Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro
Página inicial > Serviços > Incentivo de planos de saúde diminui número de internações de idosos
Início do conteúdo da página
Serviços
  • não publicado
  • Publicado: Sexta, 05 de Outubro de 2012, 16h21
  • Última atualização: 26/09/13 15h15

Incentivo de planos de saúde diminui número de internações de idosos

Foto: Corbis ImagesIniciativas voltadas à promoção de saúde têm se mostrado eficazes na queda do número de internações e nos fatores de risco de doenças. Essa constatação foi verificada nos primeiros resultados do Programa para Promoção da Saúde e Prevenção de Riscos e Doença (Promoprev), criado pela Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS).

Segundo monitoramento do Ministério da Saúde, divulgado nesta quinta-feira (4), o número de internações entre idosos que aderiram às ações de envelhecimento saudável do Promoprev caiu 70%. O balanço de um ano do programa trouxe outros importantes resultados: a redução de 67% de fumantes e, em apenas oito meses, a diminuição do peso corporal em 62% dos inscritos.

O Promoprev incentiva as operadoras a oferecerem serviços voltados à promoção de qualidade de vida, por meio da concessão de bônus, descontos nas mensalidades, prêmios e outros benefícios a usuários que passem a adotar hábitos mais saudáveis. A primeira inciativa surgiu em 2005 com o intuito de convencer as operadoras a adotarem ações de prevenção e promoção à saúde. A partir disso, foram distribuídos manuais explicativos e cartilhas com várias regulamentações.

Em 2008, o foco principal foi garantir a qualidade do serviço a ser prestado pelas operadoras, por meio de incentivos financeiros e debates sobre como adotar estratégias para criar o modelo ideal do programa. Após a implementação do programa nos planos de saúde, em 2011, desenvolveram-se ações voltadas aos beneficiários com o objetivo de ampliar a adesão ao Promoprev.

Segundo a gerente-geral de Regulação Assistencial da ANS, Martha Oliveira, todo o conhecimento acumulado durante esses anos contribuiu para as operadoras perceberem os benefícios garantidos aos usuários participantes. “A organização do modelo assistencial e de gestão é um ganho e faz com que tenhamos resultados diferentes. É essencial chamar mais pessoas a aderirem ao programa. Depois que o usuário é inserido nele, percebe melhorias na qualidade de vida”, destaca Martha Oliveira.

Ela reforça, também, outros dois importantes ganhos: os resultados assistenciais (menor número de internações e a redução de peso) e os resultados econômicos e financeiros, tanto para a operadora quanto para o Sistema.

Nos últimos 12 meses, o número de beneficiados cresceu quase seis vezes, chegando a 1,2 milhão; e a adesão entre as operadoras aumentou na mesma proporção. Antes da medida e dos incentivos, apenas 127 operadoras ofereciam este tipo de programa. Atualmente, são 760 operadoras inseridas no programa.

 Gabriella Vieira / Blog da Saúde

Registrado em:
Adicionar Comentário
Fim do conteúdo da página