Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro
Página inicial > Promoção da Saúde > Correr regularmente auxilia no controle da pressão arterial e do colesterol ruim
Início do conteúdo da página
Promoção da Saúde
  • não publicado
  • Publicado: Segunda, 27 de Maio de 2013, 09h49
  • Última atualização: 18/09/13 14h20

Correr regularmente auxilia no controle da pressão arterial e do colesterol ruim

Foto: Pete Saloutos/Image Source/Corbis

Correr é um dos exercícios físicos com maior gasto calórico. Graças aos seus benefícios e acessibilidade, a prática tem ganhado cada vez mais adeptos. Classificada como aeróbica, a corrida aumenta a taxa metabólica de repouso, beneficia o sistema cardiovascular e ainda tonifica os músculos, principalmente, os da parte inferior do corpo e aumenta as capacidades de força, resistência, equilíbrio e flexibilidade.

“Exercícios como a corrida auxiliam na diminuição da pressão arterial, o que consequentemente reduz a hipertensão. O colesterol bom (HDL) aumenta e há uma redução do mau colesterol (LDL). Há também um auxílio fundamental na prevenção e diminuição dos índices de diabetes tipo dois”, destaca Danyele Cassimiro de Araújo, profissional de Educação Física do Programa de Melhoria da Qualidade de Vida – Geração Saúde do Ministério da Saúde.

Além de todos esses fatores físicos também é de suma importância citar os benefícios psicológicos dessa atividade. “Há uma substância liberada pela hipófise que é a responsável por causar aquele sentimento de bem estar no corredor: a endorfina. Ela regula a emoção, ajuda a relaxar e gera prazer. Muitos consideram um analgésico natural do corpo. É muito citado hoje em dia pela sua importância em tratamentos como o da depressão, por exemplo”, completa.

O consultor da Coordenação de Gestão do Portfólio de Projetos da Coordenação Geral de Gestão de Projetos (CGPP/CGGP/ DATASUS), Guido Prantoni, 45 anos, descobriu os benefícios da corrida há pouco mais de dois anos. Ele conta que ganhou muito peso em um período que passou sedentário. “Cheguei a pesar 120 kg. Uma vez, caminhando na rua, senti câimbra nas duas pernas, em outra ocasião, torci o pé. Tudo por conta do sobrepeso. Resolvi procurar ajuda médica e descobri que estava com colesterol e glicemias altos. Passei a tomar remédio”, lembra.

Na época, por causa do trabalho, Guido mudou de cidade e aproveitou a oportunidade para se exercitar em uma academia. Convidado por um colega, aceitou correr ao ar livre. “Começamos correndo meia hora. Depois, não me preocupava mais com o tempo, mais com a distância. Logo estava correndo 10 km. Consegui baixar meu peso para 80 kg e parei de tomar os medicamentos. Minha resistência também melhorou muito”, comemora. Ele destaca que uma vantagem da corrida é poder encaixá-la nos horários livres.

O ortopedista do grupo de medicina do esporte do Instituto Nacional de Traumatologia e Ortopedia (Into), vinculado ao Ministério da Saúde, Rodrigo Rodarte, lembra a importância de uma avaliação médica antes da prática de qualquer exercício físico. “É importante verificar o peso corporal, a resistência cardiovascular e a saúde das articulações. Outra recomendação é preparar uma programação de corrida junto ao educador físico, capacitado para a montagem e elaboração das sessões de treinamento”, aconselha o médico.

Do contrário, a prática pode ser perigosa e suscetível à ocorrência de lesões, causando assim a interrupção dos treinos. O especialista frisa que é importante fortalecer os músculos para absorver o impacto da corrida e não esquecer do alongamento e aquecimento das articulações antes da prática do exercício.

Caminhada – A profissional de Educação Física do Programa de Melhoria da Qualidade de Vida – Geração Saúde ressalta que, assim como a corrida, a caminhada também traz benefícios físicos e mentais e não deve ser descartada como opção. “A pessoa deve se adaptar ao que melhor combina com o nível de condicionamento, peso corporal, histórico de lesões e capacidades funcionais. Os esforços devem aumentar periodicamente, gradativamente e sempre com uma correta orientação de um profissional capacitado”, orienta Danyele.

Ela acrescenta que nas duas modalidades, o praticante deve usar um tênis adequado, com sistema de amortecimento para evitar sobrecargas nas articulações, principalmente, dos joelhos. “O tênis deve estar em bom estado de conservação, com os amortecedores ainda funcionando”, frisa.

Academia da Saúde - Para estimular hábitos de vida saudáveis, o Ministério da Saúde criou o Programa Academia da Saúde. O objetivo é criar espaços adequados para a prática de atividade física, orientação nutricional, oficinas de artes cênicas, dança, palestras e demais atividades que promovam modos de vida saudáveis, e a prevenção e  redução de mortes prematuras por Doenças Crônicas Não Transmissíveis (DCNT).

Segundo a diretora do Departamento de Análise de Situação em Saúde do Ministério da Saúde, Deborah Malta, quatro mil unidades da Academia da Saúde estarão instaladas em todo o país até 2014. A previsão é que até o final de 2013, 2.600 polos já estarão prontos. “Teremos profissionais de saúde que irão estimular a população a praticar atividade física e desenvolver também hábitos e práticas saudáveis. Com isso, buscaremos com que as pessoas se tornem mais ativas e insiram o tema e a prática da atividade física no seu dia a dia”, explica. Os polos da Academia da Saúde contam com educadores físicos, nutricionistas, fisioterapeutas, psicólogos e outros profissionais da saúde.

Fonte: Ana Paula Ferraz / Comunicação Interna do Ministério da Saúde

Adicionar Comentário

Comentários

  • Nenhum comentário encontrado
Fim do conteúdo da página