade. “Essa oportunidade é ótima, porque nós temos muita dificuldade de trazer médicos de saúde da família para nossa região, por ser próxima a São Paulo, e temos dificuldade de fixação do profissional. Você contrata um médico, ele fica por um período, mas por conta de recursos e outras propostas, ele acaba saindo”, explica.

Nas duas primeiras chamadas do Programa Mais Médicos em 2015, mais de 3.800 vagas ofertadas em municípios brasileiros e Distritos Indígenas já foram preenchidas por profissionais com CRM Brasil. Para a terceira chamada, 4.362 médicos poderão optar dentre 318 vagas disponíveis em 218 cidades e 10 Distritos Sanitários Especiais Indígenas (DSEI). “Nossa torcida é que venham esses médicos do Mais Médicos, porque nós temos duas unidades de saúde da família para abrirmos até o fim deste ano. Então eu conto com a vinda deles para viabilizar a abertura dessas unidades, onde os três médicos que solicitamos trabalharão”, afirma Izilda Maris Chiozzotto de Moraes.

Comentário (0) Hits: 3850
Registrado em:

Maranhão preenche 95% das vagas com profissionais brasileiros

Nas duas primeiras chamadas do Programa Mais Médicos em 2015, 95% das 124 vagas ofertadas para os 41 municípios maranhenses foram preenchidas por profissionais com CRM Brasil. Os...

  • publicado
  • 03/03/15
  • 18h25
Comentário (0) Hits: 3374

Mais Médicos | Profissionais de Saúde começam a atuar nos municípios

A partir desta semana, 3.823 profissionais inscritos na primeira e segunda chamadas de 2015 do Programa Mais Médicos, que confirmaram participação, começam a atuar nos municípios. O...

  • publicado
  • 03/03/15
  • 16h54
Comentário (0) Hits: 4266

Ceará preenche 97% das vagas com profissionais brasileiros

Nas duas primeiras chamadas do Programa Mais Médicos em 2015, 97% das 528 vagas ofertadas para os 113 municípios cearenses foram preenchidas por profissionais com CRM Brasil. Os...

  • publicado
  • 03/03/15
  • 16h10
Comentário (0) Hits: 2939

Facebook

Twitter

Fim do conteúdo da página